<
>

Análise: Madden 22 acerta ao adicionar a pressão do time da casa em suas partidas

A partir de 09 de setembro, com a transmissão da partida Tampa Bay Buccaneers e Dallas Cowboys ao vivo a partir das 21:20 (horário de Brasília), você acompanha todas as emoções da temporada 2021 da NFL nos canais ESPN e Fox Sports.

Depois de um período “tenebroso”, amenizado apenas pelo Draft, o fã do futebol americano volta a sorrir com seu esporte favorito. Além da NFL, outro tema que nos deixa animados é a chegada de um novo Madden. Tudo bem que a experiência tem sido bem repetitiva nos últimos anos (mais uma vez, tudo culpa da necessidade de lançar um jogo a cada ano), mas um novo Madden não deixa de ser bem-vindo.

Madden 22 traz seus modos clássicos, algumas novidades, erros já conhecidos e amostras de que os novos consoles abrem espaço para um avanço de qualidade nos próximos anos. Então, vamos ver e analisar o que o game traz com seu lançamento oficial nesta sexta-feira (20).

MODOS DE JOGO

Boas adições aconteceram no Franchise Mode, um dos mais populares de Madden. Neste modo, assumimos o comando de um das 32 franquias da liga na busca pela glória. Em Madden 22, temos maior controle sobre a comissão técnica da equipe quanto ao uso de estratégias e o desenvolvimento do elenco. Há no game um maior controle sobre a comissão ofensiva, defensiva e dos “olheiros”, na busca por novos talentos.

Esse maior controle se reflete em elementos que ajudam a construir e desenvolver o time. A comissão recebe agora os Staff Points, acumulados ao se jogar as partidas, cumprir metas e concluir cenários específicos. Com os pontos, aperfeiçoamos a comissão e afetamos diretamente o time de forma positiva. Há um sistema de progressão no formato de “árvore”, onde gastamos pontos para aperfeiçoar habilidades e tornar os jogadores melhores.

O Weekly Strategy surge como uma área de preparação para as partidas, para nos forcarmos em determinadas situações que beneficiem sua equipe e superem as qualidade do adversário. Presente não só no Franchise Mode, mas nos demais modos, são escolhas prévias para focar o playbook de jogadas em determinadas situações.

Você pode optar por uma estratégia que concentre o ataque terrestre em rotas que usem as extremidades da linha ofensiva ou que o QB use mais passes em profundidade. Uma vez escolhida, antes de cada snap, as jogadas sugeridas são escolhidas de acordo com a Weekly Strategy.

O Gameday Momentum é uma das melhores adições à franquia, pois as vantagens em se jogar em casa são algo necessário e presentes nas grandes arenas reais da NFL. Vê-las em Madden nos aproxima ainda mais de uma partida da liga, pois em qualquer jogo real, o grito da torcida pode gerar uma falta de saída falsa para o adversário, por exemplo. Portanto a atmosfera de jogo, tão bem recriada em Madden, demanda tal influência na jogabilidade.

Também temos Gameday Atmosphere, elementos visuais e sonoros que criam a atmosfera do jogo. Madden segue como um dos melhores recriadores da atmosfera de uma partida real, com alta precisão na recriação de estádios, torcida e efeitos sonoros, como o apito de navio antes de uma tentativa do time adversário no Gillette Stadium.

Madden 22 tem mais modos para oferecer, como o The Yard, o futebol americano “a la Volta” de Fifa. O modo, após certo barulho em sua chegada, perdeu força e não recebeu muito destaque. Trata-se de um modo alternativo de se jogar futebol americano, com menos atletas em cada time e com ênfase nas jogadas de efeito. Há uma boa interação com os demais modos, já que seu progresso vale recompensas, mas parece que esse ano o modo foi deixado de lado, apesar de ser um modo campanha próprio.

Por outro lado, o Face of the Franchise, a porção “novela” de Madden, tem seu destaque. Nele, trilhamos o início da carreira de um novato na busca por seu espaço. Parte importante da NFL, já que as equipes buscam a cada Draft os jogadores que serão seu futuro, este modo traz a opção para jogarmos como um Quarterback, um Wide Receiver, um Running Back, e pela primeira vez, como um jogador de defesa (Linebacker).

A partir daí, participamos do Draft (algo bem interessante de acompanhar para quem curte os bastidores do esporte), passamos por decisões que alteram a carreira e, principalmente, temos que fazer bonito dentro de campo. Há interação com nomes famosos do esporte que dão dicas de como evoluir e de como funciona o universo da NFL.

O sistema de progressão está presente aqui também, assim como a adoção de perfis que se encaixem no seu estilo. Quer ser um QB que privilegia o passe dentro do pocket ou um que seja mais móvel? Uma vez que você escolher um caminho, gaste seus pontos para se tornar melhor em campo.

É possível jogar partidas avulsas, participar de uma temporada completa e montar times no Madden Ultimate Team, que recebeu um aperfeiçoamento na química entre os jogadores. No entanto, diferente de Fifa, o MUT ainda não alcançou o mesmo no game de futebol americano.

Antes de deixarmos os modos, fica o destaque no menu principal para os esportes eletrônicos da framquia. Ainda bastante limitado aos Estados Unidos, o Madden Championship Series é composto por uma série de torneios e eventos especiais, que podem se acompanhados em uma aba especial dentro de Madden 22.

QUESITOS TÉCNICOS

No campo da jogabilidade, há mudanças na busca por um melhor alinhamento com a realidade quanto a movimentação e ações. Na parte do passe, há mais animações e situações para cobrir o dinamismo do jogo, como um lançamento próximo das extremidades do campo que requer um malabarismo do recebedor para manter os dois pés no campo, por exemplo.

Há uma leve melhora no sistema de bloqueio e, na nova geração, é mais difícil vermos os jogadores (ou partes de seus corpos) transpassarem outros competidores como se fosse fantasmas. O mesmo se aplica ao tackle, que se tornou mais fluído (e mais divertido de executar).

As habilidades Superstar X-Factor seguem no game e ainda são ambíguas. Ao mesmo tempo que tentam trazer o talento acima da média de algumas estrelas da liga - e fazem isso muito bem, pois acabam se tornando um diferencial na partida – tornam o jogo mais distante da simulação, já que o acionamento da habilidade depende ações que cumprimos. Só que na vida real, não há uma garantia que Mahomes vai acertar todos os passes que executar e seu talento não é uma garantia de desequilíbrio toda vez que entra em campo.

No campo visual, um ponto fraco dos games anteriores parece com os dias contados. Madden 22 melhorarou a recriação dos rosto de alguns jogadores, principalmente de estrelas. Algo que escrevi em a análises anteriores, as pobreza visual dos jogadores sem capacete não condizia com a qualidade técnica vista nos estádios, por exemplo. Agora, ao menos alguns avatares se parecem com suas versões reais.

Nota-se um maior número de animações de movimentos, assim como mais ângulos de câmeras, principalmente na atual geração de consoles. Isso faz com que o jogo fique mais bonito de se ver, já que não vemos com tanta frequência as mesmas câmeras a cada jogada.

O jogo reaproveita os elementos de jogos passados quanto a marcações e informações de jogadas, como menus e indicações de rotas. Ainda é um pouco cru, composto basicamente por cores e setas. Houve sim um aprimoramento das indicações de jogadas e áreas de atuação da defesa, que se tornaram mais destacadas ao se segura o botão RT/R2 do controle.

Madden 22 parece mais rápido entre as paradas e intervalos, um sonho para quem não curte muito as partidas reais de mais de 3 horas, mas que pode diminuir o tempo no videogame via controle. O tempo entre snaps, pedidos de tempo e o Two Minute Warning estão mais curtos, trazendo dinamismo, principalmente para aqueles que não tem muito tempo para jogar.

Por fim, uma crítica ao game quanto ao público brasileiro: falta uma narração na língua portuguesa. Os talentos dos canais ESPN e Fox Sports estão prontos para melhorar a experiência dos jogadores brasileiros com uma narração 100% nacional.

PRIMEIRA PARA 10

Como já escrevi em outra oportunidade no ESPN Esports Brasil, Madden segue como um excelente companheiro para o fã da NFL.

A partir desta sexta-feira (20), já estamos na contagem regressiva até o pontapé inicial da temporada e Madden 22 é um jogo muda dinamicamente ao longo da temporada, já que os ratings dos jogadores são afetados pelo desempenho de suas versões reais. Assim, ao longo do tempo, as partidas mudam com o aperfeiçoamento dos times (ou sua perda de qualidade).

Aprendemos mais das regras e táticas do esporte com Madden e o game ainda nos fará companhia quando o apito final do Super Bowl LVI em 13 de fevereiro de 2022 for dado.

Madden 22 tem versões para Xbox One, Xbox Series X|S, PlayStation 4, PlayStation 5, PC e Stadia. Nesta edição, os astros da capa são Tom Brady e Patrick Mahomes.