<
>

IEM não terá público presente na Spodek Arena como prevenção contra coronavírus

Spodek Arena é o local que vem recebendo o IEM desde 2016 ESL

O Intel Extreme Masters (IEM) é mais um evento de esportes eletrônicos atingido pela epidemia de coronavírus que assola o mundo. Sendo disputada desde segunda-feira (24) em Katowice, na Polônia, a 14ª temporada do IEM não terá os confrontos previstos para acontecer na Spodek Arena com público presente como medida de prevenção. A notícia foi dada pela ESL nesta quinta-feira (27).

O comitê organizador revelou que está acatando uma decisão do governo local que retirou a licença que a ESL tinha de realizar um "evento de massa" em Katowice "devido à dinâmica mudança da atual situação da saúde em todo mundo e a fim de garantir a segurança de moradores e visitantes da região".

De acordo com a ESL, antes de ter a licença revogada, a organizadora tinha uma decisão jurídica que a permitia organizar o evento e que a mesma havia sido reconfirmada diversas vezes nos últimos dias.A companhia deixou claro, ainda, que os ingressos serão reembolsados e que os torneios continuarão sendo transmitidos como planejado.

Dois torneios estão fechando a 14ª temporada do Intel Extreme Masters: um de Counter-Strike: Global Offensive que está sendo disputado por 16 equipes e têm premiação de US$ 500 mil e outro de StarCraft II, com a presença de 76 jogadores e prêmiação de US$ 400 mil.

A Spodek Arena vem sendo casa da etapa final do Intel Extreme Masters desde 2016, ano equivalente a 10ª temporada. No ano passado, inclusive, o local sediou o primeiro Major do ano já que o IEM recebeu o status de "Mundial" pela Valve.

Eventos de esportes eletrônicos vêm sendo sofrendo consequências da epidemia de coronavírus desde que o comitê organizador do World Electronic Sports Games (WESG) cancelou seletiva destinada a Ásia-Pacífico no final de janeiro. Pouco tempo depois a liga profissional chinesa (LPL) de League of Legends teve o retorno pós-Ano Novo Lunar adiado. O mesmo aconteceu com o novo campeonato do Sudeste asiático, enquanto os principais torneios da Coreia do Sul e do Japão estão sendo disputado sem a torcida presente no local que recebem as partidas.

Adiamentos também foram vistos no Overwatch, com partidas da Overwatch League previstas para acontecerem na China e na Coreia, e no Dota 2.

Ainda no Overwatch, equipes que vivem na China decidiram por deixar o país em prol da saúde de jogadores e funcionários. Foi o que fizeram as franquias Guangzhou Charge e Shanghai Dragons no final de janeiro.

O QUE SABEMOS SOBRE O CORONAVÍRUS

A cidade de Wuhan, na China, foi onde surgiram os primeiros casos de coronavírus ainda em 2019. Foi em Wuhan, na China, que os primeiros casos de coronavírus foram relatados ainda em 2019. A cidade é considerada uma das maiores do país por possuir população que ultrapassa 11 milhões de pessoas e, desde o dia 23, vem sendo mantida isolada pelo Governo em estado de quarentena.

Segundo o mapa online desenvolvido pelo instituto norte-americano Johns Hopkins, que monitora em tempo real a propagação do coronavírus, até o momento pouco mais de 82 mil casos foram confirmados em todo o mundo, sendo destes 2.810 fatais.

Além da China (78.497), já tiveram casos de coronavírus conformados em Coreia do Sul (1.766), Itália (528), Irã (245), Japão (189), Singapura (93), Hong Kong (92), Estados Unidos (60), Kuwait (43), Tailândia (40), Bahrein (33), Taiwan (32), Alemanha (26), Austrália (23), Malásia (23), França (18), Vietnã (16), Espanha (15), Reino Unido (15), Emirados Árabes (13), Canadá (11), Macau (10), Iraque (6), Suíça (5), Omã (4), Israel (3), Índia (3), Filipinas (3), Croácia (3), Áustria (3), Grécia (3), Finlândia (2), Suécia (2), Rússia (2), Paquistão (2), Líbano (2), Afeganistão (1), Nepal (1), Camboja (1), Noruega (1), Argélia (1), Bélgica (1), Geórgia (1), Dinamarca (1), Macedônia (1), Romênia (1), Estônia (1), Egito (1) e Sri Lanka (1).

No Brasil, depois de alguns casos sob suspeita, a primeira pessoa portando o Covid-19 no País foi confirmada nesta terça. Segundo a Folha de São Paulo, o teste de contraprova feito pelo paciente deu positivo e o Ministério da Saúde deve comentar falar sobre o resultado nesta quarta-feira (26).

Ao jornal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), informou que já solicitou a companhia área a lista que conta com os nomes dos outros passageiros presentes no voo que trouxe o paciente ao Brasil, enquanto o governo de São Paulo criou um comitê de contingenciamento para enfrentar a chegada do vírus.