<
>

O futuro do Counter-Strike brasileiro em 6 nomes

Latto, heat, detr0it, dumau, b4rtiN e skullz são 6 promessas em ascensão no cenário brasileiro Montagem com fotos de Draft5 e CBCS

Brollan, Sergej, frozen e ZywOo são alguns jogadores da nova geração que, nos últimos meses, vem mostrando ao mundo que são o futuro do Counter-Strike: Global Offensive. Mas não é apenas no cenário internacional que estamos presenciando novas estrelas surgindo. As duas ligas que são disputadas no Brasil estão servindo de palco para que promessas se tornem realidade e deem continuidade ao vitorioso legado construído por aqueles que levaram o País ao topo do mundo.

Daqui a alguns meses ou até mesmo anos, poderemos ver estrelas brasileiras que atualmente estão em atividade resolvendo "pendurar o mouse" e, com isso, a comunidade começará a debater sobre quais jogadores têm o potencial necessário para suceder aqueles que deixaram de representar o Brasil.

Para ajudar os amantes do Counter-Strike, o ESPN Esports Brasil listou jovens promessas que estão em franca ascensão e, no futuro próximo, podem trazer alegria no FPS mais amado do País.

1. LATTO

Se tem um jogador atualmente em atividade no Brasil que vem chamando a atenção de toda a comunidade este é latto. O jovem de 17 anos em, praticamente em seis meses no competitivo, conseguiu sair do anonimato para não só defender uma das principais equipes do cenário nacional, como também se tornar a principal estrela de uma Red Canids Kalunga que possui no elenco jogadores consagrados como fnx e nak.

Latto começou a mostrar que pode ter um futuro brilhante em maio passado quando conseguiu subir para a LPL, a divisão profissional gerida pela Faceit no Brasil. Dali chamou a atenção da Falkol e posteriormente da Red Canids, primeiramente integrando o "time de base" da matilha Team Rufus.

Os números de latto pela Red impressionam. Vice-campeão do Clutch em 2019, o jogador teve o melhor rating da equipe na extinta BR League com 1.17, de acordo com o HLTV.org. Estatística está que continua alta neste ano já que o atleta forma o 'Top 3' da competição junto com v$m (Detona) e realziN (W7M), sendo detentor do rating de 1.43 em quatro mapas jogados.

Ao ESPN Esports Brasil, em análise sobre latto, nak afirma que o companheiro tem estilo parecido ao de ropz, do mousesports. "Latto é um jogador muito calmo e constante. Seu ponto forte é a mira e a capacidade de resolver as situações sozinho, principalmente quando marca os bombs solo", opina o veterano.

Ainda na visão de nak, o que falta para latto se tornar uma realidade é "um título expressivo no Brasil e, é claro, jogar lá fora. Mas dentro do Brasil ele já é uma realidade sim. Tem sido, desde seu ingresso na RED, um dos jogadores mais impactantes entre os maiores times".

2. SKULLZ

Outro jovem de 17 anos que explodiu na última temporada foi skullz. Só que diferente de latto, o jogador da W7M Gaming começou competir um pouco antes e, já em 2018, dava indícios de que era uma estrela em potencial ao fazer várias boas apresentações pela WePlayGames em diversos torneios de menor expressão.

A rápida ascensão chamou a atenção da W7M, que em julho de 2019 contratou o jogador para ocupar o lugar de YJ. O jogador explodiu na equipe e, rapidamente, se tornou um dos líderes estatisticamente falando. Prova disso é o rating de 1.22 obtido no torneio promovido pela Brasil Game Show (BGS) em 2019 mesmo possuindo menos mapas em relação aos companheiros de time. Estatítica esta levantada pelo HLTV.org.

Mas a W7M não foi a única que se interessou por skullz. Após dois meses atuando pela equipe, o jogador recebeu a oportunidade de atuar pela Luminosity nos Estados Unidos. A qual não conseguiu muito aproveitar porque o time acabou chegando ao fim pouco depois.

O retorno e a readaptação a W7M não foram tão lentos quanto muitos esperavam e já na Gamers Club Masters IV o jogador conseguiu ser um dos líderes do time em números, o que também aconteceu nas seletivas disputadas no início deste ano.

Ex-treinador do jovem jogador, gio afirma que "skullz é de um calibre individual muito alto e que tem, por característica, valorizar mais a vida e jogar situações de desvantagem, sendo bastante valioso de CT porque rotaciona e se posiciona muito bem".

Gio enxerga que o ex-pupilo "se assemelha muito ao etilo de coldzera em 2016: gosta de cluthes, sabe a hora de chamar a responsabilidade e costuma jogar na segunda linha de ação, atrás do entry fraggers".

Para skullz se tornar uma realidade, gio acredita que "ainda falta um pouco de maturidade e ele precisa de mais protagonismo que acredito que ele não está buscando nesse momento e isso pode atrapalhar o desenvolvimento individual dele como atleta". Estatísticas estas levantadas pelo HLTV.org.

3. DUMAU

Um pouco mais novo, mas também um jogador que já mostrou que "tem bala para trocar" é dumau que, com 16 anos, terminou a temporada 2019 com o título da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Counter-Strike (CBCS) e o vice da segunda, em ambas defendendo a Imperial.

O atleta teve início precoce no competitivo. Com 14 anos fez as primeiras aparições como substituto provisório do INTZ numa edição da Liga Pro e pouco depois, defendendo o N0w4y, conquistou o título do Pichau Masters Invitational, disputado em Joinville na temporada de 2017. O jovem, inclusive, foi escolhido pelo público como o Jogador Mais Valioso (MVP) da competição.

Não foram só com as boas apresentações no CBCS que dumau conseguiu conquistar a comunidade. Na fase final da segunda etapa, a qual foi vice, dumau teve o maior rating de todos os finalistas: 1.33. Já na edição anterior a estatística foi um pouco menor, mas mesmo assim impressionante: 1.28.

O jovem começou 2020 tendo a chance de ouro de competir fora do País integrando a revitalizada equipe da YeaH Gaming, em um projeto no qual a organização resolveu apostar em jovens talentos. Nos Estados Unidos dumau não deixou de mostrar o quanto é bom, sendo um dos responsáveis pela classificação da equipe para a seletiva local válida pelo Major do Rio de Janeiro.

Comandante de dumau na época de Imperial, adr aponta que "uma das principais características do jogador, dentro do jogo, é a agressividade, com ele procurando duelar o máximo possível sabendo que, dificilmente, perderá situações de 1 vs 1". O treinador falou também que "a calma e a frieza psicológica mostradas dentro de jogo são raras de serem encontradas".

Adr vê dumau com estilo parecido a de outros jovens em ascensão como Brollan (fnatic) e Broky (FaZe). Categórico, o treinador afirma que no Brasil o jovem da YeaH já "era uma realidade e que agora ele tem um novo desafio, o de se provar no cenário internacional".

4. DETR0IT

Outro jovem que exibiu todo o potencial no CBCS em 2019 foi detr0it, defendendo as cores do INTZ. O jogador de 19 anos começou a levar o Counter-Strike "mais a sério" na segunda metade de 2018, primeiramente, pelo Hannya e posteriormente pelo Assault Team, equipe que serviu de vitrine para ser chamado pela organização Intrépida, na última temporada.

A estreia pelo INTZ, contra Red Canids pela Fase de Classificação da BGS 2019, foi bastante aproveitada por detr0it, sendo ele um dos responsáveis pela vitória. Mesmo o time não indo tão bem nos campeonatos, o jovem se destacou bastante nas duas etapas do CBCS as quais disputou, protagonizando lances pra lá de bonitos.

"Na minha opinião ele tem uma habilidade absurda de AWP e é um cara super talentoso. O que mais me chama a atenção nele é que é um jogador que sempre quer aprender e evoluir, tem muita curiosidade e aprender as coisas rapidamente", opina gut0, que ano passado foi técnico de detr0it e nesta temporada atuará ao lado do atleta.

Gut0 continua dizendo que, "pela movimentação e tiros absurdos, o detr0it me lembra o kennyS". Mas para o treinador/atleta, o jovem ainda não se tornou uma realidade, "não do jeito que a gente sabe que ele é capaz": "Ele é um jogador com muito potencial, um dos mais habilidosos de AWP do Brasil. Só falta mesmo experiência de campeonatos. É novo e está se desenvolvendo muito rápido".

5. B4RTIN

Há quase um ano vestindo a camisa do Team oNe, b4rtin é um dos jovens brasileiros que vem chamando a atenção da comunidade nas duas últimas temporadas. Cria do Killuminati eSports, o atleta de 18 anos teve a oportunidade de representar o Vitória nos esportes eletrônicos, mas foi no Team Reapers que o jogador explodiu para o mundo e recebeu a oportunidade de se tornar um Golden Boy.

Foram poucas as vezes na carreira, de acordo com os números apurados pelo HLTV.org, que b4rtin ficou com rating abaixo de 1, mesmo indo cedo para os Estados Unidos e atuando ao lado de jogadores mais cascudos como iDk, trk e Maluk3. Prova disso foram os 1.13 e 1.25 obtidos, respectivamentes, nas temporadas 31 e 32 da ESEA Premier, a 2ª divisão da ESL Pro League (EPL).

Em várias oportunidades o jogador foi valioso para classificações do Team oNe, como a que ocorreu no último fim de semana, quando os Golden Boys garantiram vaga para a seletiva sul-americana válida pelo Major do Rio.

Um dos responsáveis por b4rtiN estar no Team oNe, o dono da organização, Kakavel, afirma que ojovem "é um atleta extremamente dedicado, respirando CS 24h por dia. A cada dia ele nos surpreende com seu reflexo e mira afiada. Sem dúvida é um dos jogadores de maior habilidade do nosso cenário".

"Só o tempo dirá", responde Kakavel ao ser questionado sobre qual jogador renomado b4rtiN se assemelha. "Acredito que todo jogador tem seu estilo. Ele é um cara que gosta das brechas e gosta de ser agressivo", completa.

Também na opinião do executivo, "essa questão de realidade é muito difícil. Ele acabou de fazer 18 anos e está conosco há um. Ele chegou extremamente cru e com uma habilidade invejável, conseguindo se classificar para o Minor logo no primeiro campeonato que disputou e se desenvolveu muito no bootcamp que realizamos na época".

6. HEATT

Quem também recebeu, cedo, a oportunidade de ouro de poder morar e competir fora do País foi heatt, jogador de 17 anos "revelado" pela Falkol e que atualmente defende a luso-brasileira Sharks Esports após ser emprestado pelo time de base da Furia, a Furia Inagame.

Heatt não teve ainda muitas oportunidades para mostrar a que veio no CS, mas nas apresentações que fez até o momento deu, a comunidade, a esperança de que se tornará um grande jogador no futuro.

Prova disso foi a forma como representou a Furia Inagame na 11ª temporada da Brasil Premier League (BPL). O jogador foi essencial para a equipe terminar a competição em 3º lugar, sendo escolhido pelo Draft5 como EVP.

O jovem fez bonito também na repescagem para a segunda edição do Clutch, na qual conseguiu atingir ratings de 1.62 contra Santos e 1.58 num dos mapas da md3 versus Falkol.

MENÇÃO HONROSA

Sabendo que a cada competição disputada no Brasil mais e mais jovens tentam se provar a fim de um lugar ao sol no Counter-Strike, a possibilidade de, em breve, termos mais promessas eclodindo são muito altas. Prova disso é o quarteto formado piriaz1n (Vivo Keyd), nqz (Alma), keiz (Evidence) e drop (Furia Inagame), jogadores estes que já estão dando aquele tiro honesto em importantes competições como Clutch, Liga Pro, CBCS e outras.

Gostaram dos jogadores eleitos pelo ESPN Esports Brasil como o futuro do Counter-Strike brasileiro? Comente nas nossas redes sociais: Twitter e Facebook.