<
>

Overwatch League se aproxima de uma mudança radical com a pool de heróis

A Overwatch League se aproxima de uma mudança radical Robert Paul/Blizzard Entertainment

A Activision Blizzard anunciou uma mudança importante para o cenário competitivo de Overwatch nesta quinta-feira (30), apresentando para o game o conceito de “conjunto de heróis” ou “pool de heróis”. O pool de heróis, que será implementado em partidas online competitivas e na Liga Overwatch no início de março, é uma mudança pela qual a empresa espera trazer diversidade ao seu principal título de esports.

O primeiro mês da Overwatch League será jogado normalmente. A Semana 4, no entanto, verá a introdução do conjunto de heróis, no qual um número seleto de personagens será banido do jogo competitivo, criando um elenco rotativo de opções a cada semana. Os heróis proibidos da semana serão escolhidos a partir de dados extraídos de partidas competitivas, no qual as opções mais escolhidas da semana anterior serão barradas no período seguinte.

A Overwatch League e o modo competitivo online terão diferentes pools de heróis. Para a liga de Overwatch, os heróis banidos virão dos dados coletados das duas semanas anteriores do jogo.

"Não será apenas qual opção de tanque é o mais jogado", disse Jon Spector, vice-presidente da Overwatch League, à ESPN em uma entrevista exclusiva. "Vamos escolher vários [heróis] que tem destaque significativo nas partidas da OWL e os colocaremos em uma pool, retirando aleatoriamente desse conjunto um tanque, duas opções de dano e um suporte".

O que isso significa para a Overwatch League? Bem, quase tudo. Desde o início da liga, metas foram seguidos pela maioria dos times, começando com a "investida" do início de 2018, no qual as equipes precisavam ter especialistas em heróis como Tracer e Winston. A partir daí mudanças de equilíbrio trouxeram novos metas, principalmente a "GOATS", que ocorreu em quase toda a temporada de 2019, onde as equipes se espelharam na tentativa de dominar determinada composição.

A pool de heróis é o fim destes metas estagnados. Se as equipes se empenharem demais em uma composição e todos começarem a jogar em um determinado estilo, na próxima semana, alguns desses heróis não estarão disponíveis. Isso forçará os times a se adaptarem a cada semana, dando ao público situações em que uma semana a composição inicial depende de heróis investindo nas linhas de trás e a próxima pode ser sobre defesa, curas e o atrito entre os adversários.

Juntamente com a pools de heróis, haverá mudanças mais frequentes no jogo que coincidam com a Overwatch League.

"Você pode ter uma situação na Semana 1 em que Zenyatta é uma excelente opção e bastante usado. Então, na Semana 2, ele é barrado", disse Spector. "Na terceira semana, Zen está disponível novamente, mas há uma alteração no Orbe de Discórdia que o torna menos eficaz do que era. Acho que nenhuma dessas coisas por si só é necessariamente uma bala de prata, mas quando você começa a reunir todos esses fatores, estou confiante de que veremos muitas equipes [composições] diversas e estratégias mais complexas".

Se um herói for banido uma semana, ele deverá ser elegível para a semana seguinte. E como as pools de heróis são ditadas por duas semanas de dados, um herói banido na Semana 1 teria que ser jogado significativamente por quase todo mundo na Semana 2 para vê-lo banido novamente na Semana 3. A Blizzard espera que o as mudanças constantes e as pools de heróis sejam o fim de qualquer herói sendo jogado exclusivamente por todos os times quando for elegível para ser selecionado.

Os conjuntos de personagens são a maneira da Blizzard de empolgar uma liga que sofreu em uma intertemporada tumultuada, ao perder diversas peças de sua transmissão e sem adições de heróis ou mapas. A liga espera pacientemente pelo lançamento de Overwatch 2.

A equipe de Washington Justice foi um dos piores times do meta "GOATS", mas ganhou vida quando o jogo foi alterado para um formato de “2-2-2” que permitia mais heróis causadores de dano fossem usados. O jogador Corey "Corey" Nigra dominou as partidas com heróis de dano como Hanzo. Isso não vai acontecer na próxima temporada. As equipes serão desafiadas a serem dinâmicas em cada partida, trabalhando com o que esteja disponível, caso queiram ser campeãs no final da temporada.

Embora as pools de heróis sejam emocionantes, elas também podem tirar o domínio que vimos nas temporadas anteriores. Quando o 2-2-2 foi implementado, vimos Vancouver Titans e o San Francisco Shock aperfeiçoando o conceito do "GOATS". Foi interessante assistir as duas equipes jogarem e usarem os momentos perfeitos neste tipo de composição. Não teremos mais isso no mundo das pools de heróis, pois a introdução das viagens paras as sedes dos times e o elenco rotativo de personagens podem trazer jogadas mais descuidadas.

Se por um lado estamos perdendo em excelência de jogo, acho que é uma mudança que precisava acontecer. Um sistema de banimento discutido, em que cada equipe recebe algumas proibições de heróis por mapa, era uma ideia intrigante, mas teria realmente mudado alguma coisa? Pelo que vimos nas temporadas anteriores, o resultado mais provável teria sido uma proibição espelhada em toda a liga, com os heróis mais dominantes ficariam de lados, enquanto as equipes descobriram a composição mais forte de seis personagens com as demais opções. Com a pool de heróis, as equipes são forçadas a sair de sua zona de conforto.

Uma informação importante que Spector mencionou em sua entrevista à ESPN foi que as equipes estavam muito concentradas em certas composições. Experimentar heróis para vencer metas arraigados simplesmente não eram levados em consideração pelas equipes. Se Philadelphia Fusion ou Vancouver Titans descobrissem "GOATS" antes da final da primeira temporada, essa equipe teria chegado à vitória.

Muitas inovações vieram das ligas amadoras e Contenders, que fizeram experimentos, e foi assim que "GOATS" surgiu. O super esquadrão centrado em Brigitte não foi popularizado por ninguém na Overwatch League, mas por uma equipe do Contenders Trials, que passou a ser usada por equipes da liga principal por quase um ano inteiro.

Como mencionei antes, a principal fraqueza da Overwatch League era a falta de diversidade nos confrontos. Estilos fazem combinações. Se todos jogam a mesma coisa, independentemente de quão bem uma equipe possa dominar um estilo único versus outro, as coisas começam a se misturar. Embora a adição de novos tanques e suportes fosse a solução definitiva, isso nunca iria acontecer.

Com a pool de heróis, os estilos tomarão forma e as equipes precisarão de seu próprio caminho para navegar na rotação interminável de heróis. Pode ser uma bagunça por algumas semanas. Algumas das composições apresentadas pelas equipes podem ser completamente estranhas, caindo por terra assim que o jogo começa. Mas à medida que a Overwatch League entra em uma nova era, de viagens para sedes e nova transmissão exclusiva no YouTube, uma mudança radical precisa ser feita. Você não pode dizer que isso não é radical.