<
>

Da WESG às ligas de LoL, entenda consequências do Coronavírus nos esports

Coronavírus impôs restrições de viagens e cancelamento de eventos esportivos na China Reprodução

Nas últimas semanas, um novo tipo de Coronavírus apareceu na China e está tendo consequências de ampla escala. Cerca de 6 mil pessoas já foram contaminadas com a doença, e 132 mortes já foram confirmadas no país asiático.

Nos esportes eletrônicos, o vírus também tem se tornado uma questão a ser discutida. A LPL, liga chinesa de League of Legends, teve sua rodada de retorno após o ano novo chinês adiada, e os eventos da WESG, torneio internacional de diversos esports, foram suspensos por conta da epidemia.

O ESPN Esports Brasil listou as consequências da disseminação do Coronavírus nos esports, visto que a China é um importante epicentro nas competições. Confira:

WESG SUSPENSA

Uma das principais competições de esports do mundo, a WESG teve suas seletivas oficialmente suspensas nesta quarta-feira (29), assim como a final latino-americana do torneio, que aconteceria no Rio de Janeiro no dia 15 de fevereiro e foi “suspensa temporariamente”. O torneio previa competições de DotA 2, PES 2020, Starcraft II e CSGO.

A medida, de acordo com a organização da WESG LATAM, tem a ver com a decisão do governo chinês de “proibir a realização de qualquer evento esportivo e de entretenimento até o mês de Maio, devido ao surto de Coronavírus”.

A seletiva da Ásia-Pacífico já havia sido suspensa na última quinta-feira (23), em tentativa de “limitar as viagens internacionais para controlar a propagação do vírus”.

CHINESES NO MAJOR DE DOTA 2

O Major de DotA 2 mais recente foi finalizado no último domingo (26), e teve como vencedores os chineses da Invictus Gaming. Outras duas equipes do país asiático participaram do DreamLeague Major, em Leipzig, na Alemanha: o Team Aster e a Vici Gaming.

Os jogadores, no entanto, ainda não conseguiram retornar para suas casas ou reverem suas famílias. De acordo com o site VP Esports, nenhum dos três times chineses deixará seus jogadores irem para casa e se reunirem com seus entes queridos, por conta do surto de Coronavírus. A restrição atinge especialmente alguns jogadores da Vici Gaming que são da Província de Huvei, cuja capital é Wuhan, epicentro da doença.

LIGAS DE LEAGUE OF LEGENDS

O cenário asiático de League of Legends tem sido afetado de diversas formas pela epidemia.

A LoL Pro League, liga chinesa do jogo, teve suas rodadas adiadas por tempo indeterminado após a pausa do Ano Novo Chinês. De acordo com a comunicação oficial da liga, o adiamento foi decidido para garantir a saúde e a segurança dos jogadores e torcedores.

Ainda na LPL, a equipe da transmissão em inglês do torneio deixou a China pouco tempo após o anúncio. O treinador Clearlove, da EDG, também foi alvo de preocupações por ter estado em Wuhan nas últimas semanas.

A Pacific Championship Series (PCS), nova liga do sudeste asiático, teve seu início adiado também por tempo indeterminado por precauções com relação à segurança dos jogadores e equipes, assim como pelas consequências das restrições de viagens internacionais impostas pela China.

Já a LCK, torneio da Coreia do Sul, não teve suas atividades adiadas ou suspensas até o momento, mas suspendeu a entrada de plateia no LoL Park, estúdio da liga, também por tempo indeterminado.

PRECAUÇÃO NA OVERWATCH LEAGUE

A franquia chinesa Guangzhou Charge da Overwatch League anunciou nesta terça-feira (28) que mudará temporariamente seu centro de treinamentos para a Coreia do Sul, a fim de proteger seus jogadores do surto da doença.

"Nossa principal prioridade é a saúde e a segurança de nossos jogadores", afirmou a equipe em comunicado divulgado no Twitter.

DESLIGAMENTOS NO CSGO

Dois jogadores do sudeste asiático deixaram a OneThree, time chinês de Counter-Strike, por receio com relação ao surto de Coronavírus. Mou e Dosia não chegaram a disputar partidas oficiais pelo time, e anunciaram também que voltam a ser free agents.

CORONAVÍRUS

O novo tipo de Coronavírus foi registrado pela primeira vez em 31 de dezembro de 2019, em Wuhan, na China. A suspeita é que o vírus tenha vindo de cobras vendidas ilegalmente em Huanan. Ele se manifesta por sintomas como febre, tosse, dificuldade em respirar e falta de ar, com pneumonia e insuficiência renal em alguns casos.

A doença já afetou mais de 6 mil pessoas ao redor do mundo e levou 132 à morte até o momento. As medidas adotadas pela China para impedir a proliferação do vírus incluem suspensão do transporte público em 10 cidades, cancelamento da comemoração do Ano Novo Chinês e restrições sobre viagens internacionais.