<
>

CNB perde apoio de Ronaldo Fenômeno e passará a capacitar jovens talentos nos esports

Ronaldo durante partida da Copa do Mundo Rússia 2018 Getty Images

A história de Ronaldo junto ao CNB e-Sports Club chegou ao fim nesta quinta-feira (16). Ao detalhar os passos que dará no futuro, a organização revelou que o renomado ex-jogador de futebol não faz mais parte do quadro societário. A saída de Fenômeno acontece a poucos dias do ex-craque completar três anos como sócio dos Blumers.

Ronaldo se tornou sócio do CNB em janeiro de 2017 junto com o jogador de poker André Akkari e o diretor-executivo da Brazilian Series of Poker (BSOP) Igor Trafane - que também já não fazem mais parte da organização. Em uma das idas à CNB Arena, naquele ano, o Fenômeno chegou a estudar o pagamento de "bicho" a equipe de League of Legends no caso da mesma conquistar o Campeonato Brasileiro (CBLoL) e prometer um período de treinos na Coreia do Sul.

O futuro do CNB será voltado "na revelação, capacitação e formação de novos talentos e fomento da comunidade", com a organização colocando todos os recursos que possui em projetos que já desenvolve, como o Preparando Campeões, "e em em novos caminhos, principalmente na parte educacional, com cursos e treinamentos".

Em comunicado enviado à imprensa, o diretor executivo do CNB, Carlos Júnior, garantiu que o CNB não deixará de competir no League of Legends. De acordo com o CEO, "o clube continuará competindo com os times de base no chamado 'Tier 3', sempre buscando a evolução dos atletas de base, que serão alçados ao mercado, tendo mais visibilidade e chances de acertar contratos com equipes do Circuito e do próprio CBLoL".

"A nossa peneira já se consolidou e é o maior projeto de revelação de jogadores do mundo. Nenhum outro clube conseguiu colocar no mercado tantos jogadores como nós colocamos. O CNB nasceu com o sonho do meu irmão de viver de games e foi assim que crescemos, buscando e dando oportunidades. Queremos continuar focados e, agora, mais do que nunca, dando ainda mais atenção aos jovens talentos que temos no Brasil. Nossa missão será dar mais espaço e formar jogadores para que estejam prontos para atuarem nas principais equipes do cenário", destacou.

Nessa nova caminhada que a organização trilhará nos esportes eletrônicos, o CNB espera levar os espors a mais pessoas. Para isso, cirou o Blumers4Life, "que buscará promover os esports de forma educacional e também cooperar em diferentes causas beneficentes".

"Através dos nossos projetos já impactamos a vida de centenas de pessoas, tanto na doação de alimentos arrecadados na Arena, como na inclusão ao esport em projetos com o SESC. Queremos expandir ainda mais essa atuação. Claro, estaremos abertos a contatos de empresas que estejam engajadas em contribuir com nossos projetos", concluiu o diretor executivo.

A drástica mudança do CNB nos esportes eletrônicos é consequência do rebaixamento que a organização sofreu no CBLoL, no final da última temporada. Após amargar a sétima colocação na segunda etapa, os Blumers não conseguiram superar Vivo Keyd na Série de Promoção e acabaram caindo para o Circuito Desafiante, campeonato o qual não optaram por disputar e venderam a vaga