<
>

Mesa redonda na Câmara dos Deputados discutirá regulamentação do esport no Brasil nesta quinta

Discussão sobre regulamentação do esport chega à Câmara dos Deputados Vinícius Loures/Câmara dos Deputados

A regulamentação dos esportes eletrônicos no Brasil volta a agitar o Distrito Federal nesta quinta-feira (28). Tudo por conta da mesa redonda que a Subcomissão Especial da Indústria do Esporte da Câmara dos Deputados vai realizar para debater a inovação nos serviços e produtos esportivos

Requerida pelo deputado Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF), a mesa redonda debaterá a “inovação nos serviços e produtos esportivos, como exportação, inovação tecnológica e normatização, e assim colocar em destaque importantes temas de interesse do setor público e privado, enaltecendo investimentos governamentais e agendas de crescimento do setor produtivo nacional”.

Além dos deputados, também estarão presente na mesa redonda o secretário especial do esporte no Ministério da Cidadania, o general Décio dos Santos Brasil, o diretor do departamento de ciência, tecnologia e inovação digital do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações, José Gontijo, e representantes do mercado de esports como o advogado Nicholas Bocchi e o diretor de esports da ABRIESP, Moacyr Alves.

A mesa redonda está prevista para começar às 14h (de Brasília) e você pode assistir clicando aqui.

DISCUSSÕES NO SENADO

Nas últimas semanas, por duas vezes, o Senado sediou na Subcomissão de Esporte e Educação Física audiências públicas para debater a regulamentação dos esportes eletrônicos no País que está sendo proposta no Projeto de Lei 383/17, também conhecido como a “Lei dos Esports”

Na primeira audiência, realizada no início do mês, o senadores puderam ouvir importantes representantes do esport no Brasil que mostraram como o setor privado vem se movimentando para desenvolver o cenário nacional do esporte eletrônico. Já na segunda, na última semana, estiveram presentes nomes ligados as confederações existentes que defenderam o Projeto de Lei.

Uma terceira audiência foi solicitada por diversos atores do cenário competitivo profissional numa carta enviada à senadora Leila Barros (PSB-DF).

A carta enumera diversos pontos nos quais os jogadores e envolvidos dizem ser contra o projeto de lei, e aponta que “não há necessidade de criação de estruturas que ‘controlem’ os e-sports no Brasil”. “Reiteramos que é preciso ter cautela em avançar numa direção que possa desviar o Brasil de uma trajetória até agora muito bem-sucedida e com grande potencial de sucesso num futuro próximo”, diz a carta.

A Senadora informou que o próximo passo será colocar os dois grupos, os que são a favor e os que são contra, para discutir mais o assunto. A data ainda não foi definida, mas está prevista para o início de dezembro.