<
>

ABC retorna ao esport com executiva apontando que modalidade entrará na rotina do clube

ABC vê com bons olhos investir nos esportes eletrônicos Divulgação / ABC

Entendendo que os esportes eletrônicos já são realidade e que estão inseridos numa indústria altamente lucrativa, o ABC Futebol Clube decidiu voltar a mergulhar de cabeça no mundo dos games. Mas o que também motivou o clube nordestino voltar a investir no mercado é porque ele “não é muito valorizado” na região. Foi o que afirmou a gerente de marketing da agremiação, Vivian Perez, em entrevista ao ESPN Esports Brasil.

“O ABC está em processo de formação de outros produtos além do futebol e, por ser um mercado não muito valorizado no Nordeste, eu como gerente de marketing acho que, além de um ótimo investimento para o clube, será ótimo para o mercado da região”, apontou a executiva.

Ainda de acordo com Vivian Perez, “os esports deverão entrar na rotina de eventos pontuais e campeonatos nas dependências do clube. Em paralelo, à procura de novos investidores para a equipe, quem sabe futuramente em uma estrutura dentro do próprio clube”.

A história do ABC nos esportes eletrônicos começou em 2017, com o clube anunciando duas equipes de League of Legends: ABC Stars White e ABC Stars Black. Nesta mesma temporada, a agremiação conquistou torneios realizados no Nordeste, como a Liga RN. O retorno acontece dois anos depois. O primeiro passo foi dado no Pro Clubs de Fifa e mais recentemente a agremiação contratou uma equipe local de Counter-Strike: Global Offensive.

O presidente do ABC eSports, Vitor Hugo Pinheiro, explicou à reportagem que a parceria com o clube do nordestino aconteceu “no mesmo momento que a agremiação se organizava para investir em esportes amadores. O nosso Pro Clubs crescia na modalidade, alcançando competições importantes tanto nacionalmente, como também internacionalmente, e por isso procurávamos o apoio de clubes ou marcas”.

O executivo apontou ainda que o ABC, por meio da gerente de marketing, foram bastante receptivos e solícitos em conhecer sobre o projeto: “Em seguida eles acreditaram na organização do time e expertise dos diretores no cenário de esport. Assim, o clube agregou o esports a um programa que já estava em andamento de incentivo a modalidades amadoras com o intuito de expandir a marca do ABC”.

“A equipe de esport entende que é necessário adicionar modalidades para agregar valor à marca do ABC E-Sports. Então, estamos estudando com atenção quais são as tendências do mercado eletrônico para podermos planejar nossa expansão para outras modalidades. Já tivemos algumas propostas e estamos em etapa de análise. Como exemplo, LoL é outro jogo com alta atratividade e que temos interesse em participar”, completou.

Vitor Hugo explicou ainda o que levou o ABC a investir no Counter-Strike: “Em nossa pesquisa notamos que esse jogo arrasta multidões no Brasil e no mundo, todavia tem pouco incentivo em Natal. Então, acreditamos que existe um público carente na cidade que gostaria de ver essa modalidade evoluindo. Então pretendemos abraçar esse público e crescer junto a eles”.

A montagem do elenco, de acordo com o gerente Arthur Cunha, o ABC decidiu buscar pelos melhores jogadores do estado. O executivo disse também que, inicialmente, o time não contará com uma estrutura física, mas que “para bootcamps e treinos táticos vamos contar com a ajuda de parceiros nesse primeiro momento. Claro que, com o crescimento do time, a ideia é montarmos uma estrutura de Gaming Office junto a estrutura do próprio clube”.

O gerente falou ainda sobre os planos do clube com as ligas de Counter-Strike existentes no Brasil atualmente. “Para o Clutch temos um caminho mais claro, apesar de ser bastante competitivo. A ideia é irmos evoluindo nas ligas e campeonatos da Gamers Club para assim conquistarmos a vaga no Brasileirão e torneios afiliados. Quanto ao CBCS, a entrada é mais complicada por se tratar de um sistema de franquia. Mas, conseguindo desenvolver a marca do ABC dentro do cenário, acho totalmente plausível buscarmos um convite para dentro da liga e podermos ser um representante nordestino”.

O ESPN Esports Brasil conversou também com dois dos jogadores contratados pelo ABC para representar o clube no Counter-Strike. A escalação é composta por por Pulsez0r, MRSChagas, SHiNODA, NoA e Choraboy - sendo comandada por Primer.

MRSChagas afirmou que é “uma sensação diferente quando se joga por um time de esporte tradicional, que tem uma torcida grande por trás. É uma pressão a mais que você recebe, além da sua e dos companheiros de equipe”.

Um dos responsáveis pela montagem do elenco, Pulsez0r apontou que “nosso objetivo de momento é subir as ligas nacionais e nos preparar para os campeonatos em LAN que tiverem”.

Questionados se possuem alguma ligação com o clube, como por exemplo serem torcedores do time de futebol, MRSChagas revelou que o pai “ é sócio patrimonial do clube e sempre que ele me chama nós vamos ao estádio para assistir algumas partidas”. Já Pulsez0r disse que não porque “nunca me interessei muito pelos times locais por falta de incentivo na infância, mas a minha família inteira sempre torceu então com certeza é uma pressão a mais do meu lado”.