<
>

Acerto da Immortals com o Corinthians travou negociação do quinteto da EOX com o clube

Gazeta Press

O Counter-Strike: Global Offensive realmente parece ser a modalidade a qual o Corinhtians quer investir primeiro no retorno aos esportes eletrônicos. O ESPN Esports Brasil apurou que uma equipe brasileira estava apalavrada para se tornar a representante do Timão no jogo, mas que as negociações acabaram travando.

Formada por bnc, trk8, Will1, mawtch e skullz, a EOX Gaming era a preferida para vestir a camisa alvinegra. O acordo, contudo, acabou sofrendo imprevistos por conta da chegada da Immortals no comando do projeto de esports do clube paulista - noticiada pela reportagem há quatro dias.

Fontes próximas a negociação contaram ao ESPN Esports Brasil que houve um tipo de concorrência para a escolha quem tocaria o retorno do Corinthians aos esports. Além da Immortals, também participou desta disputa uma empresa brasileira.

Ainda segundo as informações obtidas pela reportagem, essa outra empresa era quem estava negociando com o quinteto da EOX. Foi ela também que apresentou proposta para os ex-jogadores do Black Dragons ingressarem no Corinthians, que acabou sendo recusada porque a formação esperava o cumprimento de promessas feitas pelo antigo clube.

O acordo entre Immortals e Corinthians envolve a criação de times de Counter-Strike e Free Fire e deve ser similar ao projeto que é tocado pelo Flamengo em parceria com a Go4It. Seria responsabilidade do Timão tomar conta das equipes, enquanto a missão de gerenciamento, captação de patrocínios e logística com os torneios ficaria nas mãos da organização norte-americana. A criação de um espaço dedicado aos times no estádio do clube, localizado em São Paulo.

O ESPN Esports Brasil apurou também que, caso a agremiação paulista tivesse fechado com a empresa brasileira, o time contratado seria um dos participantes do Campeonato Brasileiro de Counter-Strike. Contudo, com a chegada da Immortals a preferência será pelo circuito Clutch.

A reportagem procurou os jogadores da EOX, que responderam que não iriam comentar sobre o assunto. Já a Immortals disse que “é política da companhia não responder sobre negociações, sejam elas hipotéticas ou não”.