<
>

8 jogos após queda do Muro e amistoso no Maracanã: como foi o fim da Alemanha Oriental no futebol

play
Muro de Berlim caiu há 30 anos, mas diferenças dentro e fora de campo na Alemanha seguem até hoje (2:11)

Bundesliga vê diferenças de times da antiga Alemaha Ocidental e Oriental (2:11)

Há quem não se lembre, mas por quase 40 anos a Alemanha contava com duas seleções de futebol – Ocidental e Oriental. A queda do Muro de Berlim há 30 anos marcou o início da reunificação do território e o fim do Estado da República Democrática Alemã – a Alemanha Oriental.

Junto, acabava também a seleção do lado leste do país.

Mas o fim não foi naquele histórico 9 de novembro de 1989 em Berlim, quando a barreira que separava o território em dois foi abaixo. Somente no ano seguinte a Alemanha Oriental se despediu do futebol.

Não foi, porém, da maneira que muitos gostariam. Isso porque a seleção desperdiçou a chance de se classificar para a Copa do Mundo ao perder por 3 a 0 para a Áustria nas Eliminatórias na Uefa – bastava um empate para que a equipe garantisse classificação. O jogo aconteceu apenas seis dias depois da queda do Muro de Berlim.

Apesar da decepção, a equipe voltaria a entrar em campo mais sete vezes - foram cinco vitórias, uma derrota e um empate. Em uma ocasião, a seleção da República Democrática Alemã desembarcou no Rio de Janeiro para um amistoso contra o Brasil. A partida disputada em maio de 1990 terminou em empate por 3 a 3, e contou com a presença de Taffarel, Jorginho, Dunga e Careca no time comandado por Sebastião Lazaroni.

Pouco a pouco as coisas iam se complicando.

Isso porque muitos jogadores começaram a deixar a seleção. Alguns não viam motivo para defender a Alemanha Oriental, talvez pela falta de motivação por conta do cada vez mais iminente fim do Estado, e outros justificavam que já não se consideravam mais um cidadão do leste alemão.

A partida que marcou a despedida foi no dia 12 de setembro de 1990. A Alemanha Oriental enfrentou a Bélgica, em Bruxelas, e venceu por 2 a 0. Ao todo, 22 jogadores recusaram a convocação para defender a equipe e a seleção enfrentou dificuldades para ser montada. No entanto, em campo estava um dos grandes nomes da história do futebol alemão – antes e depois na unificação: Matthias Sammer.

Foi o último capítulo de uma seleção que em 1976 conquistou o ouro Olímpico em Montreal, no Canadá, e que, em 1974, alcançou aquela que talvez foi a sua maior glória: vencer a Alemanha Ocidental na Copa do Mundo.

O futebol, após o fim da divisão do país, sofreu na antiga Alemanha Oriental. Os clubes da região têm figurado como coadjuvantes ao longo dos últimos 30 anos. Somente seis times do leste chegaram a disputar a Bundesliga, com o destaque recente para o sucesso do RB Leipzig.