<
>

Ceni concorda com Tostão e explica por que vê chance maior de sucesso no Cruzeiro que no São Paulo

play
No Cruzeiro, Rogério Ceni se impressiona: 'Não imaginava uma estrutura tão boa, a bola não entra por acaso' (0:27)

Treinador valorizou títulos recentes e condições físicas de trabalho do clube (0:27)

Apresentado como novo treinador do Cruzeiro, Rogério Ceni se vê preparado para fazer mais sucesso no clube mineiro do que obteve no São Paulo. O ex-goleiro concordou com Tostão e ressaltou as mudanças que teve nos últimos dois anos e meio de profissão.

“Eu acho que amadureci mais e acredito que tenha jogadores mais experientes aqui. Mesmo vocês falando de uma eventual crise financeira, é um time que tem peças mais rodadas, que tem jovens talentos, mas agregado com jogadores mais experientes”, falou.

Ele ainda negou que tenha recebido uma oferta oficial do Atlético-MG no começo de 2019.

“O Rui Costa uma vez ligou pra mim, e a situação era completamente distinta. Nós estávamos em meio a uma final de Campeonato Cearense e semifinal de Copa do Nordeste. Eu jamais deixaria a oportunidade de ser campeão. Não há preço para títulos. Eu jamais deixaria essa oportunidade (de ser campeão) passar e sair num momento como aquele. Esse é um momento diferente, (deixei) o Fortaleza campeão cearense, campeão da Copa do Nordeste, numa posição boa na tabela de classificação do Brasileiro. Achei que era um momento para um grande desafio”, disse.

Em uma sala de imprensa lotada, o técnico exaltou a oportunidade de comandar o Cruzeiro. Ele disse que não irá mudar totalmente o jeito da equipe celeste jogar em campo e que pretende buscar a vaga na decisão da Copa do Brasil.

“Isso aqui é um momento mágico na carreira de qualquer pessoa, de poder chegar num clube como o Cruzeiro, bicampeão da Copa do Brasil. Temos esse jogo contra o Inter, em Porto Alegre, com todas as dificuldades, favoritismo pelo resultado do primeiro jogo. Talvez tenha sido um dos grandes fatos que tenha me trazido aqui. Não se joga fora a oportunidade de ser campeão quando se trata de Cruzeiro. Vamos tentar nos reencontrar nessa competição, e principalmente no Campeonato Brasileiro”, disse.

O ex-goleiro fez questão de ressaltar o tamanho do desafio que terá pela frente.

“Pra mim é uma honra, um orgulho muito grande. Um clube que enfrentei muitas vezes, me tirou títulos (risos). Quem sabe a gente possa vencer juntos esse que falta na minha carreira. A camisa é lindíssima, o clube também, o centro de treinamento. Espero que a gente possa corresponder à expectativa. E tentar fazer com que o Cruzeiro, o mais rápido possível, suba na tabela de classificação. O momento em que ele se encontra não condiz com a história do clube".

O treinador de 46 anos assinou contrato até o final de 2020. A estreia será contra o Santos no final de semana pelo Campeonato Brasileiro pela próxima rodada do Brasileiro. A equipe alvinegra é comandada por Jorge Sampaoli, com quem Ceni chegou a ver o trabalho e elogiou.

“O tempo de preparação para o time é curto, os atletas têm o talento individual, têm o conjunto do passado. Vamos tentar melhorar. A cada semana esse time tende a jogar da maneira que eu gosto. Mas o torcedor, sem dúvida nenhuma, é o que pode mover esses atletas para vencer uma equipe que, para mim, é uma das mais ajustadas, das melhores, que jogam um futebol mais envolvente do país", afirmou.

O treinador afirmou que pretende utilizar as categorias de base.

"No São Paulo, quando cheguei, em 2017, o clube não tinha condição de fazer contratações, investir em contratações. Nós puxamos seis ou sete jogadores da base. Jogadores que, juntos, durante aquele mesmo ano, renderam mais de R$ 180 milhões ao clube em vendas. Para mim, futebol não tem idade. Preciso de caras que tenham alma, coração. Aos 20 ou aos 35 anos, se eles deixarem o melhor deles dentro do campo, para mim é o que basta. E eu preciso conhecer um pouco mais esses jovens jogadores”, analisou.

DESAFIOS

O Cruzeiro perdeu a primeira semifinal da Copa do Brasil em casa para o Internacional por 1 a 0. Agora, com Rogério Ceni, precisará reverter o placar no Beira-Rio para sonhar com o tricampeonato do torneio.

No Campeonato Brasileiro, a missão do novo treinador será tirar a equipe celeste, que soma apenas 11 pontos, da zona de rebaixamento (17ª posição).