<
>

Marreta diz que venceu Jon Jones, fala em revanche e afirma sobre lesões: 'Eu não ia desistir, eu não ia parar'

Thiago "Marreta" Santos se tornou o primeiro lutador na história do UFC a vencer Jon Jones na contagem de, pelo menos, um dos três árbitros. Isso aconteceu no dia 6 de julho, em Las Vegas, quando os dois lutaram por cinco rounds de cinco minutos pelo cinturão dos meio-pesados.

Infelizmente para o brasileiro (21-7), os outros dois árbitros da luta marcaram 48-47 para Jones (25-1), que defendeu o seu título.

Esse foi, no entanto, um feito histórico para Marreta, ainda mais impressionante pelo fato de ele ter se lesionado seriamente no primeiro round. Seu joelho esquerdo estava visivelmente instável durante a luta. Ele acabou rompendo todos os ligamentos do joelho esquerdo e o menisco, além de ter rompido parcialmente um ligamento do joelho direito.

O brasileiro de 35 anos foi submetido à cirurgia logo após a luta e atualmente está se recuperando em Las Vegas. A ESPN conversou com Marreta para relembrar o que aconteceu naquela noite e discutir os próximos passos de sua carreira.

ESPN - No final do mês passado, você escreveu no Twitter que sua perna doía tanto que você tinha medo de ir ao banheiro. Como você está se sentindo agora?

Marreta - Estou me sentindo um pouco melhor. As primeiras semanas foram muito dolorosas e difíceis, mas a cirurgia foi um sucesso e estou me recuperando muito bem. Eu estarei em Las Vegas por dois meses me recuperando. O tempo médio de recuperação é de seis a oito meses. Cada pessoa é diferente, mas estou fazendo todo o possível para voltar o mais rápido.

ESPN - Como foi lidar com a dor durante a luta e, posteriormente, com a dor da derrota em uma luta de cinturão?

Marreta - A dor foi bem intensa durante a luta. Em uma escala de 1 a 10, era 8 - mas o verdadeiro problema era que eu não tinha estabilidade no joelho esquerdo. Se eu tivesse estabilidade, teria continuado lutando como eu pretendia. Sou muito competitivo e foi difícil perder, mas, ao mesmo tempo, superei a difícil situação e consegui continuar lutando. Muitas pessoas me disseram que acharam que eu venci, então isso ajudou. Mas uma derrota é sempre difícil.

ESPN - Você disse que sofreu a lesão no primeiro round. Acha que lesionou mais ainda o joelho por ter continuado chutando?

Marreta - Certamente, quanto mais eu continuava tentando, mais piorava a situação. Eu tive que continuar mudando de base e colocando mais peso no outro joelho, e foi assim que eu machuquei outro joelho também. A decisão de continuar lutando causou muito mais dano, sem dúvida.

ESPN: Você tomaria a mesma decisão outra vez?

Marreta - Sim, eu faria de novo.

ESPN: Qual foi o maior efeito que a lesão teve no seu desempenho?

Marreta - Isso atrapalhou o que eu tinha feito melhor até aquele ponto, que era o meu movimento - entrando e saindo, explodindo. Eu não era capaz de usar minha arma mais forte por causa disso. Esse sou eu, no entanto. Eu não ia desistir. Eu não ia parar, nem com apenas uma perna. Virou uma coisa mental. Eu nasci nas favelas brasileiras, e não esqueça, passei sete anos nas forças especiais brasileiras. Não existe isso de desistir. Não é uma opção.

Toda a minha vida tem sido assim. Quando eu tinha 6 anos, tive uma séria cirurgia na barriga. Eu tinha dois caroços - dois cistos - no meu umbigo, e as pessoas não sabiam como tratar. Eu acabei sendo salvo pela cirurgia duas semanas antes de os cistos me matarem. Quando eu tinha 10 anos, minha família perdeu tudo o que possuíamos em uma enchente. Minha vida tem sido cheia de obstáculos.

ESPN - Você já assistiu à luta? Se sim, acha que ganhou?

Marreta - Sim, eu vi uma vez. É difícil de assistir. Por isso que demorei tanto para assistir. Se eu fosse árbitro, eu teria dado essa luta para o Thiago Marreta. Acho que ganhei os rounds 1, 2 e 5. Acho que o fato de Jones ser o campeão pesou na decisão dos árbitros. Eu acho que o desafiante tem que fazer mais para tirar o cinturão do campeão.

Tem que haver uma revanche. Assim que eu estiver 100%, nós temos que voltar lá e descobrir quem é o verdadeiro vencedor.

ESPN - Você acha que o UFC e Jones lhe darão essa oportunidade?

Marreta - É difícil por causa do jeito que o UFC lida com algumas decisões, mas eu não estou focado nisso agora. Estou focado em me recuperar e, quando estiver saudável, meu foco ainda será se tornar um campeão. Eu voltarei forte e conseguirei isso.