<
>

Vôlei e homofobia - Maurício Souza, agora no Instagram, volta a pedir desculpas 'a quem tenha ofendido', mas diz: 'A gente não pode mais dar opinião'

play
Maurício Souza: 'Vim aqui pedir desculpas a todos aqueles que se sentiram ofendidos por eu defender aquilo que acredito' (3:38)

Jogador de vôlei foi dispensado do Minas Tênis Clube por homofobia - via @mauriciosouza17 (3:38)

Central Maurício Souza, agora ex-Minas Tênis Clube, voltou a se manifestar, desta vez na rede social que tem quase 330 mil seguidores e não no Twitter, como fez na terça-feira (26), em conta que tinha menos de 50 fãs quando fez a postagem


Maurício Souza, agora ex-jogador Minas Tênis Clube, voltou a se manifestar em meio à polêmica gerada por postagens que fez recentemente em sua rede social com mais seguidores que foram consideradas homofóbicas. Nesta quarta-feira (27), o central da seleção brasileira masculina de vôlei postou um vídeo de 3m38s em sua conta conta no Instagram, atualmente com 329 mil seguidores, no qual voltou a pedir desculpas "a todos que se sentiram ofendidos com a minha opinião, por eu defender aquilo que eu acredito", mas também falou fortemente na linha de ter o direito a se posicionar, a dar a sua opinião.

Entre outras coisas, lembrou que já jogou com vários homossexuais e que nunca os desrespeitou, que não vê o que postou e o que defende como crime - "... se fosse crime a polícia já tinha vindo aqui em casa me prender..." -, que viu não estar sozinho e se disse triste.

"Eu fico triste com tudo que está acontecendo porque, infelizmente, a gente não pode mais dar opinião, a gente não pode mais colocar os valores acima de tudo, valores de família, valores do que a gente acredita, mas os valores de vocês a gente tem que respeitar a qualquer custo, senão a gente é taxado como homofóbico, como preconceituosos. Eu não concordo com isso, tá bom."

Aparentando um tom sereno e pacífico, embora firme em suas posições, falou "não precisamos brigar por isso" e "mas o que eu acredito ser certo não é o que você acredita ser certo, e a gente tem que conviver com isto, cada um respeitando o outro".

Maurício Souza também comentou a pressão de patrocinadores do Minas para que ele se retratasse e fosse punido (está afastado por tempo indeterminado e será multado.

"Eu estou passando por dificuldades no time, talvez eu venha a sair do time por conta de uma opinião... Mas, se eu sair do time, pode ter certeza que eu vou arrumar outro time para jogar, porque eu jogo não é porque eu sou bonitinho ou porque eu sou grande, não, eu jogo é porque eu sou competente...", disse.

Veja abaixo, na íntegra, o que Maurício Souza falou:

“Fala, pessoal, tudo bem? Aqui é o Maurício Souza.

Eu vim aqui pra pedir desculpas a todos que se sentiram ofendidos com a minha opinião, por eu defender aquilo que eu acredito, não foi minha intenção, assim como vocês defendem o que vocês acreditam, eu também tenho o direito de defender o que eu acredito. Tá certo, não precisamos brigar por isso.

Respeito todos, sempre respeitei dentro e fora de quadra, joguei com vários homossexuais, nunca desrespeitei, sempre fiz amizade, tá bom, então, isto não justifica. Não só homossexuais, como também lésbicas, enfim, todo gênero... toda pessoa do gênero diferente. Tá bom.

Eu fico triste com tudo que está acontecendo porque, infelizmente, a gente não pode mais dar opinião, a gente não pode mais colocar os valores acima de tudo, valores de família, valores do que a gente acredita, mas os valores de vocês a gente tem que respeitar a qualquer custo, senão a gente é taxado como homofóbico, como preconceituosos. Eu não concordo com isso, tá bom.

Eu estou passando por dificuldades no time, talvez eu venha a sair do time por conta de uma opinião, a vontade de vocês foi essa e está sendo acatada. Tá bom. Hoje em dia, a gente não pode mais dar opinião sobre nada, a gente vai ser penalizado.

Mas, se eu sair do time, pode ter certeza que eu vou arrumar outro time para jogar, porque eu jogo não é porque eu sou bonitinho ou porque eu sou grande, não, eu jogo é porque eu sou competente, assim como homossexuais jogam porque eles são competentes, não porque eles são homossexuais. Tá certo.

Infelizmente, chegamos a este ponto. Os patrocinadores repudiaram, eu não sei o que eu fiz, se foi algum crime, se fosse crime a polícia já tinha vindo aqui em casa me prender. Eu acho que não foi crime nenhum o que eu fiz. Foi apenas defender o que eu acredito e colocar minha opinião em cima disso. Se isso ofendeu alguém, mais uma vez eu peço desculpas, não foi minha intenção. Tá certo.

Um beijo a todos, obrigado a todos que me apoiaram aí, que pensam como eu, e eu vi hoje realmente que eu não estou sozinho nessa luta, tá bom, que eu não quero que seja luta, eu quero que seja união. As pessoas têm que parar de separar, como eu sempre falo aqui no meu Instagram, temos que parar com esta separação.

Mas o que eu acredito ser certo não é o que você acredita ser certo, e a gente tem que conviver com isto, cada um respeitando o outro. Não é porque eu coloco uma coisa que eu acredito ser certo que vai te ofender, como você também coloca uma coisa que eu não acredito ser certo que eu vou te agredir, tentar com palavras converter sua cabeça, jamais! Cada um tem sua opinião, o livre arbítrio pra fazer o que bem entende. Assim como eu faço o que eu bem entendo. O preço, eu estou pagando, e eu vou pagar, tá bom, não tem problema nenhum. E eu vou continuar jogando, eu vou continuar fazendo aquilo que eu tenho que fazer. Um beijo a todos.!

Entenda o caso

Maurício Souza, atleta do Minas até esta quarta-feira à tarde, foi afastado na última terça-feira (26) por tempo indeterminado e irá ser multado após ter dado declarações consideradas homofóbicas nas redes sociais nesta semana.

Após o clube de Belo Horizonte anunciar a punição e cobrar-lhe uma retratação pública, o central publicou na terça-feira um comunicado em sua página no Twitter, que contava na manhã desta quarta com 569 seguidores (no momento da postagem, um dia antes, eram menos de 50), número muito inferior aos quase 330 mil fãs possui no Instagram, sua rede social mais ativa.

“Pessoal, após conversar com meus familiares, colegas e diretoria do clube, pensei muito sobre as últimas publicações que eu fiz no meu perfil. Estou vindo a público pedir desculpas a todos a quem desrespeitei ou ofendi, esta não foi minha intenção”, escreveu Maurício.

A manifestação aconteceu horas após a montadora Fiat, que é patrocinadora master da equipe de vôlei do Minas Tênis Clube, emitir nota oficial cobrando um posicionamento da agremiação em relação às declarações homofóbicas do atleta.

Após o posicionamento da Fiat, foi a vez de o próprio Minas Tênis Clube se manifestar sobre a polêmica, anunciando o afastamento temporário do central.

“O presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, se reuniu com o atleta Maurício Souza esta tarde e lhe informou sobre o seu afastamento por tempo indeterminado do Fiat/Gerdau/Minas. O atleta também recebeu uma multa e foi orientado a fazer uma retratação pública imediata.”

“O Minas Tênis Clube reforça que não aceita e não aceitará manifestações intolerantes de qualquer forma e que intensificará campanhas internas em prol da diversidade, respeito e união, por serem causas importantes e alinhadas com os valores institucionais”, disse o clube.

Uma das vozes mais ativas do vôlei nas questões LGBTQIA+, Douglas Souza usou sua conta no Instagram para se posicionar sobre as manifestações do companheiro de seleção brasileira.

O ponteiro, que atualmente defende o Vibo Valentia (ITA), conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro ao lado de Maurício Souza. Os dois estiveram com o time brasileiro na Olimpíada de Tóquio, em 2021.

“Obrigado Fiat pelo posicionamento! Obrigado por entender que homofobia não é liberdade de expressão ou opinião. Esperamos mais novidades. O famoso 'não vai dar nada', né? Toda vez a mesma coisa, cansado disso de sempre ter falas criminosas e no máximo que rola é uma 'multa' e uma retratação nas redes socais. Até quanto?”, escreveu o jogador.

“Feliz pelas empresas se juntando contra e triste por atletas tentando passar o pano nisso. Vergonhoso. Todos os dias, todas as horas um dos nossos morre. O que temos? Uma retratação...”

Super-homem e o estopin de tudo

Nas últimas semanas, Maurício Souza fez diversas postagens consideradas homofóbicas em suas redes sociais. A que mais repercutiu, contudo, é aquela em que o central critica a editora DC Comics por ter revelado que o personagem Super-Homem irá se descobrir bissexual.

"Ah, é só um desenho, não é nada demais... Vai nessa que vai ver onde vamos parar…", escreveu o jogador, com a imagem do Super-Homem beijando um rapaz.

A postagem de Maurício teve reação imediata do ponteiro Douglas Souza, companheiro do central na seleção brasileira de vôlei. Douglas, que é homossexual assumido, não direcionou mensagem a Souza, mas ficou claro que se tratava de um "recado".

"Engraçado que eu não 'virei heterossexual' vendo os super-heróis homens beijando mulheres… Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade para a sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo sim. Obrigado, DC, por pensar em representar todos nós e não só uma parte", postou o ponteiro.

Também devido à polêmica, a Torcida Independente Minas, principal organizada do Minas Tênis Clube, rompeu com Maurício Souza e afirmou que passará a ignorar o atleta, sem fazer qualquer menção a ele durante jogos e também nas redes sociais.

"Nas últimas semanas, o atleta repetiu posicionamentos homofóbicos e manifestações preconceituosas. A Independente não pode se calar. Homofobia é crime inafiançável no Brasil, passível de cadeia. No ano passado, 224 LGBTs foram assassinados no país, um dos mais violentos do mundo. É inaceitável que tenhamos que ver, calados, atos criminosos serem cometidos por um jogador que veste a nossa camisa como se fossem normais", escreveu a uniformizada.

"Uma vez que o central foi contratado com a anuência do clube e patrocinadores, a Independente se manifesta de forma a repudiar os comportamentos e adotará a postura de invisibilizá-lo. Em reunião, a comitiva da Independente decidiu que irá ignorar o atleta Maurício Souza nas redes sociais, jogos e manifestações”.

“O apoio ao time, ao projeto e aos demais atletas permanecerá como sempre. O que homofóbicos querem é palco para reverberar seus preconceitos, e não será por meio de nós que isso ocorrerá. Quando um torcedor é discriminado, para nós, é como se todos fossem", completou.

Também por meio de nota, o Minas afirmou que todos os atletas da equipe "têm liberdade para se expressar livremente em suas redes sociais".

O time afirmou que é "partidário, apolítico e preocupa-se com a inclusão, diversidade e demais causas sociais", e salientou que não aceita "manifestações homofóbicas, racistas ou qualquer manifestação que fira a lei.

"A agremiação salienta que as opiniões do jogador não representam as crenças da instituição sociodesportiva. O Minas Tênis Clube pondera que já conversou com o atleta e tem o orientado internamente sobre o assunto", finalizou o Minas.