<
>

Australian Open: Djokovic fora, Nadal em busca de recorde, retorno de Osaka e tudo o que você precisa saber

Primeiro Grand Slam do ano começa neste domingo com megacobertura dos canais ESPN e todas as quadras disponíveis no Star+


Chegou a hora do primeiro Grand Slam da temporada de 2022 do tênis, o Australian Open, que terá transmissão exclusiva pelos canais ESPN e com TODAS as quadras com transmissão pela ESPN no Star+. Novak Djokovic será a principal ausência, depois de grande polêmica, mas Rafael Nadal, Ashleigh Barty, Daniil Medvedev, Naomi Osaka e todas as maiores estrelas do tênis mundial estarão em Melbourne nas próximas duas semanas em busca da taça.

Por isso, o ESPN.com.br preparou um guia para o fã de esportes ficar por dentro de tudo que acontece no torneio, que começa neste domingo (16) e vai até 30 de janeiro.

*Conteúdo patrocinado por Ademicon, Vivo, Sankhya, Sportingbet e Mitsubishi

Djokovic, a grande polêmica e ausência

Depois de uma verdadeira "saga", Novak Djokovic não poderá tentar seu quarto título consecutivo do Australian Open, que seria o 10º no geral.

A decisão saiu apenas na manhã deste domingo, véspera do início da chave principal. O visto do tenista foi cancelado pelo governo local desde o início, após o sérvio não apresentar prova de vacinação contra a COVID. Djokovic, porém, conseguiu reverter a situação temporariamente e entrar no país.

Depois disso, o ministro de imigração australiano, Alex Hawke, revogou o pedido e retirou o visto do tenista novamente a três dias da competição. A última batalha jurídica teve resultado divulgado neste domingo, e Djokovic perdeu: será deportado da Austrália e, claro, não jogará o Grand Slam.

Djokovic, que foi infectado pelo coronavírus em dezembro, tentava receber uma exceção médica das autoridades sanitárias locais, que disseram que os tenistas que aplicaram esse recurso poderiam entrar no país, desde que comprovado que foram infectados nos últimos seis meses.

O número 1 do mundo aplicou para o visto errado, admitiu que foi a compromissos profissionais mesmo sabendo que havia testado positivo e criou uma bagunça por se recusar a se vacinar contra a COVID.

Nadal em busca de recorde

O espanhol retornou ao circuito neste ano após quase seis meses parado por conta de uma lesão. Ele - assim como seria com Djokovic - chega na Austrália empatado com Roger Federer com o recorde de 20 títulos de Grand Slam cada.

Ou seja, se Nadal vencer o título, teremos o primeiro jogador da história com 21 taças de Grand Slam.

Djokovic é o maior campeão do torneio com 9 títulos, enquanto Nadal tem apenas uma taça, em 2009.

Osaka de volta aos Slams

Bicampeã do Australian Open (2019 e 2021), Naomi Osaka joga apenas seu segundo torneio desde o US Open, quando disse que faria uma nova pausa na carreira para cuidar de sua saúde mental.

A japonesa abandou o WTA de Melbourne na última semana com uma lesão no abdômen e busca retomar a melhor forma.

Alguém manterá a 'democracia' no feminino?

Enquanto nos homens os títulos de Slam têm ficado nas mãos dos favoritos, dos últimos 19 Majors no feminino, vimos 14 campeãs diferentes.

As únicas a repetirem um título neste período foram Simona Halep, Ashleigh Barty e Osaka. De lá para cá, vimos nomes como Barbora Krejcíkova, Iga Swiatek e mais recentemente Emma Raducanu erguerem taças de Grand Slam. Quem será a surpresa da vez?

Barty é a número 1 do mundo com sobras e grande favorita entre as mulheres. Ela busca quebrar um tabu de 44 anos sem títulos de uma australiana no seu Grand Slam.

A briga pelo número 1 entre os homens

Fora do Australian Open, Djokovic pode ser também desbancado como número 1 do mundo após dois anos de reinado.

Para isso, basta Daniil Medvedev ser campeão da competição. Outro que pode assumir a liderança é Alexander Zverev, também em caso de título.

E os brasileiros?

Nas duplas, o Brasil vem recheado com os multicampeões de Grand Slam Bruno Soares, ao lado de Jamie Murray, e Marcelo Melo, com Ivan Dodig, buscam mais um título. Marcelo Demoliner também está na chave com Marcus Daniell.

Em simples, o Brasil será representado na chave principal por Bia Haddad Maia e Thiago Monteiro.