<
>

Ancelotti fica inconformado com racismo contra Vini Jr., ataca LaLiga e dispara: 'Nada vai acontecer. Nada acontece'

As cenas lamentáveis de racismo contra Vinicius Jr. na derrota do Real Madrid para o Valencia neste domingo (21), no Estádio Mestalla, deixaram Carlo Ancelotti extremamente irritado após a partida, a ponto do técnico italiano não medir palavras contra LaLiga.

Em entrevista ao Movistar, o treinador do Real Madrid se recusou a falar sobre o desempenho da equipe, repetindo que "não queria falar de futebol", e focou todas as respostas nas ofensas direcionadas ao atacante brasileiro.

Ancelotti disse que Vinicius Jr. queria deixar o campo após ser alvo dos gritos de "macaco" de praticamente toda a torcida do Valencia, mas acabou ficando - e pouco depois foi expulso. Em tom bastante inconformado com a situação, o técnico disparou contra a falta de ações de LaLiga e disse que a organizadora do Campeonato Espanhol tem um problema a resolver.

"Quer falar de futebol? Ou de outra coisa? Eu não quero falar de futebol. Quero falar sobre o que aconteceu aqui, acho que é mais importante que uma derrota", começou Ancelotti.

"Não estou agressivo, estou muito calmo, e o que aconteceu hoje não pode acontecer. É muito evidente. Um estádio gritando 'macaco' a um jogador. Um treinador que precisa pensar em tirar este jogador por isso... Há algo ruim que acontece nesta liga", continuou o italiano.

"Ele não queria continuar. Depois, eu disse que não parecia justo ter que parar a partida. Porque não é sua culpa, você é a vítima. E ele seguiu jogando. Depois, deram um cartão vermelho sem sentido, porque não foi uma agressão. Dito isso, temos um problema. Eu não tenho, para mim, o Vinicius é o jogador mais importante do mundo. LaLiga tem um problema".

Essa não é, nem de longe, a primeira vez que Vinicius Jr. é alvo de racismo em jogos do Real Madrid na Espanha. Só que, ao contrário das outras, o atacante se mostrou completamente indignado e não deixou barato. Chegou a apontar para um torcedor que o ofendia atrás de um dos gols e se envolveu em um tumulto com atletas do Valencia.

Ancelotti voltou a defender o brasileiro de forma bastante incisiva e voltou a repetir que a partida deveria ter sido paralisada e não voltar.

"Neste episódio de racismo, para mim, a partida precisa parar. Não foi uma pessoa gritando 'macaco', como em muitos estádios. Foi o estádio insultando um jogador por racismo. A partida tinha que parar, e eu diria o mesmo se estivéssemos ganhando por 3 a 0. Não há outra maneira, porque a imagem é muito ruim", afirmou o treinador, que disse como o brasileiro reagiu no vestiário.

"Ele está muito triste, irritado. É tristeza, tristeza. Isso não pode acontecer. A reação foi muito normal para um jogador que, como eu disse... Não há 'mas'. Não há. Um estádio proferiu insultos racistas. Um estádio inteiro. Vamos ver o que acontece. Estou muito curioso para ver o que acontece", desafiou Ancelotti.

"Nada vai acontecer. Normalmente, nada acontece. Porque aconteceu muitas vezes, em muitos estádios. E o que aconteceu? Nada. Não sei (o que quero aconteça). Eles têm que avaliar bem a situação, é bastante grave".

Próximos jogos do Real Madrid