<
>

Resumo da 1ª rodada dos Playoffs da NFL: possível fim de Brady, sacrifício dos Eagles e volta por cima de Cousins

play
E agora, Brady: será que acaba assim? A grande nuvem de incerteza sobre os Patriots na NFL (3:06)

A melhor sequência de um quarterback na história pode acabar com amargor já em 2020 (3:06)

Que fim de semana!

O fã da NFL vibrou com quatro jogos no sábado e domingo de primeira rodada dos playoffs, o famoso Wild Card Round. E não faltou emoção.

As quatro partidas foram decididas só no final, com menos de uma posse de vantagem, sendo duas delas na prorrogação.

Favoritismo? Três dos quatro campeões de divisão foram eliminados jogando em casa!

E se você perdeu algo – ou se quer relembrar a loucura dos playoffs – leia o resumo do ESPN.com.br sobre o Wild Card.

DOIS TEMPOS, DUAS MEDIDAS

O sábado começou com o Buffalo Bills indo ao Texas e jogando muito no primeiro tempo diante do Houston Texans. A forte defesa não permitiu nenhum ponto aos donos da casa e fez barulho pressionando Deshaun Watson.

E o ataque dos visitantes saiu do vestiário com tudo, abusando de lances diferentes, movimentações antes do início da jogada e corridas com o quarterback Josh Allen. E o passador multifunção não só correu, como também recebeu passe. Este, lançando pelo recebedor John Brown, foi o primeiro touchdown do jogo!

E até na comemoração o time de Buffalo foi criativo e inverteu as coisas. Após receber o passe para TD, Josh Allen imitou John Brown (que dessa vez havia lançado o passe).

A primeira etapa acabou 13 a 0 para os visitantes, que chegaram a ter 16 pontos de vantagem. Mas aí, Deshaun Watson colocou o jogo debaixo de seu braço e começou a desequilibrar...

Com 247 jardas passadas e 55 jardas terrestres, o quarterback dos Texans virou o jogo no último quarto para 19 a 16. Nos últimos segundos, os Bills empataram e levaram o jogo para a prorrogação. E foi no tempo extra que Watson voltou a brilhar, garantindo a classificação de um jeito que só as leis da física podem explicar de maneira apropriada...

O FIM DE TOM BRADY?

A temporada do New England Patriots não era das melhores, mas ninguém duvida da capacidade dessa equipe. E o time de Tom Brady chegou a abrir vantagem na segunda partida do sábado, diante do Tennessee Titans, no melhor estilo da Nova Inglaterra.

O quarterback fingiu que estava discutindo com Julian Edelman, que teria errado seu posicionamento, e logo depois... Touchdown!

Mas a noite teria outra estrela: Derrick Henry. Líder em jardas terrestres na temporada regular, o “Avatar” (porque ser humano esse rapaz não parece ser) somou outras 182 na rodada de Wild Card e foi responsável pelo ataque dos Titans conseguir virar o jogo para 14 a 13 antes do intervalo.

O ataque dos Patriots, fraco durante toda a temporada, manteve as dificuldades nos playoffs e não anotou nenhum ponto no segundo tempo, parecendo fora de sincronia em todos os momentos. Ou, melhor, em quase todos...

Com segundos restantes no cronômetro e já quase sem esperanças, Brady – que não garantiu que voltará a jogar na próxima temporada – ainda tentou um último lançamento, que acabou em interceptação retornada para touchdown por Logan Ryan, ex-jogador dos Patriots. Será que a carreira do grande Brady acabará assim?

‘YOU LIKE THAT?’

O domingo começou com oNew Orleans Saints, maior favorito da rodada, recebendo o Minnesota Vikings no temido Superdome. Mas o potente ataque da casa não atuou como esperado e quem foi assistir ao lendário quarterback Drew Brees acabou vendo outro atleta da posição, Taysom Hill, fazer de tudo. Ele passou a bola, correu com ela, recebeu passes e até fez bloqueios.

Mas as 125 jardas totais de Hill não foram o suficiente. Quem roubou a cena foi Kirk Cousins, o quarterback visitante que tinha fama de amarelão, mas finalmente jogou muito no maior palco de sua carreira. Os Vikings chegaram a abrir dez pontos de vantagem no último quarto, cederam o empate nos segundos finais e mataram o jogo na primeira posse de bola da prorrogação.

O lance decisivo, contudo, foi polêmico. Na terceira descida para o ‘goal’, Cousins jogou a bola para o alto, Rudolph escorou o adversário com a mão e ganhou a disputa com o marcador PJ Williams para receber o touchdown da vitória. Ano passado, os Saints foram eliminados por um admitido erro de arbitragem da NFL, e desta vez eles reclamam de novo.

Polêmica à parte, os Vikings comemoram muito no vestiário. E Kirk Cousins, muito criticado por performances ruins nas horas decisivas, levou os companheiros à loucura com sua célebre frase: “You Like That?”

EAGLES NO SACRIFÍCIO, MELHOR PARA OS SEAHAWKS

A rodada de Wild Card terminou com o Seattle Seahawks visitando o Philadelphia Eagles. E os donos da casa, que já sofreram com muitas lesões durante toda a temporada, tiveram que ver seu quarterback sair do jogo ainda no primeiro tempo com uma concussão.

Mas os visitantes também tinham seus problemas. Seus três principais corredores estão fora da temporada por causa de lesão e o velho ídolo Marshawn Lynch, que estava aposentado, foi chamado de volta para cobrir o buraco. E, claro, deu conta do recado atropelando os adversários.

Quem também atropela é D.K. Metcalf. O recebedor calouro, que esbanja forma física com 1,93m, 104 kg e velocidade de corredor de 100 metros rasos, conseguiu um touchdown muito longo para dar vantagem de 17 a 6 no começo do terceiro quarto, vantagem essa que Philadelphia nunca conseguiu tirar.

A lesão de Wentz no primeiro tempo, porém, foi o assunto após a partida. Jadeveon Clowney, que deu a pancada com seu capacete no capacete do quarterback rival, garantiu que não o fez por querer.

No vestiário dos Eagles, entretanto, muita gente não gostou. Zach Ertz foi um dos que deu entrevista depois do jogo e afirmou que o lance merecia ao menos uma falta. O tight end, um dos que jogou no sacrifício, também falou sobre como sua semana foi difícil com lesões sérias.

Isso que é dar o sangue pelo time!