<
>

Bellator: Patricky Pitbull analisa próximos rivais e não descarta luta contra algoz de irmão: 'Seria uma boa presa'

Campeão peso-leve do Bellator, Patricky Pitbull não descartou a possibilidade de encarar AJ Mckee, algoz do seu irmão, Patrício, para defender o cinturão


No último dia 5 de novembro, Patricky Pitbull chegou ao lugar mais alto da categoria dos pesos-leves (70 kg) do Bellator, quando nocauteou Peter Queally logo no primeiro round, em evento que aconteceu em Dublin (IRL). Depois da conquista, o brasileiro virou o principal alvo da divisão, o que aumentou a responsabilidade em busca da manutenção da coroa.

Dessa maneira, Patricky, em entrevista exclusiva à reportagem da "Ag. Fight", analisou as opções de adversários que deve ter pela frente na companhia. O brasileiro admitiu que deve enfrentar Brent Primus, que já foi campeão da categoria em 2017, em sua primeira defesa de título e não perdeu a chance de provocá-lo.

Tem o Brent Primus e Sidney Outlaw, que são dois caras fortes. Tem esses dois e o Primus é o nome a entrar como a primeira opção do cardápio. Ele ganhou do Ben Henderson, falou uma besteirinha, então a mídia está em cima. Ele teve a chance de lutar comigo duas vezes, mas correu. Agora que estou com cinturão, vai querer me enfrentar. Agora criou coragem para vir lutar comigo”, disparou o potiguar de 35 anos.

Além dos dois nomes mencionados por Patricky, também existe uma outra opção para o lutador e que ele teria um sabor especial de encarar. Trata-se de AJ Mckee, algoz de Patrício Pitbull na disputa do cinturão do peso-pena (66 kg). Questionado sobre esse possível duelo, o brasileiro deixou essa situação nas mãos do rival, mas adiantou que gostaria de retribuir o ‘presente’ que seu irmão lhe deu no passado na companhia.

“Vai depender dele. Ele vai ter que defender o cinturão agora. Ele deve estar com moral com a organização, mas se subir de categoria vou estar pronto para ele e vou devolver o presente que meu irmão me deu vencendo do Michael Chander e me dado o cinturão. Ele não sabe o que está esperando na categoria de cima”, disse, emendando.

“Ele vai cair com o Pitbull mais perigoso e malvado, não gosta de brincar com as presas. Meu irmão gosta de analisar os adversários, ser mais cauteloso e eu sou diferente. Se ele quiser brigar, só dar o primeiro passo para frente. (…) Ele é novo, não sabemos o que ele planeja. Mas ia ser uma presa boa para mim, com certeza”, completou o campeão.

No MMA profissional desde 2005, Patricky Pitbull soma 24 vitórias e dez derrotas na modalidade. O potiguar está no Bellator há mais de dez anos e agora vive seu momento de maior destaque. Além do triunfo sobre Queally que lhe deu o título, o lutador teve resultados positivos de destaque na liga, como os em cima de Ben Henderson, ex-campeão do UFC, e Josh Thomson, ex-detentor do título do Strikeforce.