<
>

UFC: Johnny Walker 'calcula' volta por cima até o cinturão e segue sonhando com Jon Jones: 'Vamos tirar essa luta do videogame para a vida real'

play
Johnny Walker esbanja confiança para bater em Spann, imbatível há oito lutas: 'Vai ser uma grande vitória para mim' (0:31)

Brasileiro procura se recuperar de duas derrotas seguidas no UFC (0:31)

Johnny Walker começou sua caminhada no UFC com tudo: três lutas, três vitórias no 1º round e três prêmios de performance da noite. Depois disso, foram duas derrotas, e hoje ele sobe no octógono buscando uma volta por cima.

Entretanto, essa não seria a primeira na vida do brasileiro, que conversou em exclusividade com a ESPN Brasil e relembrou sua história de superação.

"Tudo de errado na minha vida já tinha acontecido, tinha que acontecer alguma coisa boa, e o prêmio de tanta coisa ruim que eu já tive foi recompensado. Como a maioria dos lutadores, sou guerreiro. A gente começa do nada, de família humilde, nunca tivemos muitas oportunidades na vida, e eu sempre fui muito focado. Passei muita humilhação na mão de treinador, já dormi em academia, em condições não muito confortáveis, no tatame", conta.

"Tinha que lutar para sobreviver", Johnny Walker ao relembrar seu momento de superação na Escócia

Em um de seus momentos mais difíceis, Johnny viu promessas o levarem à Escócia, mas elas passaram longe de serem cumpridas: "Quando fui morar na Escócia não sabia falar inglês, não tinha dinheiro. Eu sai do Brasil com a promessa de que um cara ia me patrocinar, ia ter comida, suplemento, lugar para dormir e até um salário de 1.400 libras. Depois do primeiro mês lá a comida já foi cortada pela metade, o cara falou que eu comia muito, aí não teve dinheiro e ele me deu umas 200 libras... Eu marquei algumas lutas, continuei lutando na dificuldade, tinha que fazer dinheiro para pagar a luz, energia, gás para ter aquecedor e não dormir no frio, comida. Tinha que lutar para sobreviver".

Mesmo assim, ele conseguiu três vitórias e dois títulos, chamando atenção e ganhando uma vaga no Contender Series do UFC.

play
2:53

Johnny Walker revela dificuldades que passou: 'Já deu tudo de errado na minha vida; lutei para sobreviver'

Lutador brasileiro já teve promessas não cumpridas na Escócia, onde conquistou dois cinturões

Nessa noite, o adversário é Ryan Spann, que não perde há oito lutas. Mas isso não assusta o brasileiro, que mostra muita confiança:

"Estou bem animado para esse combate, é uma luta bem boa para mim, eu gosto de lutar com caras duros, ele está vindo de oito vitórias seguidas, então vai ser uma grande vitória... Para mim. Eu batendo nele. Ele é forte, alto. Estudei bastante o jogo dele, assisti todas as lutas dele, fiz um game plan para bater nele. Está tudo certo, tudo encaminhando perfeitamente, a dieta está boa, perdi peso tranquilo, estou bem treinado. Agora é só se divertir."

Duelo com Jon Jones

Assim como quase todos os lutadores, Johnny sonha em encarar os maiores, o que inclui Jon Jones. Mas o brasileiro conta que já venceu 'Bones'... No videogame.

play
1:16

Johnny Walker conta que bateu em Jon Jones no videogame e o desafia para luta na vida real: 'O encaro em qualquer categoria'

Brasileiro não escondeu a felicidade em ter seu personagem no jogo do UFC e disse que a próxima meta é ter seu rosto na capa

"Joguei bastante o jogo do UFC para ver meu bonequinho, maneiro para caramba, estou bem feliz que o boneco está lá. Um dos objetivos era colocar o boneco no jogo, agora o próximo é botar minha cara na capa do jogo".

Questionado sobre a luta mais legal que fez no jogo, respondeu sem pensar: "É uma das lutas que eu sempre quis fazer, contra o Jon Jones. Por enquanto está só no videogame, mas vamos tirar do papel e colocar na vida real algum dia."

"Com certeza", Johnny Walker ao ser questionado se conseguiu vencer o 'boneco' de Jon Jones no videogame

Em seguida, Walker aproveitou para afirmar que essa é a luta de seus sonhos e já desafiou Jones:

"Quem não quer lutar contra um dos maiores de todos os tempos? Encaro ele em qualquer categoria. Peso pesado, meio-pesado... Eu sou bem pesado naturalmente, sou pesado natural, tenho 110 kg controlando para não ficar muito pesado porque tenho que ficar na categoria de baixo. Mas se eu descontrolar um pouquinho subo muito rápido, fico muito forte muito rápido. Daqui alguns anos eu vou subir para o peso pesado porque vai ficar muito difícil bater o peso. Por enquanto ainda está tranquilo."

De olho no cinturão

Sem Jon Jones nos meio-pesados, Jan Blachowicz e Dominick Reyes disputam o título da categoria na próxima semana. E apesar de ter caído bastante após suas duas derrotas, Johnny se sente pronto para chegar ao topo, mas mostra calma e muito conhecimento de como funciona o UFC.

play
0:49

Johnny Walker diz que está pronto para disputar o cinturão dos meio-pesados e projeta quantas lutas falta para isso

Jan Blachowicz e Dominick Reyes vão disputar o título da categoria

"Com certeza eu tenho moral para chegar lá, eu treino para isso. É o objetivo de todo mundo, eu estou pronto, mas a gente tem que merecer. Ganhar devagarzinho, ir subindo no ranking, bater em quem tem que bater para merecer subir no ranking e ganhar a chance de disputar o título. Isso se leva tempo, não posso furar a fila de ninguém, preciso seguir a ordem natural das coisas."

Apesar disso, ele tem um planejamento e já imagina quanto tempo pode levar para chegar lá:

"Depende das performances. Se for duas ou três boas lutas, nocautes, finalizações ou performances, eu posso voltar ao patamar que eu estava, talvez uma luta de cinturão, talvez uma luta antes. Talvez duas, três, quatro lutas no máximo."