<
>

O dia em que brasileiro fez festa à la Cristiano Ronaldo e saiu com camisa do craque e elogio de técnico da Juventus

Em 27 de julho de 2019, Cesinha viveu uma noite de sonhos. O ex-jogador do Atlético-MG teve a chance de enfrentar pela seleção da K-League a poderosa Juventus em um amistoso.

Ídolo do Daegu, o brasileiro já tinha o costume de comemorar seus gols imitando Cristiano Ronaldo. E viu no jogo uma chance de conhecer o ídolo.

“Foi um dia que eu gostaria que não acabasse nunca. Estava muito alegre e entusiasmado. Fiquei tão ansioso que nem dormi antes do jogo. Queria muito fazer o gol e homenageá-lo com a comemoração”, disse Cesinha, ao ESPN.com.br.

“Consegui fazer ótimas jogadas e saiu o gol. Eu falo e até me arrepia. Tinham 65 mil pessoas e todo mundo já esperava que eu ia comemorar assim. Fui correndo e quando estava pulando a torcida gritou: ‘Ooooooo, sim!’”, contou.

A primeira reação de Ronaldo não foi muito amistosa porque achou que estava sendo zoado, mas depois abriu um sorriso.

“Eu fui na frente dele e fiz reverência. Acho que ele entendeu que não foi provocação”, afirmou.

Assim que terminou o primeiro tempo, Cesinha foi cumprimentar Ronaldo.

“Ele esticou a mão, me abraçou e falou que eu era um bom jogador, que estava de parabéns e deveria continuar na luta. Falei para ele não se ofender que era uma homenagem porque tinha ele como ídolo. Que essa oportunidade de conhecê-lo era única e pedi para trocarmos a camiseta. Ele disse que no segundo tempo me daria”, recordou.

Ronaldo não entrou em campo no amistoso em 3 a 3 e o brasileiro ficou o segundo todo na expectativa. Assim que acabou a partida, os jogadores foram cumprimentar os torcedores e desceram para o vestiário.

“Falei com o roupeiro da Juventus para pegar a camiseta. O Ronaldo saiu do vestiário, me deu a camiseta e tiramos uma foto junto. O treinador da Juventus [Maurizio Sarri] me elogiou pra caramba e disse que eu era muito bom jogador. Eu estava tão nervoso que só respondi obrigado. Eu poderia ter falado: ‘Por que o senhor não me leva pra Juventus?’ (risos)”, brincou.

“Até esta partida eu era reconhecido só pela torcia do Daegu, mas agora todos querem tirar foto comigo aonde eu vou. Eu voltei a usar cabelo preto porque não tinha condições. Eu ia ao shopping e tinha até fila para tirar fotos”.