<
>

'Me chamaram de maluco quando troquei o Santos pelo Corinthians', diz Alessandro

Reportagem publicada originalmente dia 22/11/2015


Disputar uma edição da Copa Libertadores por uma grande equipe é o sonho da maioria dos jogadores no Brasil. Como seria chamado alguém que abriria mão de tudo isso para atuar pelo rival, que acabou de ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez?

"Os meus colegas de time me chamavam de maluco: ‘O que você tem, está louco? Fica aqui para a Libertadores'", disse Alessandro ao ESPN.com.br.

Nada mais apropriado que esse ex-lateral direito tenha ido para o time em que a torcida é conhecida como "bando de loucos".

"Eu tenho uma imagem na minha cabeça da última rodada do Brasileiro de 2007, quando o Corinthians caiu. A torcida do Santos comemorava mais isso do que o gols que fizemos no Fluminense naquele dia. Troquei um ano de contrato na elite futebol brasileiro e sul-americano pela segunda divisão", afirmou.

"Um mês depois estava no Parque São Jorge e não conhecia ainda a rivalidade toda dos clubes. Fiz essa escolha porque tinha trabalhado com o Mano Menezes no Grêmio e era uma instituição muito grande", relembrou.

Com mais de 29 anos e um currículo com passagens por Flamengo, Cruzeiro e Palmeiras, ele chegou em um período de reconstrução do 'Timão'. O começo não foi nada fácil, com a eliminação na primeira fase do Paulista e a perda da final da Copa do Brasil para o Sport. Na Série B, porém, a equipe deslanchou e conquistou com sobras a competição.

A chegada de Ronaldo e as conquistas do Estadual e da Copa do Brasil no ano seguinte mostraram que os tempos eram outros. Faltava apenas o maior sonho corintiano, que parou no Flamengo e no desconhecido Tolima.

"Tivemos o 'Fenômeno' com esse objetivo e não conseguimos ser campeões da Libertadores e do mundo", lamentou.

O caminho que Alessandro viveu até a consagração foi comprido, repleto de decepções, alegrias e sustos. Ele foi de mero coadjuvante a capitão do título Brasileiro de 2011 e quase se tornou vilão contra o Vasco antes da consagração.

"Jamais imaginei na minha carreira que um dia ergueria as taças da Libertadores e do mundial pelo Corinthians. São decisões que você toma na sua vida, mas que nunca vai imaginar aonde vai chegar tão alto", analisou.

O ex-lateral foi o capitão nas duas maiores conquistas recentes do clube: a Libertadores e o Mundial de Culbes, ambos em 2012.

Alessandro fez mais de 258 jogos e conquistou oito títulos com a camisa do Corinthians antes de se aposentar em 2013