<
>

Ari, raro 'brazuca' de quem Van Gaal gostou, revela por que treinador sempre detestou brasileiros

play
Zé Elias conta história hilária de Xavi com Van Gaal: 'Com 19 anos fazer isso? Só pode ser louco' (1:21)

Zé Elias contou a história sobre o grande ídolo do Barcelona durante o Futebol na Veia (1:21)

Reportagem originalmente publicada em 18 de janeiro de 2017


"Ele é o Hitler dos jogadores brasileiros. É arrogante, orgulhoso, tem problemas. E não tem a menor ideia sobre futebol. Ele é louco. Minha vida com ele foi um horror".

Foi com esta frase cheia de "simpatia" que o meia Giovanni, ídolo do Santos, descreveu o ex-técnico holandês Louis van Gaal, um dos mais vitoriosos, revolucionários, polêmicos e... Odiados da história do futebol moderno.

O treinador, que anunciou em março de 2019 sua aposentadoria do futebol, é conhecido por ter entrado em rota de colisão com diversos jogadores brasileiros ao longo da carreira, em especial Rivaldo, nos áureos tempos de Barcelona.

"Uma vez ele brigou comigo por 20 segundos de atraso, até mostrou o relógio", lembrou o pentacampeão do mundo com a seleção brasileira, em entrevista exclusiva à Revista ESPN, em 2011.

Rivaldo chegou até a ser barrado pelo técnico no dia seguinte de ter sido eleito o melhor do mundo da Fifa em 1999. Tudo porque queria jogar centralizado, enquanto o técnico o ordenava a atuar pela ponta esquerda, posição que o camisa 10 detestava.

Entre outros brasileiros que sofreram nas mãos de Van Gaal, aparecem nomes como o zagueiro Lúcio, dispensado do Bayern de Munique pelo técnico quando vivia um dos melhores momentos da carreira, o lateral direito Rafael, ex-Manchester United, e a dupla Giovanni e Sonny Anderson, no Barça.

Um "brazuca" que fugiu à regra, porém, explica o porquê de todo esse ódio.

Trata-se de Ariclenes da Silva Ferreira, mais conhecido como Ari. Revelado pelo Fortaleza, ele fez sua fama no futebol russo, atuando por Spartak Moscou e Krasnodar.

Foi no AZ Alkmaar-HOL, no entanto, que o brasileiro fez parceria de sucesso com Van Gaal, conquistando Campeonato Holandês, Supercopa da Holanda e disputando a Champions League.

'BRASILEIROS SÃO INDISCIPLINADOS'

Ari foi contratado em 2007 pelo AZ, uma equipe média da Holanda (mas que vinha reforçada pelo dinheiro do banco DSB Bank), após passar pelo Kalmar FF, da Suécia.

Lá, deu de cara com Louis van Gaal, então um superstar em decadência, que havia vencido a Champions com o Ajax (entre muitos outros títulos), dois Espanhóis e uma Copa do Rei com o Barcelona e comandado a seleção holandesa, mas que tentava se reencontrar na carreira de técnico após passar um ano trabalhando como dirigente.

"Fiz um DVD muito bom na Suécia, o Van Gaal viu, gostou e me contratou. Minha experiência com ele foi maravilhosa, ao contrário da maioria dos brasileiros", contou o atacante, atualmente com 34 anos e jogando no Krasnodar, em entrevista à ESPN.

"Com ele, eu aprendi demais. No começo, tive a atenção chamada muitas vezes por causa de disciplina, mas ele é um treinador fantástico. Joguei com ele por três anos na Holanda e fomos campeões holandeses, acabando com domínio do Ajax e PSV. Jogamos com destaque também na Champions e Copa da Uefa, além de ganhar a Supercopa", lembrou.

Ari revela que Van Gaal vê os atletas brasileiros como "indisciplinados" e por isso não gosta de trabalhar com eles. O cearense, porém, seguiu à risca a cartilha do treinador.

"De cara, quando o conheci, notei na hora que teria que mudar algumas atitudes minhas pra me dar bem com o cara, principalmente em relação à disciplina. É um cara que cobra muito isso dos atletas, e, se você notar, ele dificilmente trabalha com brasileiros, porque acha que somos indisciplinados", relatou o matador.

O centroavante recordou que teve que seguir duas regras básicas: aprender holandês para se comunicar com o técnico e os colegas de time e também nunca chegar atrasado. Nem 20 segundos sequer, como reclamou Rivaldo certa vez no Barça.

"Quando cheguei, fazia direitinho tudo o que ele pedia, mas ele me chamou e disse que eu teria que aprender holandês, assim como vários outros atletas estrangeiros. Muitos jogadores falaram que não iam fazer aulas, porque isso não estava como obrigação no contrato, mas eu topei fazer", ressaltou.

"Aí começaram as aulas e de cara ele me chamou a atenção duas vezes porque eu cheguei cinco minutos atrasado. Rapaz, pro Van Gaal, um minuto de atraso já é muita coisa (risos). Ele cobrava muito isso dos atletas, e eu agradeço demais. Creio que aprendi e evoluí muito com ele, como jogador e pessoa", elogiou Ari.

O CASO DO AVIÃO PARA TENERIFE

Uma das brigas mais famosas de Louis van Gaal com brasileiros aconteceu com Giovanni, no Barcelona, quando o treinador ordenou que o meia viajasse de avião com o time até Tenerife para um jogo de LaLiga.

Ao chegar às Ilhas Canárias, porém, o holandês avisou ao eterno "Messias" santista que ele não seria usado na partida.

"Ele me deixou p... da vida. Eu sou um cara calmo. Se não fosse, tinha dado um tapa na cara dele", disparou Giovanni, em entrevista ao jornal Marca, em 2010.

"Eu peguei um voo de quatro horas a partir de Barcelona pra chegar lá e ele falar que não ia me usar. Eu não podia ter ficado em casa com a minha família, então? Por que ele me fez viajar com o resto do time? Disse a ele para que não fizesse isso comigo e nunca repetisse essa atitude", detonou o ex-meia, que chegou a comemorar muito a vitória da Inter de Milão sobre o Bayern de Van Gaal, na final da Champions de 2009/10.

"Se fosse por mim, queria que a Inter tivesse vencido por 15 a 0, com cinco gols do Lúcio", disse Giovanni - a partida foi "só" 2 a 0, dois tentos do argentino Diego Milito.

Ari, no entanto, minimiza e diz que Van Gaal é assim mesmo.

"Na minha opinião, ele é um cara de quem o jogador não tem o que reclamar. Ele escala o time que acha melhor de acordo com o adversário e explica a razão de colocar 'fulano' como titular e 'beltrano' como reserva. A partir daí, não tem o que reclamar, porque ele está certo na maioria das coisas que faz. Ou não teria tantos títulos na carreira", defendeu o ex-Fortaleza.

Ari acabou deixando o AZ em 2010, depois que o DSB Bank faliu e a equipe holandesa vendeu quase todo seu elenco.

O brasileiro acabou indo para o Spartak Moscou, enquanto Van Gaal assinou com o Bayern de Munique, time no qual se reencontrou na carreira, indo depois para a seleção holandesa e coroando sua trajetória no futebol com o bronze na Copa do Mundo de 2014 - além da FA Cup pelo Manchester United, seu último troféu.

Sua aposentadoria, no entanto, deve ter arrancado suspiros de muitos brasileiros...