<
>

Marcelo Teixeira vence eleições tumultuadas no Santos e volta à presidência do clube após 14 anos

Marcelo Teixeira durante coletiva do Santos, em 30 de abril de 2009 Ricardo Saibun/Gazeta Press

O Santos tem novo presidente para o triênio 2024-2026. Em votação realizada em parte online e também presencial, o escolhido para assumir o comando do clube em uma de suas piores crises da história foi o empresário Marcelo Teixeira.

Em uma disputa entre cinco candidatos, Teixeira venceu de maneira incontestável. Foram 4.762 votos, uma diferença grande para os 1.378 votos do segundo colocado Maurício Maruca.

"Agradecer à confiança do associado. O que hoje deveria ser uma festa da democracia, o ambiente não é tão propício porque não estamos tão felizes com este ano, mas, de qualquer maneira, as urnas são soberanas e os votos muito expressivos demonstram a confiança no nosso trabalho e no nosso projeto. Terminadas as eleições, queremos que o Santos seja único, que todos estejam unidos para que, a partir de janeiro de 2024, tenhamos a oportunidade de colocar o Santos no seu devido patamar", disse ele depois da vitória confirmada.

"A partir de amanhã vamos nomear as comissões de transição. Elas avaliarão todos os assuntos e departamentos do clube. Esperamos que haja um processo transparente e aberto da atual diretoria, para podermos agir em conjunto de forma rápida e competente para ganharmos tempo. Precisamos tomar decisões e atitudes para que o Santos tenha uma oportunidade de entrar em condições em uma temporada difícil", completou.

A eleição deste fim de semana marca o retorno de Marcelo Teixeira, que já havia sido presidente do Santos em dois períodos diferentes: de 1991 a 1993 e depois entre 2000 e 2009.

Neste segundo mandato, o Santos conseguiu vencer duas vezes o Campeonato Brasileiro (2002 e 2004), em uma geração que ficou marcada pelo crescimento de Diego, Robinho, Elano e outros "Meninos da Vila". Saiu em 2009 para dar lugar a Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente na conquista da CONMEBOL Libertadores de 2011.

Agora, Teixeira tem o desafio de reestruturar o clube em uma crise de proporções épicas.

Rebaixado para a Série B do Brasileiro pela primeira vez na história, o clube está fora da Copa do Brasil em 2024 e só vai disputar o Campeonato Paulista, além da segunda divisão.

Teixeira tem o desafio de montar o elenco e escolher quem será o técnico para a próxima temporada. A estreia do Santos acontece no dia 21 de janeiro, contra o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.

Tumulto mais cedo

Mais cedo, durante a votação, torcedores organizados tentaram invadir o ginásio da Vila Belmiro, onde a votação é realizada, e foram contidos após a entrada da Tropa de Choque da Polícia Militar.

O Estádio Urbano Caldeira e seus arredores foram palco de protestos na madrugada da última quarta-feira após a derrota por 2 a 1 para o Fortaleza, que decretou o rebaixamento do clube à segunda divisão do Campeonato Brasileiro pela primeira vez na história.

Segundo relatos, o principal alvo da confusão era o presidente do Conselho Deliberativo do Santos, Celso Jatene.

A movimentação foi registrada por presentes no ginásio Athié Jorge Coury, onde aconteceu a eleição.