<
>

Por que Ancelotti é mais que técnico com brasileiros e fez Vinicius Jr., Kaká e Richarlison atingirem o auge nas carreiras

Técnico do Real Madrid é um dos responsáveis pela explosão de Vinicius Jr. no clube merengue


Retranqueiro? Certamente a alcunha já foi aplicada a Carlo Ancelotti, um dos maiores técnicos do futebol, que fez história dirigindo Milan, Chelsea, Bayern de Munique, Paris Saint-Germain e Real Madrid em sua carreira.

Mas ao contrário do que muitos pensam do estereótipo "italiano retranqueiro", os maiores trabalhos da carreira de Ancelotti sempre foram recheados de brasileiros habilidosos. Atualmente no Real Madrid, o "case" de sucesso do treinador é Vinicius Jr, que pelos merengues encara o Elche neste domingo, por LaLiga, às 12h15 (Brasília), com transmissão pela ESPN no Star+.

O ex-Flamengo de 21 anos chegou ainda adolescente a Madri e tinha sérias dúvidas e deficiências em seu jogo. Mas em 2021-22, com a chegada do técnico italiano, Vinicius Jr. tem feito gols com frequência - já são 15 em 29 jogos, comparado a 16 nas outras 3 temporadas somadas - e é o nome da temporada do Real ao lado de Benzema.

"Ele está melhorando a si mesmo. Não falo muito com ele porque não tenho muito o que dizer a ele. Sempre digo para que seja eficaz. Que não dê dribles simplesmente por dar. Se acha que é justo insistir, passar, atirar, então faça. É preciso fazer coisas para ajudar a equipe", disse Ancelotti, sobre Vini Jr., em dezembro do ano passado.

E Vinicius Jr. não é o primeiro brazuca a brilhar após ser "lapidado" por Ancelotti. No seu primeiro grande trabalho como técnico, Carlo Ancelotti não teve receio de em 2003 começar a colocar de titular um jovem de 21 anos chamado Kaká em meio as estrelas do Milan.

O impacto de Kaká no Milan foi imediato. E a história fala por si só: títulos da Série A, Champions League e Mundial de Clubes, além do brasileiro ter sido o melhor jogador do mundo pela Fifa em 2007.

Antes de chegar ao Real Madrid, Ancelotti fez um bom trabalho no Everton entre 2019 e 2021. No clube de Liverpool, ele foi um dos responsáveis pela explosão de Richarlison, que se tornou homem de confiança na seleção brasileira de Tite.

"Eu não sei por quanto tempo é o contrato dele, honestamente, mas Richarlison ficará aqui enquanto eu ficar, isso é certo. Gosto dele como jogador, e se ele não gosta de mim como técnico, tanto faz. Mas vai ficar aqui", disse Ancelotti, em março de 2021, quando comandava o Everton.

"Richarlison é um atacante moderno, completo, porque é um atacante que trabalha muito. As estatísticas físicas de Richarlison são muito altas, como de um meia. Mas ele tem velocidade e é muito preciso na área. Fantástico com a cabeça, preciso na frente do goleiro, sua movimentação sem bola é muito boa. Acho que ele pode ser um dos maiores atacantes da Europa, tenho certeza, porque ele tem todas essas qualidades e não tem uma posição específica no campo", completou.