<
>

Luxemburgo quebra silêncio após demissão por Ronaldo no Cruzeiro e critica SAF no Brasil: 'Falta gestão competente e sem roubo'

play
Breiller Pires reprova 'coletiva vazia' de Ronaldo Fenômeno no Cruzeiro: 'Muito clichê e pouca explicação' (3:03)

O 'Fenômeno' afirmou que, junto com o comitê de gestão colocado para organizar o processo da SAF, ainda está 'abrindo as gavetas', mas deixou claro que os períodos turbulentos estão longe de um fim. (3:03)

Luxemburgo falou pela primeira vez após deixar o comando do Cruzeiro


Após comprar 90% da Sociedade Anônima de Futebol (SAF) do Cruzeiro, Ronaldo promoveu algumas mudanças no clube. E uma delas foi a saída de Vanderlei Luxemburgo e a vinda do técnico Paulo Pezzolano.

E o treinador brasileiro quebrou o silêncio nesta quinta-feira (20). Em entrevista à Rádio Transamérica, Luxa falou pela primeira vez após deixar a Raposa e revelou que não há mágoas com o 'Fenômeno'.

"Não tenho nenhum problema de o Ronaldo não ter ficado comigo. Ele é o presidente, comprou uma empresa, a minha relação pessoal com ele é de amizade, eu continuo gostando dele da mesma forma. Ele comprou a empresa e entendeu que o técnico Vanderlei Luxemburgo, amigo dele, não cabia no projeto que ele tem dentro da empresa dele. Ponto", começou por afirmar.

"Por que vai buscar o passado? Não tem nada a ver. Pergunta para ele, para escutar a resposta. Tenho zero de preocupação de que o Ronaldo não ficou comigo. Zero, está tudo certo”.

Sobre o modelo da SAF no Brasil, Luxemburgo foi mais incisivo. O treinador afirmou não acreditar no projeto, citou o exemplo do Flamengo, que conseguiu se reorganizar com os próprios ativos e pediu gestões mais profissionais.

“(Não gosto) Porque falta gestão competente e sem roubo. O Flamengo pagou a dívida como? Com o que? Ativo do próprio clube. Três jogadores que venderam pagaram R$ 800 milhões e passou a ser um clube autossuficiente com receita de televisão. Quando eu falo isso, que a SAF para mim nada mais é, vou falar uma coisa que nada mais é, que foi criado um instrumento para que você venda a empresa, para que o clube fique com 5%, 10%, para que o passivo do clube fique com ele e o ativo com a SAF”.

Luxemburgo teve saída anunciada do Cruzeiro no dia 28 de dezembro, 10 dias após 90% da SAF do clube mineiro ser adquirida por Ronaldo. O ex-atacante e sua equipe de gestão concluíram que o técnico não era o nome mais adequado para o projeto.

Mesmo após ter renovado o contrato um mês antes com a gestão do presidente Sérgio Santos Rodrigues, Luxemburgo foi comunicado que não continuaria à frente da Raposa.