<
>

Efeito Champions League? Como sorteio da Conference League também pode ser questionado

Indefinição no grupo G, do Tottenham, exigiu uma adaptação do sorteio, que pode ser questionado caso algum time envolvido se sinta prejudicado


O sorteio dos confrontos da segunda fase da Conference League não teve nenhuma gafe como ocorreu com a Champions League. Mesmo assim, o resultado ainda pode ser questionado por conta da polêmica envolvendo o Tottenham.

Isso porque, como o clube inglês não enfrentou o Rennes por conta de um surto de COVID-19 na última rodada, o grupo G terminou indefinido – com uma vitória simples em casa, os Spurs estariam classificados no lugar do Vitesse, da Holanda, que ocupa a vice-liderança no momento.

Com a indefinição, os confrontos foram sorteados com a possibilidade de classificação de ambos os times. Por isso, a bolinha das equipes foi retirada do sorteio no momento de definir o adversário do Leicester City, já que dois clubes da Premier League não poderiam se enfrentar.

A questão é que, por não ser um clube da Inglaterra, o Vitesse poderia enfrentar o Leicester sem qualquer problema. No fim das contas, o Leicester vai enfrentar o Randers, da Dinamarca, enquanto o Rapid Viena, da Áustria, será o adversário de Vitesse ou Tottenham.

Apesar disso, o sorteio realizado nesta segunda-feira (13) não deve ser refeito pela Uefa a não ser que um dos clubes envolvidos se sinta prejudicado pelo critério e peça a revisão. A segunda fase da Conference League começa no dia 10 de março.

Caso a partida entre Tottenham e Rennes seja remarcada, o clube inglês precisará vencer para se classificar ao mata-mata e estará eliminado se empatar ou perder. Os Spurs ainda podem perder por 3 a 0 se o jogo não acontecer e dependem de uma decisão do Órgão de Controle, Ética e Disciplina da Uefa.