<
>

Casillas e Kroos detonam Bola de Ouro entregue a Messi

Ídolos do Real Madrid, o ex-goleiro Iker Casillas e o meio-campista Toni Kroos reclamaram da premiação de Lionel Messi como o melhor jogador da temporada


Na última segunda-feira, Lionel Messi sagrou-se vencedor de sua sétima Bola de Ouro, prêmio concedido ao melhor jogador da temporada pela revista francesa France Football. O resultado gerou polêmicas nas redes sociais entre ídolos do Real Madrid.

Um dos maiores jogadores da história do clube, o ex-goleiro Iker Casillas elogiou Messi, mas manifestou sua indignação com o resultado pelo Twitter.

O Real Madrid volta a campo nesta quarta-feira (1º), às 17h00 (de Brasília), quando recebe o Athletic Bilbao por LaLiga com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+.

"É cada vez mais difícil acreditar nos prêmios do futebol. Para mim, Messi é um dos 5 melhores jogadores de toda a história, mas é preciso começar a saber registrar quem se destaca ao final de uma temporada. Não é tão difícil assim".

O meio-campista Toni Kroos também contestou Messi como vencedor do troféu. Em sua conta oficial no Twitter, Kroos parabenizou o argentino pela conquista, mas afirmou que seu companheiro de time, Karim Benzema, seria sua escolha.

"Parabéns a Lionel Messi!!! Minha escolha teria sido Benzema!".

No mais novo episódio de seu podcast intitulado Einfach mal Luppen, o jogador explicou que não concorda com prêmios individuais e explicou a razão de sua preferência pelo francês.

"Em primeiro lugar, queria dizer que prêmios individuais não me interessam. Entretanto, se eles existem, precisam ser justos. Na minha opinião, não foi o caso".

"Para mim, Benzema deveria ter sido o número 1 se realmente elegessem o melhor jogador individual da temporada passada, pois vejo de perto o quão excepcional ele é. Claro que Messi, ao lado de Cristiano Ronaldo, é o jogador da década e possui qualidades que nenhum outro tem. A grande falha da eleição é o primeiro lugar", disse.

Benzema ficou em quarto lugar na lista da Bola de Ouro, atrás de Jorginho, do Chelsea, Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, e Messi, do Paris Saint-Germain.