<
>

Atlético-MG: como plano de 'Super Inter' ajudou clube a contratar Nacho Fernández por R$ 28,7 milhões a menos

play
Hulk relembra apoio de Jesualdo, elogia Cuca e responde críticas: 'Não interesso porque não acompanham' (2:20)

Atacante do Atlético-MG concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira (2:20)

Internacional e Atlético-MG se enfrentam nesta quarta-feira (16), às 19h, no Beira-Rio vindo de vitórias no Campeonato Brasileiro. Enquanto o Colorado derrotou o Bahia na última rodada, o Galo venceu o São Paulo. E um jogador, que hoje defende os mineiros, poderia estar do outro lado no duelo: Nacho Fernández.

Entre o fim de 2019 e início de 2020, o Internacional mirou o meia e chegou a fazer uma oferta pelo camisa 26, que defendia o River Plate. A proposta, na época, segundo a TyC Sports, era de US$ 9 milhões (R$ 60,9 milhões na cotação da época). No entanto, o clube argentino pedia US$ 15 milhões.

Com a recusa do River, Eduardo Coudet, treinador do Inter, chegou a afirmar em coletiva que um 'Super Inter' foi prometido para deixar o Racing e assumir o Colorado.

"Não temos dinheiro. Hoje não há nada, mas mantemos o mesmo discurso. O clube está fazendo as coisas bem, é organizado, cumpre com o que firma, está em dia com os jogadores, nós não podemos nos desviar disso. Seria mentira se te dissesse que não gostaria de contar com Nacho. Mas não temos como fazer uma operação assim", começou por afirmar, na época.

"Não podemos pedir coisas que não se podem fazer. Eu tomei uma decisão quando me disseram isso. Dirigiria um 'Super Inter'. Depois aconteceram um monte de coisas, onde não se chegou economicamente. O discurso mudou no clube. Temos que ter inteligência para buscar jogadores, temos que ter imaginação. Fazer um plantel bom e barato. Creio que conseguimos".

Rodrigo Caetano como trunfo

Na ocasião, Rodrigo Caetano era o diretor de futebol do clube gaúcho. E o dirigente foi o 'trunfo' do Atlético-MG para contratar Nacho Fernández.

“Nacho estava muito cômodo no River. [Marcelo] Gallardo o protegeu e o fez crescer. Ele não foi ao Inter porque quis seguir com Gallardo. O diretor que o quis levá-lo ao Inter (Rodrigo Caetano), agora leva ele ao Atlético-MG”, disse Daniel González, empresário de Nacho, em fevereiro de 2021, em entrevista à TyC Sports.

Entre maio de 2018 e janeiro de 2021, Rodrigo Caetano esteve à frente do Colorado e ajudou o clube a se reformular e retomar o protagonismo nacional após conquistar o acesso à Série A no mesmo ano.

Em 2018, conseguiu já mostrar bom trabalho, ajudando o Inter a terminar o Brasileirão na 3ª posição - melhor colocação na história de um clube vindo da Série B.

Dentre as contratações - fechadas ou não - uma das tentativas foi a de Nacho Fernández. Sem sucesso, o jogador, à época, preferiu permanecer no River. No entanto, com a ida de Caetano para o Atlético-MG, as coisas mudaram.

Um ano depois da tentativa do Inter, Rodrigo Caetano, já no Galo e com boa relação com Daniel González, conseguiu concretizar a negociação, por US$ 6 milhões (R$ 32,2 milhões na cotação da época). Assim, pagou R$ 28,7 milhões a menos que a oferta do Colorado ao River.

"Com a ajuda do diretor de futebol do (Atlético) Mineiro, que é o mesmo do Inter de Porto Alegre que queria levá-lo, ficou um pouco mais fácil. Então, foram detalhes para terminar, cada lado puxou um pouco e terminou. Esperamos voltar, terminar os três anos no Brasil e tomara que se possa aposentar no River. Ele deixa uma boa imagem e está agradecido com todos", disse Daniel González em fevereiro.

Pelo Atlético-MG, Nacho Fernández já realizou 17 partidas e marcou quatro gols. O camisa 26 é uma das principais contratações da equipe de Cuca na temporada, ao lado de Hulk.