<
>

Ex-Flamengo e Santos Jean Lucas revela que foi procurado por Internacional e Atlético-MG, mas preferiu ficar na Europa

play
Neymar volta a treinar no PSG após lesão no tornozelo (0:26)

Via @NeymarJrSite | O camisa 10 do clube de Paris está se recuperando de uma lesão no tornozelo esquerdo, sofrida no dia 13 dezembro (0:26)

Revelado no Flamengo e com passagem de destaque pelo Santos, Jean Lucas trocou o Lyon pelo Brest no fim do ano passado. Antes de acertar com a nova equipe, o volante despertou interesse de grandes clubes do Brasil, mas preferiu permanecer na França.

"O Internacional estava querendo que eu fosse e o Atlético-MG também porque o [técnico Jorge] Sampaoli estava por lá. Mas disse ao meu empresário que não queria voltar porque queria vencer na Europa. Escolhi o Brest porque era um time que gostava de ver jogar. O treinador me passou toda a confiança. Hoje, estou jogando e entrei na seleção da rodada por três vezes", disse o jogador ao ESPN.com.br.

Contratado pelo Lyon em 2019, Jean perdeu espaço com a saída do técnico Sylvinho e fez poucas partidas nas últimas temporadas.

"No fim ano passado eu falei com meus pais porque não estava feliz. Queria jogar porque dentro de campo estamos sempre felizes. Queria algum clube para ser emprestado e poder mostrar meu valor de verdade", explicou.

"Eu treinei bastante porque precisava estar bem preparado caso aparecesse algum clube. Trouxe até um preparador físico do Brasil e fui criando força".

Titular do Brest, 14º colocado no Francês, o brasileiro tem contrato de empréstimo - sem opção de compra - até o final da temporada. "Estou jogando e sou feliz. O futuro a Deus pertence", confessou.

As dificuldades até chegar ao Flamengo

Natural de uma família humilde em Campo Grande, zona oeste do Rio e Janeiro, Jean Lucas começou a jogar bola em um campo de terra de um projeto social. Por se destacar no meio dos meninos mais velhos, foi para a escolinha Novos Talentos antes de ser aprovado em uma peneira no Nova Iguaçu.

"Eu passava dificuldades, e meu pai trabalhou com muitas coisas para me ajudar a treinar. Demorava um tempão de trem e ainda andava até o CT. Não podia pegar ônibus senão não voltaria", explicou.

"Quando tinha uns 13 anos teve um episódio que me marcou muito. Eu ficava muitas vezes catando moedas para comprar um pão, que custava dez centavos. E uma vez nem isso a gente tinha. Eu pensei: ‘Tenho esse dom de jogar bola e preciso mudar a história de vida da minha família’", contou.

Jean passou a se dedicar ao futebol e receber R$ 30 por mês. A carreira do jovem, porém, quase terminou mais cedo.

"Quando tinha 14 anos, minha avó faleceu e eu perdi o chão porque éramos muito apegados. Era o sonho dela me ver jogando na televisão. Fiquei três semanas sem ir treinar e queria desistir, mas meus pais me convenceram a voltar", afirmou.

O problema é que na hora de receber a ajuda de custo, o clube não quis pagar por causa dos dias faltados.

"Eu larguei os treinos, desanimei e fui mandado embora. Eu pensei em parar e focar nos estudos, mas o professor Mariano, que era da Novos Talentos, estava na base do Bonsucesso e me chamou".

Por causa dos problemas no trânsito da Avenida Brasil, o jovem muitas vezes precisou andar a pé por até uma hora para chegar aos treinos.

"Lembro que treinava em um campo que ficava em frente a uma boca de fumo e tinham caras armados", recordou.

A vida de Jean mudou quando foi aprovado em uma peneira que o possibilitaria fazer testes no Flamengo.

"Me preparei por quatro meses antes de ir ao sub-17 do Flamengo porque os garotos lá eram mais fortes do que eu. Nessa época fui transferido de atacante para volante, mas no começo foi complicado. Depois, fui aprendendo a posição".

"Eu fui aprovado depois de dois dias no Flamengo. Quando me falaram que fui aprovado foi inesquecível porque era meu sonho jogar pelo Flamengo no Maracanã”.

Depois de um ano na Gávea, o volante passou a fazer sucesso no time sub-20.

"Comecei a me destacar nos campeonatos e fui chamado para o time principal no fim de 2017. Chorei muito no dia que recebi a notícia que tinha sido promovido".

play
0:26

Neymar volta a treinar no PSG após lesão no tornozelo

Via @NeymarJrSite | O camisa 10 do clube de Paris está se recuperando de uma lesão no tornozelo esquerdo, sofrida no dia 13 dezembro

Xodó de Sampaoli

Jean Lucas estreou no profissional na vitória sobre o Volta Redonda por 2 a 0 no Campeonato Carioca de 2018. Apesar da pouca idade, jogou mais 22 partidas na temporada. No ano seguinte, ele atuou nos primeiros jogos do Estadual antes de mudar de equipe.

Com a compra do atacante Bruno Henrique, do Santos, o Flamengo precisava mandar um atleta para a Vila Belmiro. O escolhido era o volante Ronaldo, que não foi. O Peixe pediu a contratação de Jean.

"Eu não queria ir porque sou do Rio, onde tenho amigos e família, e era acostumado com o Flamengo. Era um baque sair de lá. Mas sabia que não teria tantas oportunidades, e o Santos é um clube gigantesco".

Emprestado a princípio até o fim de 2019, Jean Lucas não demorou para cair nas graças de Sampaoli. O volante conversava muito com o treinador e fazia questão de treinar a parte tática fora dos horários normais de atividades.

Em apenas quatro meses na Vila Belmiro, o volante se destacou e foi comprado pelo Lyon, fato que irritou o treinador.

"O Sampaoli me mandou um áudio de um minuto e pouco, o presidente também mandou uma mensagem muito grande pedindo para eu ficar. Só que era o meu sonho e poderia mudar a vida da minha família. A gente não sabe o que pode acontecer amanhã. Alguns jogadores recusam uma chance e depois se machucam".

Logo no segundo jogo pelo Lyon, Jean marcou um gol na vitória por 6 a 0 contra o Angers.

"Antes desse jogo, meu pai me ligou chorando dizendo que fui convocado para a seleção brasileira olímpica. Quando estava no Santos fui chamado, mas o Sampaoli não me liberou. Passou um filme de tudo que vivi. Era a realização do meu sonho e foi melhor dia da minha vida", contou.