<
>

Pouco gasto, muita fome: como São Paulo garimpa reforços de outro perfil para montar time de Crespo

A iminente chegada de Bruno Rodrigues, que se destacou na Ponte Preta, representa muito sobre o pensamento do São Paulo para a próxima temporada.

Em crise financeira e sem tanto poder de investimento como em outros anos, o clube garimpa reforços de baixo custo no mercado para montar o elenco que ficará a cargo de Hernán Crespo logo em breve. O técnico argentino chega ao Brasil nesta terça-feira (16), mas só assumirá após o Campeonato Brasileiro.

O planejamento tricolor é contratar jogadores de perfil diferente para 2021. Atletas que custem pouco, jovens com potencial de crescimento e, principalmente, que cheguem ao Morumbi com "fome", característica de times vencedores no passado.

O exemplo que mais vem à memória da torcida é o elenco que conquistou praticamente tudo entre 2005 e 2008. Nomes como Cicinho, Fabão, Mineiro, Josué, Danilo, Grafite, Leandro, Aloísio Chulapa, Miranda e outros chegaram ao São Paulo de graça ou a custo baixo para depois deslancharem.

Em anos mais recentes, o clube passou a investir pesado em reforços mais badalados e não colheu os resultados necessários em campo. O último título foi há pouco mais de oito anos, a Copa Sul-Americana de 2012. Na atual temporada, o Tricolor caiu nos mata-matas do Paulistão e da própria Sul-Americana e tem remotas chances de conquistar o Campeonato Brasileiro.

Pelo empréstimo de um ano de Bruno Rodrigues, o São Paulo pagará R$ 250 mil. Caso queira contratar o atacante em definitivo, existe uma cláusula fixada no contrato de 1,2 milhão de euros, o equivalente a R$ 7,8 milhões na cotação monetária atual.

Bruno Rodrigues ainda cumpre outro requisito no São Paulo, que é oferecer uma característica em alta no elenco: a de um atacante de velocidade. O time atual conta apenas com os jovens Paulinho Boia e Toró, que não se firmaram, e Galeano, pouco utilizado nos tempos de Fernando Diniz.

Pela Ponte Preta, Bruno Rodrigues anotou 11 gols e deu 12 assistências em 47 partidas. O jogador recebeu sondagens de Bahia, Ceará, Corinthians e Cruzeiro antes de assinar com o São Paulo.