<
>

Libertadores: Palmeiras marca aos 54 do 2º tempo, vence Santos em final nervosa e é bicampeão

Em uma final muito nervosa e faltosa, o Palmeiras venceu o Santos por 1 a 0, neste sábado, no Maracanã, e tornou-se bicampeão da Conmebol Libertadores!

O gol do triunfo foi marcado por um herói improvável: o atacante Breno Lopes, que entrou no final da partida. Aos 54 do 2º tempo, ele recebeu cruzamento de Rony e cabeceou bonito para balançar as redes.

Com o resultado, o Verdão ganha sua 2ª Libertadores (já havia sido campeão em 1999) e vai ao Catar para disputar o Mundial de Clubes da Fifa.

Em campo, a 1ª finalização perigosa foi do Santos: Pará recebeu pela direita, cortou para a perna esquerda e bateu rasteiro, perto da trave de Weverton.

Como manda a cartilha de final de Libertadores, o jogo era tenso, com faltas duras dos dois lados. Só demorou 8 minutos para Lucas Veríssimo dar carrinho forte em Rony e levar o 1º amarelo do clássico.

Aos 11, o Verdão assustou pela 1ª vez: Rony dominou lançamento na esquerda, driblou Pará e cruzou para Luiz Adriano, mas John conseguiu abafar.

O duelo seguiu bastante nervoso, com muitas faltas dos dois lados e reclamações. O árbitro argentino Patrício Lostau ia tentando controlar na base da conversa.

Os lances de emoção foram rareando, e, aos 34, o Verdão "empatou" em amarelos com o Peixe: Gustavo Gómez derrubou Marinho e foi advertido.

Um minuto depois, o Alviverde teve sua melhor chegada no 1º tempo: Marcos Rocha enfiou ótima bola para Raphael Veiga, que arrematou de perna direita e levou perigo à meta de John.

Mas o 1º tempo ficou só nisso, e acabou mesmo em 0 a 0 sem mais momentos marcantes.

Na volta dos vestiários, as equipes retornaram iguais, sem alterações dos técnicos Abel Ferreira e Cuca.

A partida seguiu na mesma toada, com os dois rivais bastante nervosos e fazendo muitas falta. O jogo era totalmente "picado" e sem chances de gol.

Só aos 17 minutos um lance de emoção voltou a acontecer: Raphael Veiga soltou bomba em cobrança de falta e mandou no lado de cima da rede de John, assustando o Peixe.

Aos 26, Cuca resolveu mexer no Alvinegro: saiu Sandry e entrou Lucas Braga.

O Peixe melhorou em campo e teve uma grande chance aos 31: Felipe Jonatan chutou forte, Weverton rebateu e, na sobra, Pituca bateu com muito perigo.

Abel Ferreira, então, fez substituição na equipe palestrina: tirou o exausto Zé Rafael para colocar Patrick de Paula. Logo depois, Breno Lopes ainda ingressou na vaga de Gabriel Menino, também cansado.

Com as duas equipes exauridas, poucos jogadores se arriscavam. Aos 44, em um bate-rebate na área, Kaio Jorge até tentou uma linda bicicleta, mas Weverton pegou fácil.

Nos acréscimos, Cuca alterou o Santos outra vez: Felipe Jonatan e Kaio Jorge deram lugar ao jovem Wellington e ao lateral Madson.

Logo em seguida, porém, o treinador alvinegro segurou bola que saiu pela lateral, se enroscou com Marcos Rocha, que tentou pegá-la, e acabou iniciando uma grande confusão.

O árbitro Patrício Lostau, então, expulsou o comandante santista e ainda deu cartão amarelo a Soteldo.

O Palmeiras, então, aproveitou o baque e foi para cima em busca do gol da vitória. E ele veio por meio de um herói improvável.

Aos 54 minutos do 2º tempo, Rony cruzou de longe, a bola atravessou toda a área e encontrou Breno Lopes, que havia acabado de entrar. Com uma cabeçada certeira, ele venceu John e colocou o Alviverde na frente.

Daí em diante, não havia mais tempo para o Santos reagir. Palmeiras bicampeão da Libertadores!

Ficha técnica

Palmeiras 1 x 0 Santos

GOLS: Palmeiras: Breno Lopes

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Danilo, Zé Rafael, Gabriel Menino (Breno Lopes) e Raphael Veiga (Alan Empereur); Rony (Felipe Melo) e Luiz Adriano Técnico: Abel Ferreira

SANTOS: John; Pará (Bruno Marques), Luan Peres, Lucas Veríssimo e Felipe Jonatan (Wellington); Alison, Diego Pituca e Sandry; Soteldo, Marinho e Kaio Jorge (Madson) Técnico: Cuca

Estatísticas

Apenas a final entre clubes brasileiros na história da Libertadores

340º jogo entre Palmeiras e Santos desde 1915

O Santos teve 60% de posse de bola no 1º tempo

O Palmeiras finalizou 3 vezes no 1º tempo, contra 1 do Santos

O 1º tempo teve 15 faltas: 8 do Palmeiras, 7 do Santos

gol de Breno Lopes em 17 jogos pelo Palmeiras na temporada

O jogo acabou com 35 faltas

O Palmeiras só deu 1 finalização certa, justamente o gol de Breno Lopes

título de Libertadores da história do Palmeiras


Próximos jogos

Os dois times voltam a campo nos próximos dias, pelo Campeonato Brasileiro.

  • Terça-feira, 02/02, 16h*, Palmeiras x Botafogo

  • Quarta-feira, 03/02, 16h*, Grêmio x Santos

*horário de Brasília