<
>

Mbappé no PSG: de estresse por novo contrato à má forma, o que acontece com o atacante francês?

play
Chute no ângulo, lambreta e 'dúvida' sobre gol: Neymar se destaca em treino de finalização do PSG (0:26)

Será que o craque brasileiro fez o gol após a carretilha (lambreta)? Ele lançou até enquete no Instagram. Assista! (0:26)

Não se sabe muito sobre como Kylian Mbappé se sentiu na noite do último sábado (16), porque o mesmo não falou depois da vitória do Paris Saint-Germain por 1 a 0 em cima do Angers e nem mesmo postou nada nas redes sociais, embora não precisasse. Os torcedores do clube parisiense perceberam que ele estava claramente infeliz no banco.

Terá sido porque foi substituído aos 79 minutos por Jesus Pérez, assistente de Mauricio Pochettino, que assumiu o comando da equipe porque o treinador testou positivo para COVID-19? Ou será que Mbappé ficou descontente porque 2021 foi um ano muito ruim para ele até agora, mesmo para seus próprios padrões elevados? Foi por essas duas razões ou por alguma outra?

Mbappé não joga como o Mbappé há algum tempo. Em seus últimos 13 jogos em todas as competições, ele marcou cinco gols, incluindo apenas dois em suas últimas oito partidas. Antes dessa pequena queda, ele ficou visivelmente frustrado com o foco em sua seca de gols na Uefa Champions League, segundo algumas pessoas revelaram à ESPN. Até o jogo final da fase de grupos no Parc des Princes, contra o Istanbul Basaksehir, em dezembro, onde ele fez dois gols na vitória por 5 a 1, ele não havia marcado na competição em 2020.

A verdade é que o prodígio francês, com apenas 22 anos, vem decepcionando desde que a França retomou as atividades esportivas no ano passado, depois que o coronavírus levou ao fim prematuro da temporada 2019-20 da Ligue 1. Suas estatísticas na temporada 2020-21 são certamente piores do que nas temporadas anteriores, embora não em termos de gols ou assistências. É mais no conteúdo das suas exibições que existe um problema, já que as suas contribuições para o jogo ofensivo do PSG diminuíram significativamente.

Os gols esperados por jogo (excluindo pênaltis) e assistências esperadas por jogo de Mbappé são menores (1,45 na temporada passada, em comparação com 0,86 nesta temporada, em todas as competições). Ele chuta com menos frequência (1,2 por jogo em 2020-21) e menos vezes no alvo (menos de um chute por jogo) e perde a bola mais do que no ano passado, apesar de ainda ter a mesma porcentagem de dribles bem-sucedidos (cerca de 50%).

Nos últimos jogos contra Saint-Étienne, Olympique de Marselha e Angers, quando Neymar não foi titular, Mbappé teve dificuldades em chamar o protagonismo para si. Ele se esforçou demais para fazer as coisas acontecerem e perdeu a bola várias vezes. Ele só completou 25% dos seus dribles contra o Angers, e não levou nem uma vez a bola para a grande área adversária. Algo está errado.

Apesar de ter talento abundante ao seu redor, a principal falha de Mbappé é, sem dúvida, que ele tende a tentar fazer tudo sozinho, muitas vezes por meio de arrancadas individuais que não estão funcionando no momento. Não ter Neymar ao seu lado, devido às inúmeras ausências e contusões do brasileiro, também dificultou as coisas, já que Mbappé tem uma forte afinidade com o número 10 do PSG e fica um pouco perdido quando Ney não está em campo.

O fato de o francês ter lutado para estar totalmente em forma durante a maior parte da temporada também foi um problema. Apesar de ser tão jovem, o campeão da Copa do Mundo 2018 já disputou uma enorme quantidade de partidas desde os 17 anos.

Os números são impressionantes: 202 partidas (155 como titular), 14.116 minutos disputados em nível profissional, além de 37 convocações e 2.533 minutos pela França. São 16.649 incríveis minutos de futebol com apenas 22 anos e um estilo de jogo baseado na velocidade e energia. Mbappé é um jogador tão explosivo, com e sem a bola, que precisa estar 100% para jogar como pode, e esse impulso tem sido difícil de encontrar. Houve lesões, a quebra de ritmo por conta da pandemia, e Mbappé também testou positivo para coronavírus.

Como o PSG ainda estava na Champions, Mbappé e seus companheiros nunca pararam de jogar propriamente. Ele sempre sentiu como se nunca tivesse parado de jogar entre a última temporada e a atual, como disse ao site do clube em setembro. "Não acho que tenhamos jogado nosso nono jogo da temporada, mas o nosso 69°! Normalmente, depois de jogar uma final de Champions League, você tem uma pausa adequada, e para de pensar um pouco em futebol. Não tivemos isso. Nunca paramos e é difícil lidar com isso mental e fisicamente", disse ele.

Existem alguns problemas fora de campo que afetam seu desempenho em campo, mas sem dúvida a maior fonte de estresse no momento é a situação do contrato.

Na terça-feira, em entrevista ao France Football, Leonardo, diretor esportivo do PSG, voltou a falar das negociações com o seu camisa 7, cujo contrato vence em junho de 2022, mesmo prazo do fim do contrato de Neymar.

"Espero que eles estejam convencidos de que o PSG é um bom lugar para se estar agora para um jogador ambicioso e de alto nível", disse Leonardo. “Só temos que chegar a um acordo com seus desejos, suas demandas, nossas expectativas e nossas possibilidades. Não estamos implorando a eles que fiquem. É mais complicado do que isso. Quem realmente quiser ficar, vai ficar. Conversamos regularmente e tenho boas vibrações em relação a ambos (os jogadores)”.

Fontes disseram à ESPN que Mbappé está pensando muito em seu futuro, especificamente se ele ficará ou deixará Paris. Seu sonho é, e sempre foi, jogar pelo Real Madrid, mas ele sabe que os campeões espanhóis, como todos os principais clubes europeus, foram atingidos pela pandemia e que não podem pagar por ele agora. A tensão financeira soa ainda mais verdadeira para o Liverpool, onde o francês também gostaria de jogar. Mas Mbappé sabe que prorrogar seu contrato com o PSG é provavelmente a melhor opção no momento, embora toda a situação esteja claramente pesando em sua mente. Quanto mais ele demora para tomar uma decisão - e ele pode muito bem esperar até o verão europeu para fazê-lo - mais isso pode ficar no seu caminho dentro de campo.

Quando assumiu o cargo de técnico do PSG no início de janeiro, Mauricio Pochettino disse que queria ajudar o atacante francês a atingir todo o seu enorme potencial. Ele provavelmente não pensou na época que a tarefa seria tão grande. Pochettino sabe que o PSG só pode dar o melhor de si se Mbappé estiver no seu melhor individual, por isso precisa recuperá-lo o mais cedo possível. As primeiras interações entre os dois têm sido ótimas, fontes disseram à ESPN, e Mbappé estava relaxado e feliz nos treinamentos desta semana, como um sinal de boas-vindas.

Nesta sexta-feira, Mbappé vai, claro, ser titular contra o Montpellier no Parc des Princes, e todos os pequenos sinais de progresso ou melhoria serão examinados.