<
>

'Cheirinho', 'Não tem mundial' e as provocações que fizeram de Flamengo x Palmeiras a maior rivalidade da década

Rivalidade mais forte do futebol brasileiro na última década, Flamengo e Palmeiras se enfrentam nesta quinta-feira, às 19h, no Mané Garrincha, pela 31ª rodada. E as equipes precisam da vitória na busca pelo título do Brasileirão.

Com os resultados da última quarta-feira (chocolate do Inter sobre o São Paulo, além do empate entre Grêmio e Atlético-MG), o jogo se tornou decisivo para as pretensões das equipes na competição. E o ESPN.com.br relembra um pouco dos últimos duelos entre paulistas e cariocas que aumentaram a tensão dentro e fora das quatro linhas.

Tudo começou em 2016, quando Palmeiras e Flamengo brigavam pela ponta da tabela do Brasileirão. No emblemático jogo do Allianz Parque, quando Márcio Araújo foi expulso ainda na primeira etapa e Diego, então craque do time, acabou sacado em seguida, o Palmeiras veio para cima. Mas quem abriu o placar foi a equipe carioca. E com a sempre fatal lei do ex.

Alan Patrick, que acabara de entrar, aproveitou espaço na defesa alviverde e abriu o placar no Allianz Parque. Com o resultado, o Flamengo tomava a ponta da tabela do Palmeiras. No entanto, faltando oito minutos para o fim, Gabriel Jesus deixou tudo igual e explodiu o Allianz.

As equipes foram brigando até o fim da competição, mas o Palmeiras disparou e levou o caneco. Os cariocas ficaram em terceiro e sofreram com provocações do rival, que castigou com uma camisa comemorativa: ‘sem choro, nem cheiro’, em alusão à brincadeira do ‘cheirinho’ que os rubro-negros diziam sentir do famoso ‘cheiro de campeão’.

Com o sucesso do Corinthians em 2017, Flamengo e Palmeiras acabaram dando uma aliviada na rivalidade, que voltou com tudo no ano seguinte. E novamente com final feliz para o time paulista.

Em duelo do Brasileirão 2018, as equipes se enfrentaram no Maracanã pela 31ª rodada. O Palmeiras chegava quatro pontos à frente do Flamengo. E não perder era o que o time de Luiz Felipe Scolari mais buscava diante do rival. E conseguiu. Empate em 1 a 1 diante de um estádio lotado. Dudu abriu o placar, mas Marlos Moreno, já no fim, deixou tudo igual e colocou fogo no jogo. No último lance, Lucas Paquetá teve uma chance incrível, mas, quase na pequena área, isolou a bola e a chance de título por parte dos cariocas.

Campeão no Rio de Janeiro após o jogo contra o Vasco, o Palmeiras mais uma vez cutucou e muito o Flamengo. No aeroporto, os jogadores provocaram em frente à loja oficial do clube carioca. De novo, a polêmica do cheirinho voltou a castigar os rubro-negros, que só deram o troco no ano seguinte.

Em 2019, o Flamengo atropelou os adversários no Brasileirão e venceu com facilidade a competição. E os duelos contra o Palmeiras refletiram o que foi a supremacia carioca na temporada. No Rio de Janeiro, vitória por 3 a 0, com show de Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta. O resultado culminou na queda de Luiz Felipe Scolari.

No jogo do returno, já com o título garantido, o Flamengo conseguiu derrubar mais um treinador da equipe paulista. Desta vez, a vítima foi Mano Menezes após a derrota por 3 a 1 dentro do Allianz Parque.

Nas comemorações das conquistas, os jogadores do Flamengo não perdoaram e abusaram das provocações.

Os gritos de ‘o Palmeiras não tem mundial’ embalaram a festa rubro-negra nas celebrações dentro e fora do Maracanã.

Neste ano, Flamengo e Palmeiras mais uma vez entraram credenciados como favoritos aos principais títulos da temporada. O time rubro-negro, que conquistou Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e Carioca com Jorge Jesus, entrou em queda livre depois da saída do português. Foi eliminado na Copa do Brasil e na Conmebol Libertadores. Todas as fichas estão colocadas em uma recuperação no Brasileirão para salvar a temporada.

Por outro lado, o Palmeiras, campeão paulista, vem embalado para a reta final. O time se ajustou desde a chegada de Abel Ferreira, tem pela frente as decisões da Libertadores e da Copa do Brasil. E sabe que uma vitória diante do Flamengo pode aproximar a equipe do sonho de uma inédita tríplice coroa com Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão na mesma temporada.