<
>

TV revela mais conversas de Robinho com amigo em caso de violência sexual: 'Não ter câmeras foi a nossa salvação'

Mais trechos de conversas entre Robinho e seus amigos que foram determinantes para a condenação do jogador, em primeira instância, a nove anos de prisão pela Justiça italiana foram revelados neste domingo (18) pelo programa Esporte Espetacular, da TV Globo. A sentença fala em prática de violência sexual de grupo após acusação feita por uma mulher de origem albanesa

Em um deles, o jogador fala com Ricardo Falco, também condenado no mesmo processo.

Falco - "Se ela fosse uma menina mais esperta, dois dias depois, ela teria dito: 'Escuta, eu fiz alguns exames... Robinho, ou você me dá um dinheiro ou eu vou procurar os jornais...'. Aí eu diria que acabou. A menina fez os exames, acabou. Entendeu?"

Robinho - "Primeiro, porque não tocamos na menina. Quem a tocou foram os meninos [referindo-se aos outros quatro brasileiros envolvidos no caso que estão sendo processados à parte porque deixaram a Itália durante o processo]. Segundo: não há provas."

Falco - "Nada."

Robinho - "Não tinha nenhuma câmera, ela não tem nenhuma foto."

Na última sexta (16), o site GloboEsporte.com já havia revelado vários diálogos entre Robinho e seus amigos. À noite, após muita pressão de patrocinadores e opinião pública, o atacante de 36 anos e o Santos suspenderam o contrato que tinham assinado há poucos dias - ele sequer estreou.

Robinho e seus amigos foram monitorados, com autorização da Justiça italiana, após a abertura do processo. A polícia grampeou todos os envolvidos a partir de janeiro de 2014, com direito até a escutas dentro do veículo do atleta.

E as gravações destas conversas entre eles, por telefone, são cruciais para o caso, consideradas pela Justiça do país europeu como "auto acusatórias".

Em outro trecho, Falco fala novamente. E mostra alívio pelo fato de o local onde o fato aconteceu, na madrugada de 22 de janeiro de 2013 [Robinho jogava pelo Milan à época], a boate Sio Café, em Milão, não ter câmeras.

Falco - "A minha única preocupação é que tivesse câmeras, porque, se tivesse câmeras, elas teriam gravado que eu estava transando com a garota. O fato de não ter câmeras foi a nossa salvação."

Falco - "Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si."

Robinho - "Sim."

A condenação de Robinho não é definitiva. Há outras duas instâncias na Itália, e a Corte de Apelação de Milão vai analisar o recurso do jogador, em segunda instância, a partir de 10 de dezembro.