<
>

Caso Robson: Campanha pede justiça a ex-funcionário de Fernando preso há 562 dias na Rússia

Uma campanha nas redes sociais tenta chamar a atenção das autoridades para o caso envolvendo Robson Oliveira, ex-funcionário do jogador Fernando (ex-Grêmio, Spartak Moscou e seleção brasileira, hoje no Beijing Guoan) e preso há 562 dias na Rússia.

Jogadores como Richarlison (Everton) e Rafael Cabral (Reading) também postaram em suas redes sociais, e a hashtag #JusticaporRobson está sendo utilizada em postagens na página do clube chinês de Fernando após este fazer dois gols na vitória sobre o Shijiazhuang Ever Bright na última segunda-feira.

Ele foi detido quando o volante atuava no Spartak Moscou e o contratou para trabalhar como motorista da família. A companheira de Robson era cozinheira na casa de Fernando, e a partir daí surgiu a proposta para ele, que foi preso por desembarcar na Rússia portando duas caixas de Mytedom 10mg (cloridrato de metadona).

O medicamento, utilizado para conter dores fortes, era destinado ao sogro do atleta e estava em bagagem destinada aos familiares do jogador de futebol. Robson responderá por tentativa de tráfico e contrabando, com pena mínima de 15 anos. A máxima é prisão perpétua.

"A investigadora irá buscar um novo depoimento do Robson no presídio, o processo voltou para a fase inicial", explicou Olímpio Soares, que advoga para o cidadão brasileiro, ao blog de Mauro Cezar Pereira, comentarista da ESPN, no UOL.

"Pavel Gerasimov, advogado russo que cuida do caso no país, descartou essa possibilidade (prisão perpétua). Vamos pedir a oitiva da Rafaela (mulher do jogador), do Fernando, Sibele (sogra) e William (sogro) por videoconferência. Se a juíza vai aceitar ou não, nós ainda não sabemos", continua Olimpio Soares.

"Mesmo que ele pegue 15 anos de prisão, podemos pedir a transferência para o Brasil, mas pode ser que a justiça russa recuse por considerar a pena alta e o crime grave", revela o advogado.