<
>

Por que Brasil perdeu Thiago Alcântara, que já estreou com recorde no Liverpool, para a Espanha?

Contratado pelo Liverpool por 30 milhões de euros (R$ 191 milhões) na atual janela de transferências, Thiago Alcântara fez a estreia oficial na vitória dos Reds por 2 a 0 sobre o Chelsea no domingo.

Campeão da última edição da Champions League pelo Bayern de Munique, o meia estreou com 45 minutos em campo e 75 passes certos, um recorde na Premier League. Desde que as estatísticas completas para passes estão disponíveis no Campeonato Inglês, na temporada 2003/04, nunca um jogador acertou tantos toques jogando apenas um tempo.

Um dos xodós de Pep Guardiola desde os tempos de Barcelona, o meia é filho do ex-jogador Mazinho - campeão pelo Brasil na Copa do Mundo de 1994 - e nasceu na Itália em 1991, quando o pai jogava pelo Lecce.

Thiago morou por vários anos no Brasil e chegou a jogar na base do Flamengo ao lado do amigo Rodrigo, hoje no Leeds United.

Quando Mazinho, que estava aposentado dos gramados, recebeu uma oferta para voltar a trabalhar com futebol na Espanha, ele foi jogar na base do Barcelona.

Ao lado do amigo Rodrigo, o meia é jogador da seleção espanhola, tendo disputado a Copa do Mundo de 2018 com La Roja.

Mas, afinal, por que Thiago Alcântara nunca foi testado pelo Brasil?

Em entrevista à ESPN, Adalberto, pai de Rodrigo, contou os bastidores da história.

"Quando o Rodrigo estava no Real Madrid e o Thiago (Alcântara) no Barcelona, a gente [Adalberto e Mazinho] falava deles jogarem pela seleção brasileira. Aí uma vez o Mazinho se encontrou com o pessoal da CBF e comentou sobre a situação dos garotos. Na época, eles ainda não tinham definido por qual seleção escolheriam jogar. Foi então que uma pessoa disse que, por questão política, a CBF não iria convocar garotos de fora do Brasil, para não desestimular os jovens que estavam atuando no Brasil", relatou o ex-lateral.

"Eu achei a resposta bem razoável, mas disse ao Rodrigo Paiva [ex-diretor de comunicação da CBF], que é meu amigo desde a época da faculdade: 'Vocês deram uma justificativa razoável, mas vão perder muitos jogadores assim, porque o mundo está se globalizando. Se não mudar essa política, é uma via de mão única, pois os jogadores estão saindo cada vez mais cedo, e isso só vai prejudicar o Brasil'", recordou.

"Acho inclusive que a situação do Rodrigo e do Thiago foi um dos motivos pelos quais depois a CBF mudou essa política dela. Certamente o fato deles terem ido jogar pela Espanha teve influência nisso", opinou.

Desta forma, Thiago e Rodrigo optaram, por jogar pelas seleções de base da Espanha e depois pela equipe principal.

"Não à toa, depois o Rodrigo e o Thiago seguiram normalmente para a seleção da Espanha, pois eles sempre deixaram claro que queria defender a Espanha. Ao contrário do Rafinha (Alcântara, irmão de Thiago), que sempre quis jogar pelo Brasil", completou.