<
>

Como Barcelona gastou R$ 5,3 bilhões pós-Neymar para não sair do lugar

Na janela de transferências da temporada 2017/18, o mundo ficou de queixo caído quando o Paris Saint-Germain comprou o atacante Neymar do Barcelona por 222 milhões de euros, a maior transferência da história do futebol.

O Barça ficou com os bolsos cheios e "atacou" o mercado com força nos anos seguintes, mas suas investidas foram fracassadas na maioria das vezes.

Desde 2017/18, os blaugranas torraram 879,6 milhões de euros (R$ 5,344 bilhões) em contratações - o valor já engloba os investimentos para 2020/21, como Miralem Pjanic, da Juventus, e Francisco Trincão, do Braga.

De todos os nomes trazidos, porém, a grande maioria fracassou com a camisa culé, enquanto muitos nem estão mais no Camp Nou.

O caso mais emblemático é o do meia Philippe Coutinho, trazido do Liverpool logo após a venda de Neymar por 145 milhões de euros.

O brasileiro nunca se firmou no Barça, sendo inclusive vaiado pela torcida pelo futebol ruim e pela apatia em campo. Atualmente, ele está emprestado ao Bayern de Munique, mas não será comprado. Os catalães desejam vendê-lo de qualquer forma, mas o atleta está desvalorizado, e um enorme prejuízo na operação é praticamente certo.

Entre os outros que custaram muito caro, Ousmane Dembélé passa mais tempo no departamento médico do que em campo, e chama mais a atenção pelos atos de indisciplina do que por gols ou dribles. Já Antoine Griezmann até é visto como um atleta exemplar e bom companheiro. No entanto, seu futebol desde que foi comprado em nada lembra o dos tempos do Atlético de Madrid.

O meia Frenkie de Jong é outro que decepciona até o momento, sem apresentar o futebol que encantou o mundo no Ajax.

E como explicar os 26 milhões de euros gastos no goleiro brasileiro Neto, que fez meros quatro jogos desde que foi contratado?

Houve casos de jogadores que foram comprados e vendidos com tanta rapidez que é até difícil ter lembranças deles com a camisa blaugrana, como os brasileiros Malcom e Paulinho, que hoje defendem Zenit, da Rússia, e Guangzhou Evergrande, da China, respectivamente, e o zagueiro Yerry Mina, que foi vendido ao Everton.

Houve ainda as passagens meteóricas e quase imperceptíveis de jogadores emprestados, como Kevin-Prince Boateng e Jeison Murillo, que passaram apenas alguns meses no Camp Nou.

Veja abaixo a lista completa dos contratados desde a venda de Neymar:

TEMPORADA 2017/18

- Philippe Coutinho**: 145 milhões de euros
- Ousmane Dembélé: 125 milhões de euros
- Paulinho*: 40 milhões de euros
- Nélson Semedo: 35,7 milhões de euros
- Gerard Deulofeu*: 12 milhões de euros
- Yerry Mina*: 11,8 milhões de euros
- Marlon*: 5 milhões de euros

TOTAL: 374,5 milhões de euros

TEMPORADA 2018/19

- Malcom*: 41 milhões de euros
- Clément Lenglet: 35,9 milhões de euros
- Arthur: 31 milhões de euros
- Arturo Vidal: 18 milhões de euros
- Jeison Murillo*: 1 milhão de euros (empréstimo)
- Kevin-Prince Boateng*: 1 milhão de euros (empréstimo)
- Jean-Clair Todibo**: 1 milhão de euros

TOTAL: 129,1 milhões de euros

TEMPORADA 2019/20

- Antoine Griezmann: 120 milhões de euros
- Frenkie de Jong: 75 milhões de euros
- Neto: 26 milhões de euros
- Martin Braithwaite: 18 milhões de euros
- Júnior Firpo: 18 milhões de euros
- Emerson**: 12 milhões de euros
- Marc Cucurella**: 4 milhões de euros

TOTAL: 273 milhões de euros

TEMPORADA 2020/21

- Mirael Pjanic: 60 milhões de euros
- Francisco Trincão: 31 milhões de euros
- Matheus Fernandes: 7 milhões de euros
- Pedri: 5 milhões de euros

TOTAL: 103 milhões de euros

*Não estão mais no clube
**Emprestados a outro clube