<
>

Barcelona relembra cinco anos da conquista da Champions com brilho de Messi, Neymar e Suárez

Ainda que pareça uma eternidade, são apenas cinco anos.

Atado à exigência de ganhar tudo e recebendo cada eliminação como uma punhalada, o Barcelona relembra neste sábado sua última conquista na Uefa Champions League sem notar que a primeira, em Londres, não chegou até 1992 e que até a segunda, conquistada em Paris, demorou 14 largos anos.

Cumprem-se cinco anos do êxtase de Berlim, da quinta "Orelhuda" de um Barça que carregado pelo tridente Luis Suárez, Neymar e Messi transitou durante os primeiros seis meses de 2015 a velocidade de vertigem, praticamente atropelando a quem se colocasse à frente e que fechou aquela temporada com o segundo triplete de sua história.

A equipe azulgrená de Luis Enrique chegou à final passando na liderança do grupo que tinha PSG, Ajax e Apoel, perdendo só em Paris e ganhando os outros cinco jogos, como também venceu os dois duelos das oitavas contra o Manchester City e os dois das quartas diante do PSG.

A apoteose chegou na semifinal, quando enfrentou o Bayern de Munique dirigido por Josep Guardiola, impondo-se por 3 a 0 no Camp Nou com dois gols e atuação estelar de Messi, para transformar a volta na Alemanha em protocolar e chegando ao jogo definitivo, no majestoso Estádio Olímpico de Berlim.

Rakitic marcou aos quatro minutos, assistido por Iniesta em uma jogada iniciada por Messi e Jordi Alba, e aos 10 minutos do segundo tempo empatou Morata para a Juventus, aproveitando um rebote de Ter Stegen.

Suárez respondeu aos 23 pegando uma rebatida de Buffon em finalização de Messi e nos acréscimos Pedro assistiu a Neymar para fechar um êxito inesquecível.

Da lembrança à urgência

Berlim significou um êxtase que ficou, que permanece, na lembrança com a última noite inesquecível de um Barça que espera agora o mês de agosto para seu novo assalto a um troféu que desde então se afastou e que a cada ano que passa se converte em maior obsessão.

Atlético de Madrid, Juventus e Roma consecutivamente nas quartas de final e Liverpool, na semifinal, fecharam o caminho nas últimas quatro temporadas, com noites de pesadelo que reverberam no Coliseu romano ou Anfield Road para maior depressão na torcida e com o duelo de volta contra o Napoli como próxima estação em um novo capítulo dessa urgência que se agarra desde a noite de Berlim.