<
>

Camacho celebra ser melhor passador do Corinthians e brinca: sofre mais com filhos do que com treinos na quarentena

Camacho tem quase quatro anos de Corinthians. Contratado no início de 2017, o volante passou por altos e baixos no clube e vive seu auge com a camisa alvinegra. Titular e líder de estatísticas do elenco, se encontrou em função diferente do que fazia na sua primeira passagem.

Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br, o volante revelou sua rotina na quarentena, valorizou momento em campo e lamentou a fase do Corinthians.

Vida na quarentena

Os atletas do elenco receberam treinos específicos para manter a preparação sem romper o isolamento social. Em casa há um mês, Camacho tem passado mais tempo com os filhos.

“Tem sido tranquila pra mim. De manhã eu tenho treinado todos os dias, e de tarde ficado com meus filhos pra passar o tempo. Tenho dois filhos pequenos então a tarde às vezes é até pior que o treino. As crianças tão muito agitadas, quem tem filho pequeno sabe (risos). Mas graças a Deus está todo mundo bem, todo mundo em casa. Louco pra essa pandemia acabar logo e eu poder voltar a fazer o que eu mais amo”.

Melhor passador do elenco

Camacho lidera duas estatísticas importantes no elenco do Corinthians de acordo com análise do DataESPN: a de passes certos, e porcentagem de acerto desses passes. São 551 passes e 91,3% de sucesso.

“Assim, sou o primeiro volante então a bola passa muito por mim. É natural que eu dê muitos passes, mas claro que a gente treina pra acertar. Fico muito feliz com esses números, mais com a porcentagem de acerto do que propriamente o número de passes.” (...) “Não, cara, com o Tiago não. Essa qualidade eu sempre carreguei comigo. Com ele no Athletico, eu cresci. Minha marcação melhorou muito. Mas quanto aos passes, desde que eu comecei a jogar essa era minha melhor característica”.

Nova função em campo

A função do volante, que passou a ser mais recuado, como ele mesmo citou, foi alvo de elogios nas redes sociais por parte da torcida do Corinthians.

“Na nova função o que eu precisei mudar foi a marcação. Ponto principal é de marcar mais, se preocupar mais com o adversário, estar sempre ligado nos contra-ataques. Pra jogar com a bola você tem um pouco mais de espaço, você consegue pensar um pouco mais o jogo, mas o fator principal é a marcação”.

Jogando entre os zagueiros, Camacho passou a figurar entre os piores finalizadores do elenco. Foram apenas três tentativas de chute, todas bloqueadas ou desviadas.

“Sabia desses números, do chute no gol. Tentei poucos, mas os que eu tentei acabou pegando em alguém. Claro que tenho que arriscar mais, mas é consequência do jogo. Ainda mais pelo Tiago Nunes gostar muito de que os laterais subam, então naturalmente tenho que ficar mais pra evitar o contra-ataque. Tem que ficar três, eu fico entre os zagueiros. (...) Claro que isso dificulta um pouco, mas tenho que tentar mais, e vou me cobrar cada vez mais disso”

Melhor fase da carreira?

Camacho vive, em campo, fase iluminada. O jogador se destacou entre os titulares, caiu nas graças da torcida e acabou por destoar da má fase do elenco.

“Cara, esse era um objetivo que eu tinha. Eu tinha que começar bem o ano no Corinthians pra poder ganhar confiança. Confiança é tudo na vida de um atleta. Então eu fiz bem a pré-temporada, comecei bem o ano. É um dos melhores momentos da minha carreira sim. Tô numa função nova, me adaptei muito bem, tô com a idade boa, tô com 30 anos, então já tenho uma certa experiência. Espero manter isso, espero melhorar e que o time melhore também pra termos um grande ano”.

Sobre o período de 7 jogos sem ganhar antes da pausa do Corinthians, o camisa 20 minimizou o desempenho e projetou uma melhora pós-quarentena.

“A gente teve jogos ruins antes da parada que a gente não conseguia vencer. A gente até começou o ano muito bem, pegou rápido as ideias do Tiago, mas depois o time não estava conseguindo resultados. Mas com a parada, teremos muito tempo pra ver o que estávamos errando. O Tiago (Nunes) sabe o que a gente vai ter que mudar. Espero que a gente faça uma boa pré-temporada e o ano melhore depois que tudo isso passar”.