<
>

Alex ou Riquelme, quem foi melhor? Público da ESPN já escolheu, veja quem ganhou e relembre a carreira dos craques

Quem foi melhor, Alex ou Riquelme?

A ESPN Brasil lançou a enquete em suas redes sociais para que o fã de esporte pudesse escolher.

Alex, duas vezes campeão da Copa América com a seleção brasileira, ou Juan Román Riquelme, eterno ídolo do Boca Juniors?

Em votação bastante acirrada com milhares de votos no Instagram (@espnbrasil), o brasileiro levou a melhor com 51% contra 49% do argentino, de acordo com o público, que teve 24 horas para eleger seu camisa 10 de preferência.

A eleição também se deu no Twitter (@espnbrasil), e o brasileiro, que conta desde 2012 com uma estátua nas redondezas do estádio do Fenerbahce, venceu de novo. E com mais tranquilidade: 65% dos quase 24 mil votos para a cria da base do Coritiba e que é ídolo eterno do Palmeiras.

Relembre a carreira dos craques

Alex começou a chamar a atenção do futebol brasileiro ainda muito jovem como uma boa surpresa da base do Coritiba. Com apenas 20 anos, foi para o ambicioso projeto da Parmalat no Palmeiras e lá começou a se consolidar como um dos melhores meio-campistas do Brasil. Junto com Felipão, Evair, Marcos e companhia, venceu a primeira e até então única Copa Libertadores da história alviverde, em 1999. Também levantou outras taças durante o período no Palestra Itália, como a Copa do Brasil e Copa Mercosul, em 1998 e a Copa dos Campeões e o Torneio Rio-São Paulo em 2000.

Ainda em 2000, se transferiu para o Parma, da Itália, onde só fez oito jogos. De lá, foi emprestado para o Flamengo, onde esteve no elenco campeão do Campeonato Carioca de 2000, Cruzeiro e novamente Palmeiras. Depois do período vinculado ao clube italiano, foi contratado em definitivo pelo time de Minas Gerais, onde participou de um dos times mais emblemáticos da história do futebol brasileiro.

Além da Copa Sul-Minas de 2001 e 2002, Alex foi peça fundamental do Cruzeiro que conquistou a Tríplice Coroa em 2003 ao ser campeão do Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro daquele ano. Alex ainda ficou até uma parte do ano seguinte e conquistou mais um título estadual com o clube mineiro.

Em 2004, transferiu-se para o Fenerbahce, da Turquia, e lá transformou-se num dos jogadores mais lendários da história do clube. Além dos 245 jogos e 136 gols, foram três títulos de Campeonato Turco, uma Copa da Turquia e duas Supercopas.

Com a seleção, venceu duas Copas Américas, em 1999 e 2004. Antes de se aposentar, Alex voltou ao Coritiba para jogar uma último temporada com o clube que o criou para o esporte.

Ídolo máximo do Boca Juniors, Juan Román Riquelme nasceu e cresceu para o futebol dentro de La Bombonera. Na sua primeira passagem pelo clube, entre 1996 e 2002, conquistou dois Campeonatos Argentinos, duas Libertadores e um Mundial de Clubes. Um dos destaques daquela equipe e ainda muito jovem, chamou atenção do Barcelona, e transferiu-se para a Catalunha em 2002.

Lá, não teve o mesmo sucesso que teve em seu país natal. Depois de uma temporada abaixo do esperado, foi emprestado para o Villarreal, onde conseguiu ter mais sucesso e formou uma dupla memorável ao lado de Diego Forlán.

Depois de duas temporadas no 'Submarino Amarelo', voltou para a capital argentina e seu clube de coração, onde pode mais uma vez se afirmar como ídolo. Riquelme venceu mais uma Libertadores, dois Campeonatos Argentinos, uma Recopa e uma Supercopa Argentina antes de se transferir para o Argentinos Juniors, clube que jogou apenas uma temporada antes de encerrar a carreira.

Com a camisa da seleção argentina, Román chegou a ser campeão, mas não do que mais desejava. Em 2005, vice da Copa das Confederações e em 2007, vice da Copa América . O único título veio em 2008, durante as Olimpíadas de Pequim.