<
>

Barcelona: As 10 contratações mais midiáticas do clube nos últimos 50 anos

play
Messi e redução de salários no Barcelona repercutem de jeitos diferentes em Madri e na Catalunha; Linares informa (1:21)

Marca e AS, da capital, deram enfoque diferente em suas capas em relação a Mundo Deportivo e Sport, de Barcelona (1:21)

O Barcelona, sobrecarregado pela paralisação por conta da pandemia do coronavírus – que ameaça seu músculo econômico e pode provocar uma mudança radical em sua política de contratações em um futuro imediato – sempre foi um clube comprador. Mais que isso, um dos mais poderosos do continente.

Quando a crise bate à porta do Camp Nou, começa a duvidar-se da possibilidade de tentar o retorno de Neymar ou contratar Lautaro Martínez se não for por troca de jogadores que rebaixe, muito, o seu preço. Porque agora, hoje, suspeita-se ser impossível o Barça manter seu status no mercado.

Rivalizando, no últimos tempos, com clubes de poderes financeiros criticados como ilimitados – casos de PSG e Manchester City –, o Barcelona tem se mantido na aristocracia do futebol com recordes em contratações de Neymar, Coutinho, Dembélé ou Griezmann, que se somam aos ‘De Jongs’, mostrando que seu poder de sedução permanece inalterável com o tempo... Embora a situação possa mudar de agora em diante.

Olhando para trás, no entanto, o passado mostra o que o Barcelona significa, ou significou, no universo do futebol no último meio século, com grandes contratações, jogadores midiáticos de primeira linha cujo top 10 poderia retratar essa lista.

1. Johan Cruyff - 1973

O primeiro estrangeiro após abertura das fronteiras do futebol espanhol depois de 12 anos. O holandês era, na época, o número um do mundo, o sucessor de Pelé, e significou um investimento de um milhão de dólares junto ao Ajax, tornando-se a contratação mais marcante da história do Barcelona.

2. Diego Armando Maradona - 1982

O Barça já o seguia de perto quando sua imagem foi catapultada no Mundial juvenil de 1979, queria contratá-lo em 1981 e acabou conseguindo só um ano mais tarde, já de tornando o número um do mundo. O clube pagou ao Boca Juniors US$ 9,5 milhões na época, sendo a maior transferência da história do futebol naquele momento.

3. Ronaldo Nazário - 1996

A contratação estelar para regenerar a equipe após a demissão de Cruyff. O Barça pagou por Ronaldo cerca de US$ 17 milhões e seu impacto no Camp Nou foi tão tremendo como efêmero, pois deixou o clube no ano seguinte, rumo à Inter de Milão.

4. Ronaldinho Gaúcho - 2003

Foi a contratação midiática por excelência com que o Barça de Joan Laporta, presidente recém-eleito, recuperou seu sorriso. O clube pagou US$ 30 milhões ao PSG pelo brasileiro, cujo sorriso e brilho no futebol o catapultou a uma equipe que antes de sua chegada sofreu uma década de decepções.

5. Ronald Koeman - 1989

O Barça pagou por Koeman US$ 6,4 milhões ao PSV na primavera europeia de 1989, fazendo dele o jogador-chave nos planos de Cruyff de construir um time dos sonhos. Seu nome permanece com letras douradas no livro do clube catalão, onde ficou até 1995.

6. Bernd Schuster - 1980

Estrela emergente que foi catapultada pela seleção alemã na Eurocopa de 1980, o Barcelona acertou com o Colônia por Schuster em novembro daquele ano, como solução para uma crise esportiva desenfreada. Custou US$ 1,8 milhão e seu impacto foi imediato, tornando-se líder da equipe naquela década

7. Zlatan Ibrahimovic - 2009

Uma das apostas falidas mais lamentada nos últimos anos em torno do Camp Nou. Guardiola apostou em Ibra como sucessor de Samuel Eto’o (a quem forçou a deixar o clube após o triplete na temporada de 2008/09), chegando da Inter de Milão por 75 milhões de dólares. Só ficou uma temporada no Barcelona, encerrada de forma ruim, enfrentando o técnico e sendo forçado a se transferir.

8. Rivaldo - 1997

O Barcelona fechou com Rivaldo de maneira urgente como substituto de Ronaldo, pagando ao Deportivo La Coruña 26 milhões de dólares, no último dia de mercado, com especificações em sua cláusula de recisão e após uma primeira temporada magnífica na Espanha. Seu passagem pelo Camp Nou nunca foi apreciada como merecido pelo seu excelente rendimento.

9. Andoni Zubizarreta - 1986

Destacado e indiscutível no Athletic Bilbao e na seleção espanhola, o Barcelona pagou US$ 1,1 milhão na época, fazendo de Zubizarreta o goleiro mais caro da história do futebol espanhol. Ele permaneceu no Barcelona até 1994, sendo uma das referências da equipe de Cruyff.

10. José Ramón Alexanco - 1980

O jogador espanhol mais caro de seu tempo, era um defensor do Atlhetic quando chegou ao Barcelona por US$ 1,4 milhão. Conhecido na sua chegada como o ‘futebolista de 100 milhões’, se tornou um dos defensores com melhor rendimento na história do clube, no qual permaneceu até se aposentar, em 1993.