<
>

Tottenham bane torcedor que jogou copo de ir ao estádio, e Premier League endurece ações contra o racismo e homofobia

A Premier League divulgou nesta terça-feira (24) o protocolo que os clubes, árbitros e membros da principal divisão inglesa terão de seguir em casos de discriminação racial, homofóbica ou qualquer outro abuso.

O chefe de segurança do clube, junto aos "stewards", que ficam próximos dos torcedores, e a polícia serão responsáveis por monitorar, reportar e agir em caso de algum tipo de preconceito feito pelos espectadores. O protocolo se aplica a incidentes envolvendo jogadores, técnicos ou árbitros no campo.

As pessoas que ofenderem serão identificadas e em primeira instância, o episódio deverá ser visto ou ouvido pelo árbitro. O oficial do jogo deve reportar ao chefe de segurança do clube e ao 4º árbitro.

Com isso, a polícia conseguirá identificar a pessoa para que a partida possa continuar. Em caso do problema persistir, o árbitro pode decidir pela suspensão da partida.

Qualquer decisão do árbitro será tomada junto a polícia, chefes de segurança e o Match Centre da Premier League.

A informação do protocolo vem logo depois do episódio de racismo contra o zagueiro do Chelsea, Rüdiger. O Tottenham divulgou também nesta terça que as investigações para descobrir as pessoas que manifestaram preconceito contra o jogador continuam.

Além disso, o clube londrino anunciou o banimento ao torcedor que arremessou um copo no goleiro dos Blues, Kepa.