<
>

São Paulo terá economia milionária em troca de Raniel por Bueno

play
Antony, do São Paulo, faz bonito gol e Edu de Meneses rouba a cena sendo 'segunda voz' de Rômulo Mendonça (1:03)

Atacante do Tricolor marcou dois gols em amistoso beneficente (1:03)

O São Paulo conseguiu economizar uma quantia milionária na troca de Raniel por Vitor Bueno com o Santos, concretizada na noite dessa quarta-feira.

A equipe tricolor desembolsará, na prática, R$ 13 milhões para contar com o meia-atacante pelos próximos quatro anos ao invés de exercer a cláusula de R$ 55 milhões que havia no contrato para tê-lo em definitivo.

Contratado a pedido de Cuca, Raniel custaria R$ 13 milhões ao São Paulo, que começaria a pagar a partir de 2020. Cedendo o jogador ao Santos, que adquiriu 50% de seus direitos econômicos, o São Paulo também terá 50% dos direitos econômicos de Vitor Bueno.

No entanto, não precisará pagar R$ 22,5 milhões, que seria a metade dos R$ 55 milhões previstos no contrato para a compra do meia-atacante.

Embora não conte com 100% dos direitos econômicos de Vitor Bueno, o time do Morumbi atingiu o objetivo de contar com o jogador pelos próximos quatro anos, mas com o importante detalhe de estar economizando milhões de reais. O camisa 12 tricolor, que terminou o ano como artilheiro da equipe no Campeonato Brasileiro com seis gols tinha contrato de empréstimo com a equipe até o final da próxima temporada.

O negócio se torna ainda mais vantajoso pelo fato de a troca envolver um jogador que não vinha sendo muito aproveitado.

Raniel chegou a ser titular com o técnico Cuca logo que chegou por conta da lesão de Pablo, mas, com a saída do treinador e o retorno do camisa 9, o jovem vindo do Cruzeiro acabou caindo no ostracismo e sendo subutilizado.

Na contramão de Raniel, Vitor Bueno cresceu consideravelmente com a chegada de Fernando Diniz e se tornou titular incontestável, vencendo a concorrência de Alexandre Pato pelo lado esquerdo do ataque.

Como se não bastasse o valor milionário poupado pela diretoria tricolor, no acordo também está previsto que os R$ 13 milhões que o São Paulo tem a pagar por Raniel poderá começar a ser quitado a partir de 2021, e não em 2020, como estava inicialmente acordado.

Desta maneira, o clube ainda ganha tempo para arcar com uma dívida grande.