<
>

Alexandre Mattos deixa o Palmeiras após cinco anos, dois títulos brasileiros e uma Copa do Brasil

O diretor-executivo Alexandre Mattos, 43, não é mais funcionário do Palmeiras.

O executivo foi demitido neste domingo (1º) pouco depois da queda do técnico Mano Menezes e da derrota para o Flamengo por 3 a 1, no Allianz Parque.

No Palmeiras desde 2015, vindo do Cruzeiro, ele foi responsável pela montagem dos elencos nos últimos quatro anos e pela gestão de futebol nesse período de quase cinco anos.

Durante sua passagem, o Palmeiras voltou a conquistar a Copa do Brasil depois de três anos, em 2015. Mas, sem dúvida, suas maiores conquistas foram os campeonatos brasileiros de 2016 e 2018.

O Palmeiras não era campeão brasileiro desde 1994.

Se, por um lado, teve as conquistas para se vangloriar, também é verdade que acumulou decepções com seguidos insucessos na Copa Libertadores, principal objetivo e verdadeira obsessão no Palmeiras.

Durante sua gestão, também, o Palmeiras teve sete trocas de treinadores: Oswaldo Oliveira, Marcelo Oliveira, Cuca, Eduardo Baptista, Roger, Alberto Valentim, Felipão e Mano Menezes foram contratados e posteriormente demitidos pela gestão do executivo.

Com Cuca, Mattos teve muitas rusgas e o presidente Mauricio Galiotte teve de intervir para colocar panos quentes na situação, em 2017.

Há cerca de dois meses, Mattos passou a ser alvo de campanha de setores da torcida, em especial a organizada Mancha Verde, que o acusa de "ladrão" e chegou a fazer protestos na porta do condomínio em que ele reside, na região de Barueri, na Grande São Paulo.

Mattos e a Mancha Verde tiveram relação muito próxima no passado. O executivo visitou a a quadra da escola de samba pertencente à torcida em mais de uma oportunidade.

Em outubro, a torcida também revelou que o executivo alugava apartamentos de sua propriedade para funcionários do clube que receberam aumentos com anuência do diretor.

Alexandre, aos poucos, foi sendo isolado no Palmeiras. Depois da Mancha, ele perdeu publicamente o apoio de Leila Pereira, presidente da Crefisa, patrocinadora do clube e virtual candidata da situação para a presidência do clube em 2021.

A montagem equivocada do elenco para os desafios de 2019 foram também colocadas na conta do diretor. Mattos, juntamente com Mano, já trabalhava na montagem do elenco para 2020.

O futebol do Palmeiras, desse modo, agora está sem comando no campo e na diretoria.