<
>

Jornal diz que Real e Barcelona já admitem 'empate' por Neymar, mas com gosto de vitória: 'Nem para você, nem para mim'

play
Novela Neymar: Hofman acredita que o jogador 'não decide mais o futuro' (2:09)

Comentarista afirma que Philippe Coutinho era peça fundamental para o negócio e, sem ele, ida para o Barcelona se torna 'complicada' (2:09)

O El Confidencial, da Espanha, noticiou que o clima de tensão que foi criado entre Barcelona e Real Madrid na disputa por Neymar faz com que a sensação entre os dirigentes dos clubes de que um empate deixaria ambos felizes, cresça.

"Nem para você, nem para mim". Esse é o sentimento que toma conta dos dirigentes. É do Paris Saint-Germain, mas como pediu para ser negociado, os dois clubes fazem o que podem para convencer o jogador até o momento.

Pelo lado do Barcelona se percebe maior pressão, enquanto no Real Madrid o clima é mais paciente. Mesmo que Florentino Pérez, presidente merengue, se sinta mais obstinado a concluir o negócio após cada negativa do clube francês.

O jornal revela que Neymar está mais em contato com Lionel Messi, seu ex-companheiro, do que com Bartomeu, dirigente culé que é o homem encarregado das negociações. Ao jogador foi pedido uma declaração pública demonstrando a vontade de jogar novamente no Barça.

Ao Barcelona, se impõe mais pressão já que ambos lados indicam uma 'cartada final' pelo jogador. Os correspondentes internacionais da ESPN, Moises Llorens e Sam Marsden, indicaram que a proposta deve incluir Dembelé. Já foram recusadas duas propostas, uma com compensação financeira de mais de R$ 300 milhões, Coutinho e Rakitic, e outra com empréstimo de um ano com valor de transferência definido para a próxima temporada.

Pelo lado do Real Madrid, a paciência maior se dá pelo fato do clube já ter contratado um grande jogador para sua posição: Eden Hazard. Então, enquanto as pedidas de Neymar e do PSG não agradam o clube madrilenho, o clima é de aguardo.

Com o mercado de transferências prestes a se fechar - em 2 de setembro - os clubes mantém suas posições. O empate viria com certa tranquilidade, já que a chance do brasileiro se transferir para um clube que não os dois nessa janela é mínima. Logo, em caso de não contratação, Neymar fica em Paris à procura de um time.