<
>

Rival do Flamengo por Balotelli: Brescia quase faliu, é recordista da Série B e já teve Pirlo, Baggio e Guardiola

O sonho do Flamengo de contar com o famoso atacante Mario Balotelli tem um grande empecilho: o Brescia. Apesar do pesado investimento rubro-negro, o pequeno clube italiano, de pouca expressão no cenário internacional, consegue rivalizar na negociação.

O time europeu subiu para a primeira divisão neste ano e volta à elite após nove temporadas. Mesmo dentro de seu país, não figura entre as equipes mais tradicionais.

É verdade, porém, que o clube da região da Lombardia vive uma nova administração e está em viés de alta. E isso tem um significado especial para o “Super Mario”, que possui uma ligação afetiva com o local.

Mas, afinal, o que é o Brescia Calcio?

A CASA DE BALOTELLI

Filho de imigrantes ganeses, Balotelli nasceu em Palermo, no sul da Itália, mas se mudou desde muito pequeno para a região próxima a Bréscia, no norte. O atacante cresceu lá e, portanto, tem uma relação afetiva com o clube Brescia Calcio. Acertar com a equipe significaria jogar na primeira divisão, chamar atenção do povo italiano e ainda reencontrar suas raízes.

RECORDISTA DA SÉRIE B

O Brescia Calcio está na primeira divisão, mas essa não é a realidade mais comum do clube. Na verdade, ele é recordista de Série B: ninguém disputou mais edições da segunda divisão, sendo 61 no total, com quatro títulos. A melhor colocação na elite foi um oitavo lugar na temporada 2000/01.

TIME DE TRADIÇÃO

Apesar dos resultados modestos, o Brescia é um clube conhecido e antigo, fundado em 1911. Está no cenário nacional há muito tempo e tem tradição considerável, segundo a própria Federação Italiana. Ela possui um “ranking da tradição” com pontuações definidas que pode ser aplicado em casos de repescagem de divisão. Nele, o Brescia está na 14º colocação nacional. Fica à frente, por exemplo, da Udinese que já teve Zico, a 15ª colocada.

RONDINELLE OU RONDINELLI?

Falando em Zico, vale citar outra coincidência. O apelido do Brescia Calcio é Rondinelle, que em italiano significa “as andorinhas”. Nada tem a ver com o ídolo rubro-negro, Rondinelli, que jogou com Zico e é conhecido como “o Deus da Raça” pela torcida.

ROBERTO BAGGIO (AQUELE)

Quanto aos ídolos, Balotelli tentaria entrar num panteão que tem ninguém menos que Roberto Baggio – aquele mesmo que perdeu o pênalti no tetracampeonato mundial da seleção brasileira. O lendário atacante encerrou sua carreira no Brescia, onde jogou por quatro anos, liderou a melhor campanha da história na Série A (um oitavo lugar) e chegou à final da Copa Intertoto, na qual perdeu para o PSG.

PIRLO E GUARDIOLA

Baggio não é o único famoso da história do Brescia. Por lá já passaram nomes como o lateral-esquerdo brasileiro Branco, o meia romeno Hagi e até o espanhol Pep Guardiola, que deixou o Barcelona para atuar no futebol italiano. O mais querido pela torcida, entretanto, é Andrea Pirlo: o meio-campista foi revelado lá e passou seus primeiros três anos como profissional no clube.

QUASE FALÊNCIA

Pirlo foi importante não só dentro de campo, mas também fora. Em 2015, o atleta ajudou a convocar empresários da cidade para tentar salvar o Brescia Calcio, que estava à beira da falência. Em 2017, foi comprado pelo investidor italiano Massimo Cellino, que comanda uma relativa retomada do clube.