<
>

Time alemão manda embora capitão por simpatizar com grupos neo-nazistas

O Chemnitzer FC, da terceira divisão do Campeonato Alemão, mandou embora o atacante Daniel Frahn, capitão do time, por “demonstrar abertamente” sua simpatia por grupos neo-nazistas.

Ao ficar de fora da partida do último sábado, a derrota por 3 a 1 para o Hallescher FC, por conta de uma contusão, o atleta preferiu assistir ao jogo das arquibancadas ao invés do banco de reservas, e se sentou perto de líderes de torcidas organizadas da extrema-direita.

Ele já havia sido multado pelo clube em março, depois de participar de um tributo a Thomas Haller, co-fundador do grupo HooNaRa – hooligans, nazistas e racistas, em tradução literal – morto na mesma época.

Naquela oportunidade, o atleta se desculpou por participar do ato e por utilizar uma camiseta que trazia a mensagem “Apoie os seus hooligans locais” escrita.

Já nesta segunda, o clube divulgou uma nota oficial dizendo que o arrependimento de Frahn era uma “farsa” e que havia errado em confiar na palavra do atacante da última vez: “Ele não poderia e não conseguiria assumir a responsabilidade de ser o capitão da equipe, que envolve mais do que marcar gols e ter o nome gritado pela torcida: envolve atitude”, declarou Romy Pulster, vice-presidente do Chemnitzer.

A equipe é a penúltima colocada na terceira divisão alemã depois de três partidas e enfrenta problemas financeiros.