<
>

Santos: Luan Peres, novo reforço, é fã de Sergio Ramos, quase desistiu do futebol e já jogou Champions League

play
Unzelte, sobre especulação de Ribéry no Santos: 'Hoje ele não ganha posição do Soteldo' (0:15)

Jornal peruano Diario Libero disse que o clube alvinegro teria interesse no francês (0:15)

Luan Peres é o novo nome do Santos. Revelado pela Portuguesa, o zagueiro chega ao clube aos 25 anos, com experiência de Champions League, na Bélgica. Canhoto, também pode atuar como lateral e tem sonho de ser campeão brasileiro.

O ESPN.com.br conversou com exclusividade com o novo reforço do Santos, que contou sobre sua carreira, os sete clubes que passou, seus sonhos e expectativas com a camisa do Peixe.

Contratado por empréstimo, Luan chega com contrato até o final de 2020. No seu último clube, o Club Brugge, da Bélgica, teve oportunidade de atuar na Champions League, contra o poderoso Atlético de Madrid.

Após um ano na Europa, resolveu encarar o maior desafio de sua carreira até o momento.

O jogador que começou sua carreira no Canindé, pelo time da Portuguesa, e quase desistiu do futebol, começa sua trajetória no Santos com o time na liderança do Brasileiro. A sensação até o momento é Jorge Sampaoli, técnico que aprovou a vinda do canhoto.

Luan foge do 'estilo boleiro' e tem como ídolos dois jogadores que atuam na Espanha: Sérgio Ramos, como zagueiro e Lionel Messi.

O jogador chega ao Santos depois de quase desistir do futebol, e o fã do esporte conhece ele melhor aqui:

Revelado na Lusa

Luan foi um jogador formado na Portuguesa. Atleta do clube desde pequeno, subiu ao time profissional em 2015, quando a Lusa quase conquistou vaga na Série B do Campeonato Brasileiro.

"Entrei na Portuguesa com oito anos de idade. Lá eu peguei toda fase da Lusa, a boa fase e a fase ruim. Quando subi ao profissional em 2015, estávamos na Série C, quase subimos. No ano seguinte eu me transferi ao Santa Cruz, e ali começou a fase ruim mesmo da Portuguesa, de Série D e depois sem divisão".

View this post on Instagram

Ansioso pro campeonato começar! #SomosTodosLusa

A post shared by Luan Peres (@luanperes94) on

Apesar da fase ruim do clube, Luan não guardou mágoa da diretoria.

"Não tenho ressentimento, joguei muitos anos por lá. Só fico muito triste de ver a Portuguesa nesta situação e sem esperanças de dar a volta por cima".

Na época, os torcedores lusitanos já pediam a entrada de mais jogadores da base, o que acontece até hoje.

"A Portuguesa sempre teve uma base muito boa. Batia de frente com Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras. Todo mundo sabe disso. Chegava em todos os campeonatos. Não sei se manteve o nível, mas se manteve, com certeza poderia usar nessa reestruturação".

Rodando o Brasil

Saindo da Portuguesa, Luan rumou ao Santa Cruz, passou por Red Bull Brasil, Ituano e Ponte Preta em um ano e meio.

"Depois que eu saí da Portuguesa eu me planejei pra ficar marcado de vez em cenário nacional. Queria fazer meu nome e ficar conhecido entre diretores".

"Eu tive uma passagem muito boa pelo Santa Cruz, né. Joguei minha primeira Série A. É um time de massa, com muita torcida, de torcida fanática, que sofre alguns problemas de atraso salarial, né, de estrutura".

O Santa Cruz chegou a liderar o Brasileiro no início, mas não conseguiu se manter e acabou rebaixado.

"Eu estava muito feliz na época, o time era muito bom, com Keno, Grafite, João Paulo, entre outros. Então eu não reclamava na época porque fui da Portuguesa pra jogar a primeira divisão".

"No Red Bull, não tenho nem o que falar. Clube sensacional, muito bem estruturado que ano que vem vai jogar a Série A. No Ituano, nem joguei né. Fui direto para a Ponte Preta. ".

Destaque na Ponte Preta

Luan chegou a Ponte Preta em maio de 2017, de volta à Série A e ficou um ano por lá.

"Na Ponte Preta, o time era muito bom. Primeira divisão com Emerson Sheik, Lucca, Nino Paraíba, Aranha no gol, Fernando Bob, Marlon e Rodrigo. Eu estava muito feliz".

Com o time estruturado, o zagueiro canhoto recebeu oportunidades como titular e se destacou para o Brasil.

"Quando eu comecei a jogar na Ponte Preta e me destacar eu percebi que poderia dar passos maiores".

Clubes europeus e brasileiros passaram a sondar o jogador, que não teve liberação do clube, mas pretendia mesmo ficar em Campinas.

"Eu recebi sondagens, ligações no final do ano, mas a Ponte Preta não quis me liberar. Eu estava bem tranquilo com isso, então joguei o Paulistão pela Ponte e continuei recebendo sondagens".

"Ali eu imaginei que poderia chegar em um clube, como posso dizer, entre os doze maiores".

Passagem relâmpago no Flu

Luan foi um pedido de Abel Braga no Fluminense. Chegou em abril para disputar Brasileiro e Carioca.

"No Fluminense eu fiquei muito feliz. Antes de chegar eu recebi uma ligação do Abel, junto com o Autuori".

"Chegando lá, eu já sabia que iria jogar. Claro que eu teria que treinar forte e mostrar meu futebol, mas pela ligação e pelas notícias que eu tinha, eu sabia que se treinasse eu iria jogar. Em pouco tempo eu virei titular e estava muito feliz".

Das 9 oportunidades em que atuou, foi titular em 8. Estava em alta quanndo recebeu proposta para realizar um sonho.

"Joguei Fla-Flu e em pouco tempo recebi proposta que me balançou, já que se tratava de Champions League."

Sonho da Europa

Pela primeira vez na carrerira, Luan jogaria fora do Brasil. O jogador, com 24 anos, foi seduzido pela disputa do maior torneio do mundo.

Fluminense e Ituano chegaram a um acordo pela venda do jogador, que foi cedido ao Club Brugge, da Bélgica.

"Sim, era um sonho jogar na Europa, até por ser uma Champions League que eu jogaria. Vontade de conhecer como eram os treinamentos, como eram os países na Europa. Afinal, pude conhecer lugares, não só o futebol".

"Foi uma passagem bacana, financeiramente eu não podia reclamar de nada. Não atrasava, pagava sempre em dia. É um clube muito grande lá, ganha quase todos os jogos do campeonato. Joga a Champions League, eu consegui jogar esse torneio, que foi um sonho pra mim".

Um ano disputado na Europa, com apenas 9 jogos feitos e uma oportunidade no torneio continental. O Brugge foi vice-campeão belga, atrás do Racing Genk.

"Foi muito legal a experiência, o clube tem treinamentos muito difíceis então até me adaptar não foi fácil".

Chegada ao Peixe

Aos 25 anos, o zagueiro se acertou por empréstimo de uma temporada e meia junto ao Santos.

"Em relação ao Santos, eu estou muito feliz. Quando falei na Europa que ia, todo mundo conhecia o time e falava: 'Grande oportunidade. Clube gigante!'. Todo mundo sabe do tamanho do Santos".

Com o time na liderança, Jorge Sampaoli aprovou a chegada do jovem zagueiro.

"Eu chego com o time em primeiro lugar, então você fica mais feliz, e o nível de responsabilidade só aumenta".

Apesar de chegar com a 'pompa' de ter jogado na Europa, Luan Peres terá de batalhar pelo seu espaço com os outros sete zagueiros do elenco.

"Se eu viesse para qualquer dos clubes grandes do país, eu teria que disputar posição com grandes zagueiros. E assim é no Santos".

Líder do Brasileiro, Luan pode chegar no Santos em seu primeiro título de expressão.

"É fantástico saber isso. É uma oportunidade de ouro. Não é pra qualquer um. Eu me sinto privilegiado. Vamos fazer de tudo para manter, né? (risos). O Brasileiro é o campeonato mais difícil que tem. Então temos que nos manter focados, treinando, e ganhando todos os jogos".

Superação

"Até os meus 17, 18 anos de idade, eu… Eu fui mandado embora da Portuguesa, por um treinador. Falei com meu pai que eu queria parar de jogar bola. Não queria mais jogar bola.

"Meu pai não deixou eu parar. Me fez continuar e eu falei: “pai, eu vou tentar mais uma vez. Depois disso eu paro”.

Um dos destaques da Portuguesa na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2015, Luan quase teve sua carreira interrompida.

"Eu fui para o Juventus da Mooca, fiz alguns treinos, fiquei por dois meses até que um diretor da Portuguesa me ligou. Falou que o treinador tinha saído e queria que eu voltasse. Eu voltei".

A mudança na posição também foi determinante para que o atleta ganhasse destaque.

"Na época eu era lateral e quando voltei decidiram me testar como zagueiro. O Zé Augusto, que foi meu treinador, me falou para jogar de zagueiro. E eu fui. Fui pra zaga. Ali minha vida mudou. Joguei campeonato sub-23, me destaquei muito e já recebi sondagens de clubes europeus".

"Mudou minha vida. Achei minha posição. Subi para o profissional e ali eu já enxergava que tinha potencial para chegar longe.

Depois de chegar a um dos maiores times do país, Luan traçou planos altos para a carreira.

"Sonho? De todo jogador é jogar na seleção brasileira, né. O de agora é ser campeão brasileiro com o Santos. Mas como todo jogador, quero me destacar, pensar em jogar bem para ir para seleção brasileira".

Ídolos

Luan surpreende na escolha de ídolos. Nenhum brasileiro, e um deles nem zagueiro é.

"Meu maior ídolo do futebol não joga na minha posição. É o Messi. Um cara que sou fã, que eu paro para ver o jogo".

Como inspiração na posição, Luan defende: "Como zagueiro, meu ídolo é Sérgio Ramos".

Estilo pessoal

Diferente da maioria dos jogadores do futebol, Luan não obedece ao 'estilo boleiro'.

"Não sei definir meu estilo. Mas não sou uma pessoa que gosta de usar brinco, muito boné - só uma vez ou outra. Corrente, shorts jeans rasgado não é muito meu estilo não".

Luan Peres já está regularizado no BID e pode atuar pelo Santos assim que o técnico Jorge Sampaoli decidir. O Santos joga contra o São Paulo neste sábado, às 17h e luta para manter a liderança do campeonato.