<
>

Copa América fecha 1ª fase com ocupação de só 47,5% e segue um vexame em público

play
Calçade critica declaração de Daniel Alves sobre vaias e fala sobre a pressão brasileira por jogar em casa (1:44)

Lateral e capitão da seleção disse que vaiar o time é vaiar seu país (1:44)

A Copa América de 2019 segue um vexame no quesito público! A primeira fase, encerrada na noite dessa segunda-feira (24), acabou com ocupação de apenas 47,5% e mais de 570 mil lugares vazios na soma dos 18 jogos.

Significa que nem a metade dos mais de 1 milhão de posições disponíveis foi ocupada nos estádios, apesar de uma renda bruta de quase R$ 111 milhões.

É uma verdadeira goleada tomada pelo Brasil se a comparação for feita com as duas últimas edições do torneio. No Chile, em 2015, a ocupação foi de 79,2% após as 18 primeiras partidas (média de 21.847 pessoas por duelo); nos Estados Unidos, em 2016, o índice foi de 58,8% depois de 24 confrontos (média de 41.094 presentes por confronto).

A partida com o maior público foi Chile 0 x 1 Uruguai, no Maracanã, com 57.442 presentes; já a de pior público foi Equador 1 x 1 Japão, com apenas 9.729 torcedores no Mineirão.

Mesmo assim, representantes da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e do Comitê Organizador Local (COL) disseram estar satisfeitos com a situação.

"Pensamos nos números absolutos. Não específicos. Tem partidas que atraem maior interesse do que outras", afirmou o gerente-geral de competição do COL, Thiago Jannuzzi, em entrevista concedida no final da manhã desta terça-feira (25) no Maracanã, no Rio de Janeiro.

NÚMEROS GERAIS DA PRIMEIRA FASE
De lugares à disposição
: 1.088.235
De lugares vazios: 570.557
De lugares ocupados: 517.678
De renda bruta: R$ 110.836.510,00

Na rodada 1, a ocupação foi de 41,17% - Japão 0 x 4 Chile, por exemplo, teve 23.253 presentes em um Morumbi que tem capacidade para 67 mil. O resultado é o vazio que você assiste no vídeo abaixo; na 2, de 52,1%; e na terceira, de 49,6%.

Os números são do levantamento feito pelo ESPN.com.br com base nas informações de público pagante, público presente, renda bruta, ingressos colocados à venda e capacidade das arenas divulgadas por Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e Comitê Organizador Local (COL).

Arena Corinthians e Arena Fonte Nova não tiveram suas quantidades gerais informadas. Para a primeira, a reportagem considerou a última atualização informada, de 49.205 lugares; para a segunda, o número que a própria administradora forneceu (48 mil).

O COL não divulga a quantidade de ingressos colocados à venda para cada duelo.

MÉDIAS DA 1ª FASE
De ocupação: 47,5%
De público presente por jogo: 28.759
De renda bruta por jogo: R$ 6.157.583,89

Só o fez em relação a Brasil 3 x 0 Bolívia (60.340) na segunda-feira 17, três dias após o jogo, que foi o de abertura da competição, depois do questionamento do ESPN.com.br por conta da estranheza que causou o Morumbi com quase 20 mil lugares vazios (tem capacidade para 67 mil pessoas). A própria organização dissera que os tickets para o evento estavam esgotados.

Outros dois jogos foram dados como esgotados nesta primeira fase: Argentina 0 x 2 Colômbia, na Arena Fonte Nova, em Salvador e válido pela 1ª rodada do grupo B - a ocupação foi de 74,1%, com mais de 12 mil lugares vazios.

E Peru 0 x 5 Brasil, na Arena Corinthias, em São Paulo e válido pela 3ª rodada da chave A - considerada a capacidade usada pela reportagem, a ocupação foi de 91,6%.

"A média de público teve um aumento em relação à edição do Chile, e nós vislumbramos um aumento maior na fase eliminatória. A organização considera positiva esses números", seguiu Jannuzzi na coletiva dada no Rio.

"As vendas de ingressos cresceram com o andamento do torneio, e registramos arrecadações recordes", disse o diretor de competições da Conmebol, Hugo Figueredo, também presente no Maracanã.

Veja, abaixo, números dos 6 jogos da 3ª rodada da Copa América

PERU 0 x 5 BRASIL
Estádio: Arena Corinthians (São Paulo)

Capacidade: 49.205 lugares
Ingressos colocados à venda: Não divulgado
Público pagante: 42.317
Público presente: 45.067
Renda bruta: R$ 10.009.095,00
Preço médio do ingresso: R$ 236,52
Ocupação: 91,6%
Lugares vazios: 4.138

BOLÍVIA 1 x 3 VENEZUELA

Estádio: Mineirão (Belo Horizonte)
Capacidade: 63.000 lugares
Ingressos colocados à venda: Não divulgado
Público pagante: 4.640
Público presente: 11.746
Renda bruta: R$ 631.605,00
Preço médio do ingresso: R$ 136,12
Ocupação: 18,6%
Lugares vazios: 51.254

CATAR 0 x 2 ARGENTINA

Estádio: Arena do Grêmio (Porto Alegre)
Capacidade: 60.000 lugares
Ingressos colocados à venda: Não divulgado
Público pagante: 39.100
Público presente: 41.390
Renda bruta: R$ 7.901.700,00
Preço médio do ingresso: R$ 202,09
Ocupação: 69%
Lugares vazios: 18.610

COLÔMBIA 1 x 0 PARAGUAI

Estádio: Arena Fonte Nova (Salvador)
Capacidade: 48.000 lugares
Ingressos colocados à venda: Não divulgado
Público pagante: 11.313
Público presente: 13.903
Renda bruta: R$ 2.581.785,00
Preço médio do ingresso: R$ 228,21
Ocupação: 28,9%
Lugares vazios: 34.097

CHILE 0 x 1 URUGUAI

Estádio: Maracanã (Rio de Janeiro)
Capacidade: 78.000 lugares
Ingressos colocados à venda: Não divulgado
Público pagante: 49.275
Público presente: 57.442
Renda bruta: R$ 11.749.970,00
Preço médio do ingresso: R$ 238,45
Ocupação: 73,6%
Lugares vazios: 20.558

EQUADOR 1 x 1 JAPÃO

Estádio: Mineirão (Belo Horizonte)
Capacidade: 63.000 lugares
Ingressos colocados à venda: Não divulgado
Público pagante: 2.106
Público presente: 9.729
Renda bruta: R$ 301.525,00
Preço médio do ingresso: R$ 143,17
Ocupação: 15,4%
Lugares vazios: 53.271