<
>

Marcelo Moreno 'afoga as mágoas' em churrascaria de BH, é tietado e ouve pedidos para voltar ao Cruzeiro

play
'Espero que algum dia eu possa voltar': Moreno fala sobre tempos de Cruzeiro e desejo se aposentar no clube mineiro (0:44)

Jogador teve passagem pelo time entre 2007 e 2008 e foi emprestado pelo Grêmio em 2014, quando conquistou o Campeonato Brasileiro com a camisa celeste (0:44)

Após a derrota para a Venezuela, que eliminou a Bolívia da Copa América no último sábado, o atacante Marcelo Moreno aproveitou para relembrar os tempos em que morou em Belo Horizonte.

Na saída do Mineirão, ele foi liberado da delegação, que tomou um voo fretado de volta a La Paz, e se juntou a familiares para gozar de uma rápida folga na capital mineira.

Horas depois do jogo, ele aproveitou para "afogar as mágoas" da eliminação indo jantar em uma famosa churrascaria da cidade, na Av. Cristiano Machado.

Ainda vestindo o uniforme de viagem da seleção boliviana, o mesmo que usou ao passar pela zona mista do Mineirão, ele se sentiu em casa logo que chegou ao restaurante.

O centroavante sentou-se em uma mesa no meio do salão, sem qualquer privacidade, e rapidamente foi reconhecido pelos presentes.

Após jantar, e mostrando muita simpatia, ele atendeu pacientemente os fãs, que tiraram fotos e aproveitaram para matar as saudades do atleta, que atualmente defende o Shijiazhuang Ever Bright, da 2ª divisão da China.

E, como não poderia deixar de ser, ouviu muitos pedidos para voltar ao Cruzeiro, time pelo qual ganhou três títulos (um Brasileiro e dois Mineiros) e deixou saudades.

Mais cedo, na zona mista, ele havia dito mais uma vez que gostaria de retornar à Raposa, mas salientou que não foi procurado por ninguém da equipe celeste para negociar.

Marcelo Moreno e sua família foram embora perto das 23h. À ESPN, o gringo explicou que voltará à China apenas na segunda ou terça-feira para se reapresentar ao Shijiazhuang.

Depois disso, o matador rumou para a residência que tem na capital mineira.

Ainda no estádio, ele havia falado sobre o carinho que recebeu dos cruzeirenses na cidade - apesar de também ter sido vaiado por muitos atleticanos que foram ao jogo

“Eu senti o carinho do torcedor do Cruzeiro, foi muito bom. Infelizmente, não consegui dar o presente para eles, que era o gol. Não aconteceu", lamentou.

"Mas valeu pelo que vi e pela recepção que fizeram para mim em Belo Horizonte”, emocionou-se.