<
>

Conmebol quer volta de Mundial de clubes com jogo único entre Europa e América do Sul: Fifa concorda

play
Daniel Alves relata inchaço no tornozelo de Neymar e pede 'cuidado' com julgamentos: 'O ser humano está perdendo a noção' (3:40)

'O ney é humano; ele tem sentimentos'; completou o lateral (3:40)

Aproveitando que a partir de 2022 o Mundial de Clubes será disputado a cada quatro anos, a Conmebol quer tentar reviver a disputa da Copa Intercontinental, torneio que no Brasil sempre foi chamado como Mundial Interclubes, entre o campeão da Copa Libertadores e da Uefa Champions League, com disputas anuais como ocorreu entre 1960 e 2004.

A informação é do "GloboEsporte.com" desta quinta-feira, que diz que o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, está decidido a levar a ideia adiante. À reportagem, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, ainda respondeu: "Por que não?".

A Fifa também sinalizou que é possível que aconteça.

De acordo com o texto, a ideia da Conmebol não é criar um torneio concorrente ao Mundial de Clubes da Fifa, mas sim ter no calendário anual uma disputa entre os continentes uma vez que o novo Mundial acontecerá apenas a cada quatro anos.

A intenção é reproduzir as últimas versões do torneio, isto é, jogo único entre os campeões dos dois principais continentais de Conmebol e Uefa em um país neutro. Mas para a ideia avançar é preciso concordância não apenas de Fifa e Uefa, mas também da Associação dos Clubes Europeus, que representa as equipes mais fortes financeiramente do Velho Continente e hoje não é favorável.

A Copa Intercontinental ou Mundial Interclubes (o nome oficial sempre foi Copa Europeia/Sul-Americana) foi disputado de 1960 até 2004, com exceção de 1975 e 1978, pelos campeões dos dois principais torneios da Conmebol e da Uefa (também com raras exceções; por exemplo, em 1974 o Atlético de Madri foi vice europeu, mas acabou representando o continente no lugar do Bayern).

De 1960 até 1979 as partidas aconteciam nos países dos campeões. De 1980 até 2004, quando ganhou a competição ganhou o patrocínio da Toyota, a disputa foi simplificada. Passou a ser em partida única e sempre no Japão.

Por colocar frente a frente os dois continentes mais fortes do futebol, todos os vencedores sempre foram tratados como campeões mundiais. Questão que chegou a causar polêmica por causa do não reconhecimento da Fifa, algo que foi revisto em 2017.

O Mundial de Clubes atual, com sete equipes, foi criado pela Fifa em 2005 --em 2000, a entidade fez uma versão no Brasil com oito equipes-- e é disputado desde então ininterruptamente. A partir de 2021 passará a ocorrer a cada quatro anos e com 24 equipes.